Texto, enunciação e as práticas (políticas) de ensino de línguas: contribuições da Semântica do Acontecimento para pensar os sentidos no ensino da língua portuguesa

André Stefferson Martins Stahlhauer, Claudia Freitas Reis

Resumo


A proposta desse artigo é apresentar uma discussão e um encaminhamento sobre o modo como as questões teóricas propostas pela Semântica do Acontecimento nos permitem refletir, por um lado, sobre a própria importância da Semântica, como um campo do saber e da Linguística, e de outro, para o ensino de português. Considerando a forma como as noções de língua, linguagem, sentido, texto, argumentação, político e espaço de enunciação permeiam esta teoria, ou seja, situando nossa compreensão sobre como se dá a constituição dos sentidos da(s) e na(s) língua(s), propomos uma reflexão que trata do lugar de uma semântica em sala de aula e do modo como operar com a língua/linguagem dentro do ensino de português em diferentes modalidades, o português como língua oficial do Brasil e o português como língua estrangeira.

Texto completo:

DOWNLOAD PDF (PORTUGUÊS)

Referências


AUROUX, S. A revolução tecnológica da gramatização. Trad. Eni Orlandi. Campinas: Editora da UNICAMP, 2001.

BENVENISTE, É. [1966]. Problemas de Linguística Geral I. - 2. ed. – Campinas, SP: Pontes: Editora da Universidade Estadual de Campinas, 1988.

DUCROT, O. Revista Brasileira De Letras. Os topoï na “teoria da Argumentação na língua”. São Carlos. Universidade Federal de São Carlos. n. 1, 1999.

FERRAREZI JUNIOR, C.; BASSO, R. Semântica, semânticas: uma introdução. São Paulo: Contexto, 2013

FERREIRA, A.C. Um Percurso pela História da Semântica da Enunciação. Web Revista Discursividades. ed. 09, 2012

GUIMARÃES, E. A língua portuguesa no Brasil. Ciência e Cultura. vol.57. no.2 São Paulo. Apr/June. 2005

________. Análise de texto: Procedimentos, análises, ensino: Campinas, Editora RG, 2011.

________. Argumentação e argumentatividade. Revista do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade de Passo Fundo - v. 9 - n. 2 - p. 271-283 - jul./dez. 2013

________.. Espaço de enunciação e política de línguas no Brasil. In: SANTOS, J.e Oliveira, S. E. (Orgs). Mosaicos de Linguagem. Guarapuava, PR: Cellip – Campinas, SP: Pontes, 2006. p. 11-27.

________. Os Limites do Sentido. 4. ed. Campinas: Pontes, 2010

________. Semântica do Acontecimento. Campinas: Pontes, 2002.

ORLANDI, E. P. A Língua brasileira. Ciência e Cultura On-line version ISSN 2317-6660. Cienc. Cult. vol.57 no.2 São Paulo Apr./June 2005.

________. Terra à Vista. Discurso do confronto: velho e novo mundo. 2ª ed. Campinas-SP: Editora da Unicamp, 2008

STAHLHAUER, A. S. M. Relação de Línguas no espaço enunciativo da propaganda: a argumentação, a enunciação e o político. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de São Carlos. 2010

________. A Brasilianistik como um campo de estudos alemão sobre o Brasil e sua língua. Fragmentum n. 52. Jul./Dez. 2018. Santa Maria: Editora Programa de Pós-Graduação em Letras, UFSM. ISSN 2179-2194 (online); 1519-9894 (impresso), 2019.




DOI: https://doi.org/10.30681/2594.9063.2019v3n2id4362

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 André Stefferson Martins Stahlhauer, Claudia Freitas Reis

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADO EM:

         

  

 

 

 

 

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

This Journal is licenced by a  Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.