O SEGUNDO SEXO DE MADAME BOVARY: UM PRECEDENTE ROMANESCO DE TRANSGRESSÕES SOCIAIS DA PERSONAGEM FEMININA DO SÉCULO XIX/THE SECOND SEX OF MADAME BOVARY: A ROMANESQUE PRECEDENT OF FEMALE CHARACTER SOCIAL TRANSGRESSIONS IN THE 19TH CENTURY

Autores

  • Gustavo Queiroz Rodrigues (UNEMAT) Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT
  • Agnaldo Rodrigues da Silva (UNEMAT) UNEMAT

Resumo

Madame Bovary é uma obra literária escrita por Gustave Flaubert em 1857 e tem como protagonista Emma, que recebe o sobrenome de seu marido após um casamento arranjado por sua família com Charles, um médico de uma pequena cidade do interior da França. Após uma breve contextualização histórica do período, com ênfase na mulher e na desigualdade de tratamento em relação ao homem, da opressão e origens da formação do patriarcado na civilização ocidental, pela cultura greco-romana, bem como da atuação da Igreja Católica na idade média, o presente artigo analisará alguns trechos da obra que evidenciariam a desconstrução dos papéis sociais impostos às mulheres ao logo do tempo, o “Eterno Feminino” de Simone de Beauvoir. Nesse contexto, observa-se como Emma busca escapar das imposições de ser esposa, mãe e dona casa para priorizar sua busca pessoal por autodeterminação, prazer, ainda que extraconjugal, e felicidade.

Biografia do Autor

Gustavo Queiroz Rodrigues (UNEMAT), Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT

Bacharel em Direito pela UNEMAT (2010). Pós-graduado lato sensu em Direito Penal e Criminologia pela UNINTER (2018). Mestrando em Estudos Literários pelo PPGEL UNEMAT.

Agnaldo Rodrigues da Silva (UNEMAT), UNEMAT

Docente da Universidade do Estado de Mato Grosso, Programa de Pós-graduação em Estudos Literários.

Referências

BEAUVOIR, Simone de. O segundo Sexo: II a experiência vivida. São Paulo: Difusão europeia do livro. 1967.

BOURDIEU, Pierre. As regras da Arte: Gênese e estrutura do campo literário. São Paulo: Companhia das Letras. 1991.

BURKE, Peter (Org.). A escrita da História: novas perspectivas. São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista. 1992.

DEIFELDT, Wanda. Os primeiros passos de uma hermenêutica feminista: A Bíblia da Mulher editada por Elisabeth Cady Stanton. Periódicos EST Estudos teológicos V.32 N.1 1992.

FLAUBERT, Gustave. Madame Bovary. São Paulo: Martins Fontes. 2000.

GOUGES, Olympe de. Declaração dos direitos da mulher e da cidadã - 1791. Biblioteca Virtual de Direitos Humanos. Universidade de São Paulo - USP. Disponível em: < http://www.direitoshumanos.usp.br/index.php/Documentos-anteriores-%C3%A0-cria%C3%A7%C3%A3o-da-Sociedade-das-Na%C3%A7%C3%B5es-at%C3%A9-1919/declaracao-dos-direitos-da-mulher-e-da-cidada-1791.html#:~:text=Este%20documento%20foi%20proposto%20%C3%A0,Francesa%20(1789%2D1799).&text=Batalhadora%2C%20em%201791%20ela%20prop%C3%B5e,homem%2C%20aprovada%20pela%20Assembl%C3%A9ia%20Nacional. > Acesso em: 10 out. 2020.

LLOSA, Mario Vargas. A orgia perpétua: Flaubert e Madame Bovary. 1. ed. Rio de Janeiro: Objetiva. 2015.

MELLO, Renata Aiala de. Flaubert, Madame Bovary e Emma Bovary: ecos de ethos. Dissertação (Mestrado em Linguística do Texto e do Discurso). Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte. 2012.

PENTEADO, Jaques de Camargo; RUFINO, Almir Gasquez (Orgs). Grandes Juristas Brasileiros: livro II. São Paulo: Martins Fontes. 2006.

WATT, Ian. O realismo e a forma do romance. In: A ascensão do romance: estudos sobre Defoe, Richardson e Fielding. São Paulo: Companhia das letras, 1990.

WOLKMER, Antônio Carlos (Org.). Fundamentos da História do Direito. 7. ed. Belo Horizonte: Del Ray. 2012.

WOOLF, Virginia. Mulheres e Ficção. São Paulo: Penguin Classics Companhia das Letras. 2019.

Downloads

Publicado

04/09/2021

Como Citar

Rodrigues (UNEMAT), G. Q., & Silva (UNEMAT), A. R. da. (2021). O SEGUNDO SEXO DE MADAME BOVARY: UM PRECEDENTE ROMANESCO DE TRANSGRESSÕES SOCIAIS DA PERSONAGEM FEMININA DO SÉCULO XIX/THE SECOND SEX OF MADAME BOVARY: A ROMANESQUE PRECEDENT OF FEMALE CHARACTER SOCIAL TRANSGRESSIONS IN THE 19TH CENTURY. Revista Athena, 20(1). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/athena/article/view/5816

Edição

Seção

ARTIGOS/ ENSAIOS