Língua, semântica e história: a construção de sentidos sobre o delinquente

Débora Massmann

Resumo


A partir da perspectiva da Semântica Histórica da Enunciação ou Semântica do Acontecimento (Guimarães, 2002), este estudo se propõe a analisar a rede de significação que, historicamente, foi sendo produzida em torno da palavra “delinquente” na obra fundadora da criminologia científica. Interessa-nos analisar a reescrituração, um procedimento enunciativo que permite observar o modo como os sentidos vão se movimentando no acontecimento de dizer, colocando em funcionamento a memória, a história e o político.

Texto completo:

DOWNLOAD PDF (PORTUGUÊS)

Referências


ALBERGARIA, J. Noções de Criminologia. Belo Horizonte, Mandamentos, 1999.

BRÉAL, M. Ensaio de semântica. Campinas: Pontes, 2008.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir. Trad. Raquel Ramalhete. 18.Ed. Petrópolis: Vozes, 1998.

GUIMARÃES, E. Semântica do Acontecimento. Campinas: Pontes, 2002.

________. Os Limites do Sentido. 2.ed. Campinas: Pontes, 1995.

________. Textualidade e enunciação. In: Escritos 2. Publicação do Laboratório de Estudos Urbanos. Unicamp, (s/d). Disponível em . Acesso em 08 jul. 2019.

________. Textualidade e enunciação. In Série Escritos. Disponível em . Acesso em 10 jun. 2019.

KALUSZYNSKI, M. “Quand est née la criminologie ? ou la criminologie avant les Archives”, In Criminocorpus [En ligne], Histoire de la criminologie, 2. Thématiques et théories, mis en ligne le 01 janvier 2005. Acesso em 11 mai 2018. URL : .

LOMBROSO, C. L’homme criminel. Trad. MM. Régnier et Bournet. 4. Ed. Paris: Félix Alcan Éditeur, 1887.

RENNEVILLE, M. Les Archives d’anthropologie criminelle: une revue pour une Science. In Criminocorpus [En ligne], Histoire de la criminologie. Paris: Jan. 2005. Acesso: 11 mai 2018. URL : .

ORLANDI, E. P. Espaço da violência: o sentido da delinquência. In Cadernos de Estudos Linguísticos. Campinas, n51(2), Jul./Dez. 2009. p. 219-234

________. À flor da pele: indivíduo e sociedade. In: MARIANI, B. A escrita e os escritos: reflexões em análise de discurso e psicanálise. São Carlos: Claraluz, 2006.

RANCIÈRE, J. Entrevista com Jacques Rancière. In Ciência e Cultura. Disponível em . Cienc. Cult. vol.57 no.4 São Paulo Oct./Dec. 2005. Acesso em 15 jun. 2019.

SANTOS, G. L. Enunciação, designação e metáfora: um estudo sobre o político na linguagem. In Entremeios. n.6 Jan, 2013. Disponível em . Acesso em 08 jul. 2019.




DOI: https://doi.org/10.30681/2594.9063.2019v3n2id4356

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Débora Massmann

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADO EM:

         

  

 

 

 

 

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

This Journal is licenced by a  Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.