1.
Karim TM, Alvares L, Pria AD. O frisson da bailarina: o funcionamento semântico-enunciativo do nome baderna. Traços [Internet]. 16º de março de 2020 [citado 15º de abril de 2024];3(2). Disponível em: https://periodicos.unemat.br/index.php/tracos/article/view/4354