https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/issue/feed Revista Eventos Pedagógicos 2022-12-27T13:25:34+00:00 Ralf Hermes Siebiger eventospedagogicos@unemat.br Open Journal Systems <p>A Revista Eventos Pedagógicos é uma publicação semestral vinculada à disciplina de Eventos Científicos da Metodologia de Pesquisa Educacional do Curso de Pedagogia da Faculdade de Educação e Linguagem da Universidade do Estado de Mato Grosso. Tem como objetivo incentivar e divulgar a produção científica da graduação e pós-graduação além de promover a socialização de artigos nas áreas de Educação, Ensino, Letras / Linguística e Sociologia.</p> <p>ISSN: 2236-3165</p> <p>DOI: 10.30681/2236-3165</p> https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/6431 INTERLOCUÇÕES ENTRE OS ESTUDOS CULTURAIS, A EDUCAÇÃO E OS ESTUDOS DECOLONIAIS: 2022-07-29T15:17:25+00:00 Maria Lúcia Castagna Wortmann wortmann@terra.com.br Janete Rosa da Fonseca janete.fonseca@ufms.br <p>Esta edição da Revista Eventos Pedagógicos, tem como temática os Estudos Decoloniais. Os objetivos da entrevista oportunizam aos leitores e pesquisadores da área reconhecer a importância dos Estudos Decolonais para o entendimento das dinâmicas sociais e, em particular para a nossa área de interesse que é a Educação, da mesma forma pretende, estabelecer os pontos de encontro entre os Estudos Culturais e a Decolonialidade. &nbsp;A escolha de nossa entrevistada, Dra. Maria Lúcia Castagna Wortmann, deve-se às pesquisas e publicações na área dos Estudos Culturais na Educação e de sua grande e expressiva experiência na graduação e na Pós-graduação.Os estudos decoloniais enfatizam a importância de assumirem-se práticas, experiências e saberes gestados para além do eurocentrismo, interessando-se pelo entendimento dos processos de construção de relações de poder-saber, bem como pela desconstrução de postulações gestadas na racionalidade moderna, encontrando muitas possibilidades de diálogo entre as práticas assumidas nos Estudos Culturais e nos Estudos Decoloniais.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/10654 OS POVOS INDÍGENAS E A EDUCAÇÃO DECOLONIAL 2022-12-22T15:53:09+00:00 Antonio Hilario Aguilera Urquiza hilarioaguilera@gmail.com 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/6433 IDENTIDADE, DECOLONIALIDADE, INTERCULTURALIDADE E A CONSTRUÇÃO DE UMA IDEIA DE NAÇÃO NA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA 2022-10-24T19:29:21+00:00 Adecir Pozzer pozzeradecir@hotmail.com Suzan Alberton Pozzer suzanalberton@hotmail.com <p>O presente artigo tece uma reflexão sobre o processo de construção de uma “identidade” nacional por meio da educação, emprendida por duas gerações de intelectuais brasileiros (1920-1940). Diante da dificuldade de definição da ideia de nação, o esforço de intelectuais e políticos foi direcionado ao branqueamento da população e incorporação de discursos pré-estabelecidos sobre o “ser brasileiro”. Este projeto se mostrou incapaz de reconhecer a diversidade cultural forjada ao longo da história. Frente a estas constatações, a decolonialidade do saber e a interculturalidade tem contribuído com o reconhecimento histórico e crítico das identidades, saberes e valores constitutivos do povo brasileiro. Para tanto, assume-se a perspectiva metodológica histórico-hermenêutica a fim de ampliar os horizontes de compreensão acerca das concepções e práticas que, devido ao seu caráter hegemônico, acabam por reproduzir invisibilizações e subaltenidades de brasileiros pertencentes a grupos ou culturas periféricas. Neste sentido, consideramos que a educação precisa se converter em uma plataforma de recuperação da palavra, para que as pessoas possam agir autônoma e responsavelmente para gerar <em>trans-</em>formações, tanto de <em>si</em>, quanto do <em>outro </em>e dos contextos. </p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/6411 UMA PERSPECTIVA DECOLONIAL NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES INDÍGENAS: 2022-09-12T20:32:08+00:00 Ailton Salgado Rosendo profailtonsr@gmail.com Janete Rosa da Fonseca janete.fonseca@ufms.br <p>Este texto versa sobre a formação de professores indígenas no estado de Mato Grosso do Sul, sendo este fruto da nossa tese de Doutorado do Programa de Pós Graduação da Universidade Católica Dom Bosco. Para a produção e análise dos dados, a metodologia foi estruturada a partir da concepção das pesquisas pós-críticas em educação. Fez-se a produção de dados por meio da revisão bibliográfica, de análises documentais. As análises pertinentes a questão dos direitos e as mudanças que se processam a partir da relação com uma educação formulada por não indígenas, foram abordadas, a partir de diferentes campos do saber, numa perspectiva decolonial, onde autores dos Estudos Culturais, em articulação com os Estudos Pós-Coloniais e Estudos da Modernidade/Colonialidade, deram sustentação teórica, a construção do referido texto. O objetivo foi buscar o entendimento quanto à implantação do Curso de Licenciatura Intercultural Indígena Teko Arandu, ofertado pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Os resultados apontam que, o Curso de Licenciatura Intercultural Indígena Teko Arandu da UFGD atendeu às exigências de uma formação específica e diferenciada dos professores indígenas das etnias Guarani e Kaiowá da Aldeia Amambai, egressos do referido curso, obedecendo à interculturalidade frente ao PPC (2006), porém com lacunas após a reformulação desse PPC.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/6423 CONTRAPONTOS ENTRE O ENSINO DE ARTES VISUAIS E O CURRÍCULO SOB UMA PERSPECTIVA DECOLONIAL 2022-11-22T20:14:54+00:00 Amanda Mamede amandamamede95@gmail.com <p>Este trabalho versa sobre resultados da análise de conteúdo em recortes selecionados do Referencial Curricular da Rede Municipal de Ensino (Reme) de Campo Grande-MS, a partir de uma abordagem qualitativa e busca problematizar as questões contrastantes entre o ensino de artes visuais na educação básica sob um viés decolonial e as orientações e diretrizes curriculares que o Referencial apresenta. Tais questões são ancoradas, sobretudo, na relação hierárquica entre os referenciais europeus e estadunidenses, que são privilegiados, em detrimento dos latino-americanos, bem como na concepção do ensino de arte como disciplina de História da Arte. A discussão e a ampliação destas questões viabilizam a compreensão de qual concepção de arte e de ensino de arte está inscrita no documento e, portanto, reflete nos processos de ensino-aprendizagem. Neste cenário, considera-se que algumas ausências corporificadas no documento produzem, simultaneamente e de modo bastante complexo, um limitante do potencial de transformação da arte, na perspectiva da arte/educação e do ensino de arte de viés decolonial; e uma maior responsabilização e margem de agência docente.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/10637 SABERES AMBIENTAIS NA PERSPECTIVA DOS ESTUDOS DECOLONIAIS NO CONTEXTO DE CRISE SOCIAMBIENTAL NA REGIÃO CENTRO-NORTE - SINOP, MATO GROSSO, BRASIL 2022-12-18T17:02:23+00:00 Caroline Mari de Oliveira Galina caroline.mari@unemat.br <p>O objetivo deste estudo qualitativo é compreender a coexistência de saberes ambientais no contexto de crise socioambiental que se instalou na região Centro-Norte-Sinop, Mato Grosso-Brasil, após a década de 1970. Gerou-se deste processo intensa dinâmica territorial, desflorestamento induzidos por atividades extrativistas, movimentação de fauna e flora, mercantilização das riquezas naturais e negação da diversidade cultural e epistemológica preexistente. Os estudos decoloniais encontram suas possibilidades no diálogo de saberes para promoção da racionalidade ambiental, na percepção da coexistência de diferentes culturas e de diferentes saberes ambientais construídos em coevolução com a natureza neste território-ambiente.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/6450 A PRESENÇA DOS POVOS INDÍGENAS NO ENSINO SUPERIOR: 2022-10-25T12:22:19+00:00 Fátima Cristina Duarte Ferreira Cunha fatima.cunha@ufms.br David Arenas Carmona dav.are.car@gmail.com <p>Este estudo emergiu de discussões, reflexões e pesquisas que nos mostram a importância da inserção dos povos indígenas no ambiente universitário. A necessidade de agregar conhecimentos outros aos conhecimentos universais, promovendo assim avanços epistêmicos e metodológicos mesmo ainda dentro de uma estrutura eurocêntrica de conhecimento. Metodologicamente trata-se de uma pesquisa bibliográfica com procedimento técnico da pesquisa de campo e para a coleta de dados utilizou-se da realização de entrevistas. Com objetivo de mostrar que a universidade é um espaço que além de formação é também um espaço de luta e de resistência para os povos originários que foram subalternizados ao longo dos anos.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/6445 O SUJEITO SURDO E AS PRÁTICAS INCLUSIVAS NA UMBANDA E CANDOMBLÉ 2022-09-12T20:53:41+00:00 Flávio Pentado de Souza flavio.p.souza@ufms.br <p>Este artigo é fruto da disciplina de Antropologia da Religião do Mestrado de Antropologia Social da UFMS. O estudo tem como finalidade apresentar um panorama sobre a acessibilidade linguística e as relações religiosas nas religiões de matriz africana no Brasil, a partir do olhar dos sujeitos surdos e tradutores intérpretes de Libras. A questão central é trazer a discussão como ocorre e se ocorre a acessibilidade e inclusão as pessoas surdas nas práticas religiosas de candomblé e umbanda, para isso, utilizamos a abordagem qualitativa, e por meio de formulários do <em>google forms</em> questionamos 11 sujeitos, 4 surdos e 6 ouvintes. A pesquisa foi realizada no ano de 2020 de forma remota devida à pandemia do COVID-19 e os sujeitos participantes da pesquisa residem na Bahia, Mato Grosso, São Paulo, Minas Gerais, Pernambuco, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro e o Distrito Federal. Podemos observar que a cosmovisão e as práticas religiosas se relacionam em diversos estados e os processos inclusivos nem sempre são os mesmos e somente ter alguém que saiba a língua dos sujeitos (o intérprete de Libras), nem sempre isso significa que a inclusão de fato ocorre.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/6421 O PENSAMENTO DECOLONIALISTA DO SINCRETISMO DO VALE DO AMANHECER 2022-10-25T12:19:55+00:00 José Paulo dos Santos Rosas de Castro paulocastroslz@gmail.com <p>Este artigo apresenta uma pesquisa etnográfica em andamento sobre o pensamento decolonialista presente no sincretismo religioso do culto do Vale do Amanhecer. Esta doutrina espiritualista representa uma transformação sincrética do multiculturalismo religioso brasileiro. A pesquisa analisará o pensamento decolonialista dentro deste universo simbólico que é parte significativa da cultura brasileira. Objetivamos também explicar a história do Vale do Amanhecer; compreender a união do pensamento decolonialista entre as diversas diásporas; explicar se e como aconteceu o vencimento do determinismo das religiões originárias e identificar as permanências, resistências e negações aos moldes hegemônicos das religiões originais. Acreditamos na hipótese de que se revelarão pensamentos de resistência decolonial, expostos pelos ritos e signos do culto. Os sincretismos brasileiros podem se apresentar como formas de resistência decolonial que criam novas realidades, com sentimentos de mais integração social do sujeito.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/10638 A INQUESTIONÁVEL BELEZA DO CABELO AFRO: 2022-12-18T17:08:25+00:00 Leide Laura dos Santos leidelauradossantos28@gmail.com <p>Esta pesquisa objetivou analisar o impacto do racismo na construção da identidade da mulher negra. Buscou-se nessa pesquisa, investigar o porquê de o cabelo afro ser visto e tratado com adjetivos pejorativos e refletir sobre os conflitos das relações raciais no Brasil. A partir de uma revisão bibliográfica e da transcrição de depoimentos de influenciadoras negras, que estão disponibilizados nas redes sociais chegou-se à conclusão que as mulheres negras enfrentam o preconceito e a discriminação estética e usam seus cabelos como um ato de resistir e lutar contra tudo isso e para mostrar ao mundo sua beleza.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/6439 A UNEMAT E A PEDAGOGIA DECOLONIAL: 2022-10-25T12:20:55+00:00 Loriége Pessoa Bitencourt loriege.pessoa@unemat.br <p>Neste artigo, recorte de uma pesquisa de pós-doutoramento, tem-se o objetivo de identificar as ações de ensino de graduação de modalidade diferenciada, desenvolvidas pela Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) ao longo de sua trajetória histórica de fortalecimento enquanto uma das Instituições de Educação Superior (IES) pública de Mato Grosso, o que permitiu a inclusão dos povos marginalizados e verificar as peculiaridades que aproxima essas instituições do Pensamento Decolonial. A pesquisa, de cunho bibliográfico e documental, funda-se na literatura dos principais aportes teóricos sobre a Educação Superior, Pedagogia Universitária e a Pedagogia Decolonial.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/6440 COMPREENDENDO A DECOLONIALIDADE NO ÂMBITO DE PAULO FREIRE 2022-11-04T15:04:18+00:00 Racquel Valério Martins racquelvm@gmail.com <p>Este artigo foi elaborado a partir de uma apresentação para a 40ª. Reuniao da ANPED, em conjunto com o Programa de Pós-graduação em Educação da UECE e logo na mesma linha foi feita uma exposição no II <em>Congreso Iberoamericano Educación, Sociedad y Cultura</em> da Universidade de Manizales na Colombia e outra durante uma reunião do Grupo de Pesquisa de Estudos Decoloniais – GPED da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS. Todos eles foram trabalhos, nos quais buscamos compreender a decolonialidade, com a tentativa de relacionar esta experiência transformadora reafirmando a importância do pensamento freireano para a educação, a partir de um diálogo envolvendo as idéias de Mota Neto (2015) e Catherine Walsh (2017). Para tanto, a partir de uma revisão bibliográfica e interpretativa, explicamos o que seria a decolonialidade, retomamos alguns pontos de convergência entre a obra de Paulo Freire “Pedagogia do Oprimido” (1968) y a perspectiva decolonial, pois a referida obra de Freire converge com algumas das principais matrizes críticas de pensamento latinoamericano das últimas décadas. Não é demasiado insistir nessa temática muitas vezes mais… porque os momentos políticos são, cada vez mais complexos e embora as mudanças propostas nos discursos se distanciam do neoliberalismo, acabam por fortalecer o neoextrativismo e a criminalização dos protestos por exemplo. No entanto, apesar de toda ameaça, não cessam os movimentos indígenas e afrodescendentes como verdadeiras lutas de decolonização, das quais temos muito a aprender, desaprender, reaprender para então atuar.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/6442 DESCOLONIZAR NA CONTEMPORANEIDADE: 2022-10-24T19:21:49+00:00 Renato Alves Vieira de Melo auditorrenato@gmail.com <p>Temos como propósito neste trabalho evidenciar a construção de um conhecimento sustentável na busca de se verificar os desafios epistemológicos com uma abordagem decolonial, e contribui para esse conhecimento. Oportuno enfatizar, que o mundo atual esta indo para o abismo, e as mazelas da colonialidade, deve ser orientada para a resolução de problemas concretos da descolonização, ou seja, devemos ter uma superação do processo colonial, através de um enfoque do pensamento decolonial. Verifica-se que as sociedades exploradas para evoluir necessitam subsistir socialmente, visando superar o colonialismo e suas relações, o que caracteriza o objetivo para encontrar as possibilidades e os meios para alterar a maneira de convivência, romper com o descolonial e a opressão que há causado. Desse modo, a partir de um estudo bibliográfico, descritivo qualitativo, aportado por um contexto interdisciplinar, se evidencia um saber descolonial na contemporaneidade, mas não somente tendo como característica a sua conceituação, mas a possibilidade de entendimento e compreensão através da sustentabilidade como fonte de estudo para conseguir as transformações para os dias atuais, tendo em conta, o desenvolvimento e o bem-estar dentro de um enfoque descolonial.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/6418 DIFERENTES LINGUAGENS E REPRESENTAÇÕES NO DIÁLOGO COM PROFESSORES(AS) E ACADÊMICOS(AS) EM CONDIÇÃO DE DEFICIÊNCIA SOBRE SUAS EXPERIÊNCIAS COM A INCLUSÃO NO ENSINO SUPERIOR 2022-11-04T15:02:46+00:00 Rita de Fátima da Silva Rosas de Castro rita.fatima@ufms.br <div> <p>Os aspectos que envolvem a inclusão de acadêmicos(as) público da Educação Especial no ensino superior é a temática do estudo em desenvolvimento. Desta forma o objetivo geral é produzir conhecimento sobre estas realidades de modo a sustentar reflexões e intervenções face a obstáculos que se colocam à construção de uma universidade inclusiva e capaz de positivamente responder a estes desafios. O método é de estudo exploratório junto a professores do Ensino Superior e estudantes com deficiência. Almeja como resultado produzir coletivamente uma ressignificação, um aporte teórico e prático para superação das demandas que serão apontadas pelos sujeitos/as colaboradores/as na pesquisa.</p> </div> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/6460 DIÁLOGOS DECOLONIAIS: 2022-09-28T14:37:11+00:00 Valéria dos Santos de Oliveira valeriaso238@gmail.com Liliane Cristine Schlemer Alcântara lilianecsa@yahoo.com.br Flávio Bezerra Barros flaviobb@ufpa.br <p>Vivências em cenários complexos como os que ocorrem no sistema capitalista vigente, instigam e demonstram a possibilidade de diálogos decoloniais, neste sentido o Bem Viver apresenta-se como alternativa ao desenvolvimento econômico, visto como sinônimo de crescimento e caminha para a convivência em harmonia com valorização e troca de saberes interculturais. Neste contexto, este artigo tem como objetivo analisar o campo semântico do Bem Viver associado a experiências práticas de políticas públicas de ações afirmativas interculturais indígenas em países da América Latina (Brasil, Bolívia e Equador), em contraposição à crise civilizatória. A metodologia é pautada na pesquisa qualitativa, exploratória/descritiva e na revisão teórica crítica (diálogos decoloniais, bem viver, ecoeducação, educação intercultural), com levantamento bibliográfico, documental e experiências. O aporte teórico baseou-se nos autores Ailton Krenak, Alberto Acosta, André Baniwa, Angélica <em>Domingos</em> <em>Ninhpryg</em>, Aníbal Quijano, Carlos Alberto Sampaio, <strong>Carlos Walter </strong>Porto-Gonçalves, <em>Catherine </em>Walsh, Eduardo Gudynas, Leonardo Boff, Liliane Schlemer Alcântara, Pablo Solón, Serge Latouche e Walter Mignolo. Os resultados apontam para experiências expressivas de educação como a das Universidades e Faculdades interculturais indígenas que demonstram a possibilidade de aproximações, de imersões e desconstruções. Neste cenário, mostra-se possível o Estado pensar na atuação do Poder Público para a criação de mecanismos e políticas públicas inclusivas pautadas em perspectivas outras que valorizem as alteridades em suas especificidades e caminhe para um lugar mais justo, equitativo no viés contra hegemônico. A pesquisa pode contribuir para reflexões, diálogos, visibilidade e respeito aos povos originários e as comunidades tradicionais; a concepção do Bem Viver e outros diálogos decoloniais.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/10636 Introdução 2022-12-18T16:54:46+00:00 Glenda Vilena Lisboa glenda.lisboa@unemat.br Janete Rosa da Fonseca janete.fonseca@ufms.br Caroline Mari de Oliveira Galina caroline.mari@unemat.br Ralf Hermes Siebiger ralf@unemat.br <p>Introdução.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/10534 DIFICULDADES NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO DE ALUNO COM DEFICIÊNCIA AUDITIVA 2022-11-29T12:47:38+00:00 Aline Karina Queiroz Faustinelli Damasceno aline.karina@unemat.br <p>O presente artigo aborda a questão das dificuldades enfrentadas pelo aluno com deficiência auditiva, que faz uso de implante coclear, em seu processo de alfabetização e letramento, considerando sua característica de ser uma criança oralizada e não usuária da Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS). Esse trabalho se fundamentou teoricamente nas autoras Magda Soares, Maria Cristina Fonseca Redondo e Josefina Martins Carvalho, Alessandra Gotuzo Seabra e Fernando César Capovilla, Rebecca Jucksch Torquato, Gladi Inês Gatto e Tania Maria Tochetto. Metodologicamente, trata-se de um estudo de caso, de natureza qualitativa, com uma abordagem descritiva baseada em observação, a partir dos aspectos relacionados à deficiência auditiva, aprendizagem, leitura e escrita. Conclui-se que a alfabetização da criança deficiente auditiva, ouvinte, porém, através de aparelho auditivo e implante coclear, é um processo permeado por muitas dificuldades, desde o ambiente em que esse processo acontece, devido aos sons externos.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/10533 TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE (TDAH): 2022-11-29T12:37:25+00:00 Angela Gabriela Morschberger de Oliveira angela.oliveira@unemat.br <p>Neste trabalho, apresentamos a análise das estratégias de ensino- aprendizagem que são utilizadas com alunos com TDAH do 1º ao 5º ano no município de Feliz Natal/MT, tendo como objetivo verificar o que avaliam ser necessário para se trabalhar com esses alunos. Esse artigo foi fundamentado em Russel Barkley, Marília Piazzi Seno, Sandra Rief e nas orientações da Associação Brasileira de Déficit de Atenção (ABDA). A abordagem de pesquisa foi qualitativa, por meio da aplicação de questionário com os professores no primeiro semestre de 2022. Concluímos que o trabalho realizado pelos professores tem base empírica e se relaciona com a teoria devido às experiências.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/10535 FORMAÇÃO CONTINUADA PARA ATUAR COM ALUNOS SURDOS 2022-11-29T12:53:37+00:00 Carolina Oliveira Bilheri carolina.bilheri@unemat.br <p>Este artigo discute como ocorre o processo de formação continuada de professores que atuam com alunos surdos, tendo como objetivo compreender quais possibilidades de formação são ofertadas para os professores e se essas são suficientes para sua atuação com esses alunos. A discussão foi fundamentada teoricamente em Vilma Geni Slomski e Ronice Muller de Quadros Lodenir Becker Karnopp. A metodologia baseou-se em uma abordagem qualitativa, mediante entrevistas semiestruturadas com quatro professores da rede pública de Sinop-MT, realizadas no primeiro semestre de 2021. Conclui-se que as formações ofertadas são suficientes para atuação em sala, apesar de serem superficiais em questões práticas.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/10536 DINÂMICA DAS RELAÇÕES FORMATIVAS NO ÂMBITO DO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA PEDAGÓGICA 2022-11-29T13:00:33+00:00 Celina Beregula celina.beregula@unemat.br <p>O presente artigo aborda as relações formativas no âmbito do Programa de Residência Pedagógica (PRP) no Curso de Pedagogia da Universidade do Estado de Mato Grosso em Sinop, tendo como objetivo explanar sobre a influência dessas relações na formação docente no período da pandemia da COVID-19. A pesquisa teve como aporte teórico António Nóvoa, Demeval Saviani e Paulo Freire. A metodologia baseou-se em abordagem qualitativa mediante entrevistas semiestruturadas realizadas entre 2021/02 e 2022/2 com seis sujeitos que participaram do PRP entre 2020 e 2022. A pesquisa evidenciou fragilidades do PRP no período estudado, as quais resultaram no que escolhemos chamar relações formativas tecnicistas.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/10537 A DIVERSIFICAÇÃO DOS ESPAÇOS NA PROMOÇÃO DA APRENDIZAGEM 2022-11-29T13:05:51+00:00 Daniela Cristina Pereira da Costa daniela.cristina@unemat.br <p>Este artigo relata sobre a funcionalidade dos espaços externos às salas de aula no processo de ensino aprendizagem de crianças do segundo ano do Ensino Fundamental. O aporte teórico utilizado na pesquisa apoiou-se nas autoras Maria da Graça Horn e Léa Tiriba. A metodologia baseou-se em abordagem qualitativa, por meio de questionários aplicados com quatro professores atuantes nessa etapa de ensino, realizados no primeiro semestre de 2021. Diante das narrativas coletadas, verificou-se que a utilização dos espaços externos escolares quando planejados com intencionalidade pedagógica pode contribuir na construção de novos saberes e novas experiências, tornando-se uma ferramenta educacional.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/10538 A CONTRIBUIÇÃO DA CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL: 2022-11-29T13:12:00+00:00 Elizabete Hickmann Presotto elizabete.presotto@unemat.br <p>Esse artigo apresenta uma discussão sobre o aporte da contação de histórias e a relevância da ludicidade na educação infantil com crianças de 0 até 6 anos. A temática teve fundamentação teórica em Paulo Freire e na Base Nacional Comum Curricular (BNCC). A pesquisa, de cunho qualitativo, foi desenvolvida por meio da aplicação de questionários e realização de entrevistas, no primeiro semestre de 2021, com bolsistas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) que participaram do projeto nos anos de 2018 e 2019 na Escola Municipal de Educação Infantil “Tempo de Infância”. Como resultado, as ações contribuíram para o ensino aprendizagem tanto das crianças, como para a formação docente.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/10551 GESTÃO ESCOLAR: 2022-11-29T14:48:25+00:00 Gabriela Vieira de Almeida gabriela.almeida@unemat.br <p>Neste artigo buscamos discutir sobre a gestão democrática e participativa e a sua vivência na prática. Para conduzir a pesquisa, buscou-se aporte teórico nas leis que normatizam a ação e em estudiosos como João Catarin Mezomo e Paulo Freire. Elaborou-se um estudo qualitativo, realizando-se entrevistas com a professora, o coordenador pedagógico e a diretora de uma escola municipal e outra estadual da rede pública de Sinop, nos anos de 2021 e 2022. Com base nos dados coletados, evidenciou-se que alguns princípios da gestão democrática e participativa têm sofrido alterações que comprometem sua base e preocupam os profissionais de educação.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/10540 VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER EM TEMPOS DE PANDEMIA NO MUNICÍPIO DE SINOP/MT 2022-11-29T13:30:39+00:00 Glenda Vilena Lisboa glenda.lisboa@unemat.br <p>Este trabalho aborda o tema da violência contra a mulher em tempos de pandemia no município de Sinop/MT, com o objetivo de realizar um levantamento de dados e mostrar à importância de se discutir sobre esse assunto em qualquer ambiente. Os autores que embasaram teoricamente a pesquisa foram Maria Aparecida Medrado, Jayme Paviani e a abordagem foi qualitativa, por meio de questionários aplicados a dez mulheres da cidade, no segundo semestre de 2021. Os resultados apontam os tipos de violência doméstica sofridas pelas mulheres e que há a necessidade de aplicabilidade de punições mais rigorosas em relação aos agressores.</p> <p>&nbsp;</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/10541 CULTURA INDÍGENA NO CONTEXTO ESCOLAR: 2022-11-29T13:36:32+00:00 Hemely Suelen dos Santos Ojeda hemely.ojeda@unemat.br <p>O presente artigo apresenta o resultado de uma pesquisa que buscou explorar e compreender as metodologias didáticas pedagógicas utilizadas para se trabalhar a cultura indígena nos anos inicias do ensino infantil de uma escola municipal de Sinop/MT, considerando a Lei nº 11.645/2008. A fundamentação teórica teve como alicerce os autores Danilo Gandin, Fernando Hernández, Denise Bandeira, Romeu Kazumi Sassaki, Magda Becker Soares, Marcos Fonseca, Carolina Silva e Alexsandra Fernandes. A metodologia se deu mediante a realização de entrevista semiestruturada com uma gestora de uma escola pública da cidade de Sinop, Mato Grosso, no primeiro semestre de 2022. Conclui-se que a escola utiliza e preza por metodologias que abrangem o conteúdo de fácil entendimento dos mesmos, que os leve à forte reflexão do tema</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/10542 JOGOS DIGITAIS E O POTENCIAL PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL 2022-11-29T13:40:51+00:00 Irene Kristoschik dos Santos kristoschik.irene@unemat.br <p>Este artigo apresenta uma investigação sobre os jogos digitais e sua utilização no processo de ensino - aprendizagem na educação infantil. A pesquisa tem como aporte teórico a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e José Manoel Moran. A metodologia utilizada consistiu em uma pesquisa bibliográfica com publicações de artigos indexados em revistas, teses, dissertações, comunicações orais e trabalhos de conclusão de curso, disponíveis nas bases de dados Capes, Scielo, Google acadêmico e Repositórios Acadêmicos, sendo um recorte temporal de dez anos, de 2010 a 2021. Concluiu-se que os jogos digitais possuem potencial pedagógico, podendo auxiliar no ensino aprendizagem na educação infantil.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/10543 OS INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: 2022-11-29T13:56:36+00:00 Jéssica Vitorino Machado jessica.vitorino@unemat.br <p>O presente artigo, traz reflexões sobre os instrumentos de avaliação por meio de registros pedagógicos na educação infantil. Para realizar o processo de discussão e análises, pautou-se em autores como Tonello e em documentos oficiais. Adotou-se como metodologia a abordagem qualitativa por meio de aplicação de questionário a professores da que atuam na Educação Infantil em uma escola no Município de Sinop, Mato Grosso, realizadas no segundo semestre de 2021. A pesquisa constata que o processo de avaliação na Educação Infantil deve acontecer de uma maneira que a criança seja protagonista do seu processo, permitindo que elas acompanhem seu próprio desenvolvimento físico, cognitivo, social e afetivo.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/10544 A MÚSICA E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO SOCIOAFETIVO E COGNITIVO NA EDUCAÇÃO INFANTIL 2022-11-29T14:01:13+00:00 Joseane Pall Dombski joseane.dombski@unemat.br <p>Esse artigo relata a importância da música e suas contribuições para o desenvolvimento socioafetivo e cognitivo de crianças na Educação Infantil, tendo como objetivo ressaltar o papel didático da música quando utilizada como recurso pedagógico. A pesquisa foi fundada teoricamente em Vera Pessagno Bréscia, Lev Semenovich Vygotsky e Henry Wallon. A metodologia baseou-se em uma abordagem qualitativa mediante entrevistas semiestruturadas com professores de uma escola de Educação Infantil, do município de Sinop/MT, realizadas no primeiro semestre de 2022. Conclui-se que a utilização da música na Educação infantil é uma ferramenta pedagógica capaz de viabilizar o desenvolvimento socioafetivo e cognitivo da criança.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/10545 FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE LÍNGUA PORTUGUESA E AS PRÁTICAS DE LETRAMENTO CRÍTICO 2022-11-29T14:05:47+00:00 Josiane dos Santos Reis Chaves josiane.santos1@unemat.br <p>Este artigo apresenta um recorte de pesquisa realizada junto ao projeto intitulado “Formação Crítica de Professores de Língua Portuguesa em Ambientes <em>On-line</em>”, com o objetivo de analisar as práticas de letramento crítico na formação de professores. Referendamos o artigo com os escritos de Roxane Rojo, Dánie Marcelo de Jesus e Divanize Carbonieri entre outros. Trata-se de uma pesquisa qualitativa com ênfase nos princípios da pesquisa documental. A formulação do <em>corpus</em> analítico compõe-se das práticas informadas nos excertos de materiais produzidos durante o projeto.&nbsp;Os resultados demonstraram que esta formação se constitui referência para a prática em letramentos críticos, como evidenciou a temática na perspectiva de promover reflexões das realidades da sociedade.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/10555 TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇAO E HIPERATIVIDADE: 2022-11-30T19:43:55+00:00 Josilene Costa Soares josilene.soares@unemat.br <p>Esse artigo aborda o tema Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), com objetivo de compreender, quais as dificuldades a criança com esse transtorno enfrenta na pré-escola. Os autores que contribuíram com a pesquisa foram Ana Beatriz Barbosa Silva e Alexandre Prufer de Queiroz Campos Araujo. A pesquisa foi realizada por meio de entrevistas com duas professoras da rede municipal de Sinop/MT no ano de 2022. Segundo a análise, o TDAH tem comportamento que difere das demais crianças e precisa de uma metodologia de ensino diferenciada, na qual possa desenvolver suas habilidades e sua aprendizagem. Para isso, o professor precisa conhecer todas as características do TDAH<strong>. </strong></p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/10546 A FORMAÇÃO DA GESTÃO REFERENTE À PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS 2022-11-29T14:13:44+00:00 Lenilza da Silva lenilza.silva@unemat.br <p>Este artigo aborda as concepções e a formação da gestão referente à prevenção ao uso de drogas. O objetivo é analisar se os gestores estão capacitados para lidar com os problemas causados pelas drogas no ambiente escolar. O alicerce desta pesquisa tem como fundamentação teórica Flávio Gikovante, Jaqueline de Oliveira Florindo e Rosimery Pereira. A pesquisa foi realizada por meio de entrevistas semiestruturadas com gestores de instituições escolares municipais e estaduais de Sinop/MT. Analisamos que não é possível, a gestão escolar lidar sozinha com a problemática das drogas, mas é necessário um trabalho em conjunto da escola, família e sociedade.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/10554 A HERANÇA CULTURAL E A DESIGUALDADE ESCOLAR 2022-11-30T19:34:55+00:00 Luciana Barbosa da Silva luciana.barbosa@unemat.br <p>O presente artigo discute aspectos relacionados à renda familiar, escolaridade dos pais e importância que os pais dão aos estudos de seus filhos, tendo como pano de fundo a perspectiva da herança cultural, de Pierre Bourdieu. A pesquisa foi realizada numa abordagem qualitativa, por meio de questionários aplicados a 21 alunos do 5º ano de uma escola pública municipal. Os resultados da pesquisa apontam que, embora a escolaridade dos pais seja um fator determinante na renda familiar, esses pais, independentemente do nível de escolaridade, se importam com os estudos dos filhos, enxergando nos mesmos um meio para a ascensão social.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/10547 A INICIAÇÃO A DOCÊNCIA PELA EXPERIÊNCIA NO PIBID 2022-11-29T14:25:05+00:00 Lucimeire de Araújo da Cruz lucimeire.araujo@unemat.br <p>O presente artigo apresenta resultados de uma pesquisa que investigou o processo de iniciação à docência pela experiência no Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) com o objetivo de compreender o quão é importante essa vivência dessa prática para a formação do professor. A pesquisa se fundamenta teoricamente Lev Semionovitch Vygotsky que relata o desenvolvimento da inteligência motivado no resultado da aprendizagem. A metodologia baseou-se em abordagem qualitativa, por meio de entrevistas com pibidianas que estagiaram em escolas públicas do município de Sinop/MT, realizadas no segundo semestre de 2022. Conclui-se que esses programas de estágio propiciam oportunidades para os alunos vivenciarem realmente o papel do professor, contribuindo em sua formação.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/10548 TECNOLOGIAS APLICADAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL NA PANDEMIA DA COVID-19 2022-11-29T14:33:47+00:00 Marcia Fontes Saraiva Maciel marcia.fontes@unemat.br <p>O presente artigo apresenta uma pesquisa que buscou analisar as tecnologias da informação e comunicação que foram utilizadas nas práticas pedagógicas na educação infantil durante o período de ensino remoto, dadas as circunstâncias da pandemia da COVID-19. Buscou-se, para tanto, compreender como se deu a atuação dos professores frente ao processo de ensino e aprendizagem nesse contexto. A metodologia caracterizou-se por um levantamento, de abordagem qualitativa, por meio de entrevistas com professores numa escola da rede pública do município de Sinop/MT, no primeiro semestre de 2022. Conclui-se que a tecnologia contribuiu significativamente no período da pandemia, um aprendizado alternativo, dando continuidade no processo de ensino. Permitindo a criação de novos métodos, de forma, a tornar as aulas remotas possíveis e atrativas, auxiliando na interação professor/aluno.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/10549 A FORMAÇÃO CONTINUADA SOB O VIÉS DO LETRAMENTO CRÍTICO PARA PROFESSORES DE LÍNGUA PORTUGUESA 2022-11-29T14:38:10+00:00 Marcia Teotônio de Mendonça marcia.mendonca@unemat.br <p>Este artigo aborda as contribuições que o projeto de pesquisa “Formação Crítica de Professores de Língua Portuguesa em ambientes <em>on-line</em>”, trazem para a atuação docente na educação básica. A pesquisa está embasada teoricamente em Ana Paula Martinez Duboc e Clarissa Menezes Jordão. Metodologicamente, trata-se de uma abordagem qualitativa, desenvolvida por meio de questionários, elaborados no <em>Google Forms</em>, e aplicados a cinco professores, participantes do curso, no ano de 2021. Os resultados apontam que os professores vivenciaram na prática os resultados da Formação Continuada, tendo como precursor o Letramento Crítico nas suas ações pedagógicas.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/6438 FORMAÇÃO DOCENTE E PEDAGOGIA TRIANGULAR: 2022-07-30T18:59:57+00:00 Richele Timm dos Passos da Silva richelertps@gmail.com <p>A formação docente é pauta significativa quando se trata em discutir a educação como meio para a convivência hospitaleira. Os fundamentos sócio-históricos e filosóficos que circundam a formação são basilares para a construção de um sujeito crítico. Problematiza-se a perspectiva positivista frente ao modo de interpretar a vida humana como uma perspectiva instrumental monolíngue e monocultural. Essa compreensão colocou ênfase a apenas um aspecto da vida e atribuiu status menor às compreensões e saberes que não coadunam com o escopo unilateral da racionalidade. Restrita a esse padrão, a formação docente formata um profissional tecnicista e, por isso mesmo, desconectado do mundo da vida. Esse, idealiza uma concepção unilateral de escola, de aluno, de conhecimento e de formas de ensinar e gerir a escola. A perspectiva estereotipada dificulta a compreensão do Lebenswelt e de suas circunstancialidades. Os déficits na compreensão das realidades vividas é aspecto importante para a formação docente sendo possível detectar os malefícios que dificultam a dialogicidade entre as diferentes formas de pensar e construir uma educação plural. Ante a inconformidade dos processos formativos unilateralizantes e patologizante, o texto expõe, a partir de uma guinada epistemológica o significado de uma pedagogia com base em uma triangularidade. Tal proposta parte do deslocamento do eixo gravitacional e geocultural do Mediterrâneo ao Atlântico. A noção de triangularidade salienta que não há uma única forma de compreender o mundo e consolidar vínculos. Daí, então, a necessidade de se fazer uma justeza histórica e geo-cultural incluindo os olhares afro-ameríndios. A compreensão dos diferentes saberes perpassa a formação de um docente na perspectiva de uma justiça curricular prestada aos saberes até então não abordados nos cursos. Eduardo Gruner abre caminho a uma compreensão na qual todos os sujeitos possam falar e tenham a voz na construção de uma convivência hospitalaria. O universalismo apresentado como única proposta de compreensão curricular não atende aos anseios de “todos”. Assim, a noção de Lebenswelt permite elucidar o que se entende por saber de mundo. Como diz Jovino Pizzi, la palabra saber hace referencia a aspectos culturales y formas de vida, y no simplemente el dominio de datos y aspectos cuantitativos. Ese saber compartido por los sujetos es reconocido en un horizonte determinado, en donde las interacciones son vislumbradas através de sus formas simbólicas y culturales de expresarse. São os saberes diversos que rompem com a colonialidade do poder/saber que Aníbal Quijano menciona. Ao romper com a unilateralidade da compreensão de mundo, a pedagogia triangular emprega um caráter multifacetado, uma polissomia de vozes e de saberes que reforçam a formação docente aberta à convivialidade. São os outros vértices do triângulo, outras vozes, outros lugares, que se apresentam na história. Por isso, se trata de maneira propositiva, uma transformação do modus operandi, ligada a outra conformação do mapa político-econômico, filosófico e cultural-educativo. Os contornos dessa operam na pluridiversidade de saberes, de compreensões nas maneiras de compreender o mundo da vida étnico culturais.</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos https://periodicos.unemat.br/index.php/reps/article/view/10634 Expediente 2022-12-18T16:47:38+00:00 Ralf Hermes Siebiger ralf@unemat.br <p>Expediente</p> 2022-12-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eventos Pedagógicos