OSMAN LINS: EXPERIÊNCIAS COM O NARRADOR EM NOVE, NOVENA

ISMAEL ANGELO CINTRA

Resumo


Em contraste com a obra Os Gestos, de 1957, coletânea de contos intimistas, Osman Lins publica, em 1966, Nove, Novena - livro de contos em que introduz uma série de inovações técnicas que têm continuidade em Avalovara, de 1973, despertando a desconfiança de críticos que classificam as duas obras como experimentalista. Tendo como referência Os Gestos, pretende-se oferecer um balanço crítico de Nove, Novena por meio de uma análise mais detalhada das narrativas “Achados e Perdidos” e “Retábulo de Santa Joana Carolina”.


Texto completo:

PDF

Referências


BOSI, A. História concisa da literatura brasileira. São Paulo: Cultrix,

LINS, O. Os gestos. Rio de Janeiro: José Olympio, 1957.

_________ Nove, novena. São Paulo: Martins, 1966.

_________ Guerra sem testemunhas. O escritor, sua condição e a realidadesocial. São Paulo: Martins, 1969.

MERQUIOR, J.G. Papo livre sobre prosa brasileira. Minas Gerais

Suplemento Literário. 26-05-1973, p. 6-8.

NUNES, B.Narração a muitas vozes. Suplemento Literário de O Estado

de São Paulo. 04-02-1967.

ROSENFELD, A. O olho de vidro de Nove, Novena. Suplemento Literário

de O Estado de São Paulo. 05-12-1970.

ROSENFELD, A.O olho de vidro de Nove, Novena II. Suplemento Literário

de O Estado de São Paulo. 12-12-1970.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN (versão eletrônica): 2176-1841