A REPRESENTAÇÃO DA MULHER NA LITERATURA E A POÉTICA DE CHICO BUARQUE DE HOLLANDA/THE REPRESENTATION OF WOMEN IN LITERATURE AND THE POETICS OF CHICO BUARQUE DE HOLLANDA

Autores

  • Nághila Cristina Amada da Silva Universidade do Estado de Mato Grosso -UNEMAT
  • Agnaldo Rodrigues da Silva Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT

Palavras-chave:

Mito e lenda. Chico Buarque e a MPB. Mulher e a criação literária. Poética e Chico Buarque.

Resumo

Este artigo tem por finalidade abordar a representação da mulher na literatura, por meio de mitos e lendas que estejam relacionados à poética de Chico Buarque. Francisco Buarque de Hollanda, mais conhecido como Chico Buarque, é músico, dramaturgo e escritor que se tornou um ícone da cultura brasileira. De acordo com Eliade (1992), estudar o mito é de suma importância, pois é através dele que se tem a compreensão dos pensamentos humanos e da funcionalidade das sociedades arcaicas e tradicionais; a mitologia tem a função de justificar os comportamentos e as atividades humanas no espaço social desde as civilizações mais antigas. Ao estudar a história, percebemos que a figura feminina teve sua imagem marginalizada no meio onde habitou, de modo que se pode afirmar que esta representação foi embasada nos mitos de diversas naturezas, sejam pagãs, cristãs, místicas ou históricas, por exemplo. Nessa direção, Chico Buarque é um dos poucos compositores da Música Popular Brasileira que consegue tematizar a mulher e expressar seu desejo por meio de suas canções. De certo modo, essas canções trazem em si um “eu lírico” em que predomina o marginal como protagonista, colocando às claras a negatividade da sociedade.

Biografia do Autor

Nághila Cristina Amada da Silva, Universidade do Estado de Mato Grosso -UNEMAT

Mestra em Linguística pela Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) e Especialista em Literatura Brasileira pela Faculdade São Braz. Atualmente é doutoranda pelo Programa de Pós-graduação em Estudos Literários da UNEMAT.

Agnaldo Rodrigues da Silva, Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT

Doutor em Letras pela Universidade de São Paulo e Pós-doutor pela UFRGS. Docente da Universidade do Estado de Mato Grosso.

Referências

AGUIAR, Joaquim. A poesia da canção. São Paulo: Scipione, 1993.

BASSANEZI, Carla. Mulheres dos anos dourados. In: Histórias das Mulheres no Brasil. 5. ed. São Paulo: Contexto, 2001.

BEAUVOIR. Simone de. O segundo sexo: a experiência vivida. 2. ed. São Paulo: Difusão Européia do livro, 1967.

BEAUVOIR, Simone de. O segundo Sexo: Fatos e Mitos. 4. ed. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1970.

BETTO, Frei. Chico, silêncio e palavra. In: Chico Buarque do Brasil. Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional, 2004.

BÍBLIA SAGRADA. Traduzida em Português por João Ferreira de Almeida. Revista corrigida. Ed. 1995. São Paulo: Sociedade Bíblica do Brasil, 2007.

BRUNEL, Pierre. Dicionários de mitos literários. 2. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1998.

CANDIDO, Antonio. O estudo analítico do poema. São Paulo: Humanos Publicações, 1996.

CARVALHO, Gilberto de. Chico Buarque: Analise poético-musical. Rio de Janeiro: Codecri, 1982.

EISLER, Riane. O prazer sagrado: sexo, mito e a política do corpo. Tradução de Ana Luiza Dantas Borges. Rio de Janeiro: Rocco, 1996.

ELIADE, Mircea. O sagrado e o profano. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

GHEERBRANT, Jean Chevalier Alain. Dicionários de Símbolos: (mitos, sonhos, costumes, gestos, formas, figuras, cores, números). 17. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2002.

GOMES, Antonio Maspoli de Araújo; ALMEIDA, Vanessa Ponstinnicoff de. O Mito de Lilith e a Integração do Feminino na Sociedade Contemporânea. In: Âncora – Revista digital de estudos em religião. Ano II, Vol. II, Junho 2007.

LE GOFF, Jacques. A civilização do ocidente medieval. São Paulo: EDUSP, 2005.

MENESES, Adélia Bezerra. Figuras do Feminino na canção de Chico Buarque. 2. ed. São Paulo: Ateliê Editorial, 2001.

ORTOLAN, Leandro Henrique. O que não tem limite: o erotismo na poesia de Chico Buarque de Hollanda. 2007. 181 f. Dissertação em Teoria Literária, Universidade Católica do Rio Grande Do Sul, 2007.

PIRES, Valéria Fabrizi. Lilith e Eva: imagens arquetípicas da mulher na atualidade. São Paulo: Summus, 2008.

REI, Claudio Artur de Oliveira. A herança estilística das cantigas de amigo na lírica de Chico Buarque. 2007. 224 f. Tese em Língua Portuguesa, Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

RODRIGUES, Cátia Cilene Lima. Lilith e o arquétipo do feminino contemporâneo. In: Ética, religião e expressão artística. Anais do III Congresso Internacional de Ética e Cidadania. 2007.

SILVA, Agnaldo Rodrigues. Projeção de Mitos e Construção Histórica no Teatro Trágico: Gota D’água e os Degraus. Campinas: Editora RG, 2008.

WERNECK, Humberto. Chico Buarque, letra e música. São Paulo: Schwarcz, 2004.

Downloads

Publicado

31/12/2021

Como Citar

Cristina Amada da Silva, N. ., & Rodrigues da Silva, A. (2021). A REPRESENTAÇÃO DA MULHER NA LITERATURA E A POÉTICA DE CHICO BUARQUE DE HOLLANDA/THE REPRESENTATION OF WOMEN IN LITERATURE AND THE POETICS OF CHICO BUARQUE DE HOLLANDA. Revista Athena, 21(2), 43–59. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/athena/article/view/6334

Edição

Seção

ARTIGOS/ ENSAIOS