O ensino brasileiro e a relação com a democracia na enunciação do indígena

Marília Simplício Mairins, Rosimar Regina Rodrigues de Oliveira

Resumo


Este artigo tem como objetivo analisar nos enunciados constituídos pela resposta dada por um indígena, estudante de um curso de graduação da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, a um questionário constituído com o objetivo de compreender os sentidos do ensino do não indígena para o indígena, na sociedade brasileira. Para tanto foi utilizado o dispositivo teórico e metodológico da Semântica do Acontecimento ou Semântica da enunciação, conforme proposta por Guimarães (2002, 2005, 20111, 2018 etc.), em que recorrermos a conceitos como: espaço de enunciação, acontecimento, cena enunciativa, designação e outros, necessários às análises realizadas. Assim, analisamos o funcionamento semântico-enunciativo da palavra “ensino brasileiro” na relação com “democracia” na enunciação do indígena.

Texto completo:

DOWNLOAD PDF (PORTUGUÊS)

Referências


BRASIL, Ministério da Educação. Secretaria de educação Básica. Diretrizes e Bases da Educação Nacional. 5. ed. Brasília, 1996.

______. [Lei Darcy Ribeiro (1996)], LDB: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: lei n. 9394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. 5. ed. Brasília: Câmara dos Deputados, edições Câmara, 2010.

______. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Indígena na Educação Básica. CNE/CBE, Brasília: MEC/SEB, 2012.

______. Congresso Nacional. Constituição da República Federativa do Brasil, de 1988. Brasília: Assembleia Nacional Constituinte/Congresso Nacional, 1988.

JÚNIOR. Caio Prado. Formação do Brasil Contemporâneo. São Paulo: São Paulo, 1987.

GUIMARÃES, Eduardo. Semântica do Acontecimento: um estudo enunciativo da designação. Campinas, SP: Pontes, 2002.

________. Bairro: a especificidade de um nome abstrato. (in) MORELLO, Rosângela (org.) Giros na Cidades: saber urbano e linguagem. Campinas, SP: LABEURB/NUDECRI - UNICAMP, 2004a.

________. Os Limites do sentido: um estudo histórico enunciativo da linguagem. 3. ed. Campinas, SP: Pontes, 2005.

________. Semântica e Pragmática. In: GUIMARÃES, Eduardo; ZOPPI-FONTANA, Mónica. A palavra e a frase. Campinas, SP: Pontes, 2006.

________. Domínio Semântico de Determinação (in.) GUIMARÃES, Eduardo e MOLLICA, Maria Cecília (orgs.) A palavra forma e sentido. Campinas, SP: Pontes Editores, RG Editores, 2007.

________. Análise de texto: procedimentos, análises, ensino. Campinas, SP: Editora RG, 2011.

________. Semântica, enunciação e sentido. Campinas, SP: Pontes, 2018.

MATO GROSSO DO SUL. Referencial Curricular da Educação Básica da Rede Estadual de Ensino. Secretaria de Estado de Educação. Superintendência de Políticas de Educação. Campo Grande: SED, 2012.

MAIRINS, Marília Simplício. O sentido do “ensino” do não-indígena para o indígena no acontecimento enunciativo. Campo Grande, UEMS, 2018. 85 p. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, MS, 2018.

Michaelis Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa. Democracia. Disponível em: https://michaelis.uol.com.br/moderno-portugues/busca/portugues-brasileiro/democrACIA/. Acesso em 10 de fevereiro de 2020.

OLIVEIRA, Rosimar Regina Rodrigues. “A marcha para o Oeste” no Brasil: entre a civilização e o sertão. São Paulo, UNICAMP, 2013. 208 f. Tese (Doutorado) – Programa de Doutorado em Linguística no Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, SP, 2013.

________. Os selvagens indígenas e a necessidade de civilização na enunciação da marcha para Oeste. In. Linguagem e significação: sujeitos indígenas. OLIVEIRA, Rosimar Regina Rodrigues de; OLIVEIRA, Sheila Elias de; RODRIGUES, Marlon Leal; KARIM, Taisir Mahmudo (orgs). Campinas, SP: Pontes Editores, 2018.

STAROBINSKI, Jean. As máscaras da civilização. Trad. Maria Lúcia Machado. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

TOMMASINO, kimiye. A educação escolar indígena no Paraná. Revista Mediações, Londrina, v. 8, n. l, p. 71-98, jan./jun. 2003. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/mediacoes/article/view/9089. Acesso em: 10 de fevereiro de 2020.




DOI: https://doi.org/10.30681/2594.9063.2019v3n2id4359

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Marília Simplício Mairins, Rosimar Regina Rodrigues de Oliveira

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADO EM:

         

  

 

 

 

 

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

This Journal is licenced by a  Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.