Desenvolvimento e validação de escala diagramática para avaliação da severidade da bacteriose em mandioca

Autores

  • Gustavo Kublik Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste
  • Nicanor Pilarski Henkemeier Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste
  • Eloisa Lorenzetti Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste
  • José Renato Stangarlin Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste
  • Odair José Kuhn Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste
  • Lindomar Assi Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste
  • Roberto Luis Portz Universidade Federal do Paraná - UFPR

DOI:

https://doi.org/10.5327/rcaa.v18i2.3691

Palavras-chave:

Epidemiologia. Fitopatometria. Manihot esculenta. Xanthomonas axonopodis pv. manihotis.

Resumo

A bacteriose da mandioca causada por Xanthomonas axonopodis pv. manihotis é responsável por grande redução na produção, sendo necessário a utilização de ferramentas precisas para avaliação desta doença. Uma das formas de quantificação desta doença é através da estimativa da severidade utilizando escalas diagramáticas, as quais devem ser de fácil manuseio e apresentar ampla condição de uso. O objetivo deste trabalho foi elaborar e validar uma escala diagramática para quantificar a severidade da bacteriose em folhas de mandioca. Foram realizadas análises em 43 folhas de mandioca coletadas a campo e apresentando diferentes níveis de severidade da doença. Elaborou-se escala diagramática com seis níveis de severidade (1%; 2%; 4%; 8%; 16% e 32%) e a validação foi realizada por oito avaliadores, quatro com experiência e quatro sem experiência na avaliação de doenças. Estes avaliadores foram submetidos a uma avaliação com o auxílio da escala diagramática e foram gerados os valores do coeficiente linear (a), coeficiente angular (b) e coeficiente de correlação (R²) de cada avaliador, obtidos nas regressões entre severidade real (variável independente) e severidade estimada (variável dependente), e os erros absolutos. A escala diagramática elaborada foi eficiente para quantificação da severidade de bacteriose em folhas de mandioca.

Referências

ALVES, G.C.S.; SANTOS, L.C.; DUARTE, H.S.S.; DIAS, V.; ZAMBOLIM, L.; ROCHA, M.R. Escala diagramática para quantificação da ferrugem da folha do trigo. Multi-Science Journal, v.1, n.1, p.128-133, 2015. https://doi.org/10.33837/msj.v1i1.59

AMORIM, L.; BERGAMIN FILHO, A. Fenologia, patometria e quantificação de danos. Ouro Fino: Ceres, 2018. p. 499-518.

BERGER, R.D. Measuring disease intensity. In: TENG, P.S.; KRUPA, S.V. (Eds.). Crop loss assessment. St. Paul. Minnesota: University of Minnesota, 1980, p.28-31.

CRUZ, C.D. Genes: a software package for analysis in experimental statistics and quantitative genetics. Acta Scientiarum. Agronomy, v.35, n.3, p.271-276, 2013. https://doi.org/10.4025/actasciagron.v35i3.21251

HORSFALL, J.C.; BARRAT, R.W. An improved grading system for measuring plant diseases. Phytopathology, v.35, p.665, 1945.

JESUS, A.M.S.; CARVALHO, S.P.; CUSTÓDIO, T.N.; OLIVEIRA, P.M.; GOMES, C.N. Avaliação agronômica de cultivares e clones de mandioca em área irrigada no Norte de Minas Gerais. Scientia Agraria Paranaensis, v.12, n.3, p.205-210, 2013. https://doi.org/10.18188/sap.v12i3.6234

LENZ, G.; BALARDIN, R. S.; CORTE, G. D.; MARQUES, L. N.; DEBONA, D. Escala diagramática para avaliação de severidade de mancha-parda em arroz. Ciência Rural, v.40, n.4, p.752-758, 2010. https://doi.org/10.1590/S0103-84782010005000061

MASSOLA, N.S.; BENDEDO, I.P.; OLIVEIRA, S.A.S. Doenças da mandioca. In: AMORIM, L.; REZENDE, J.A.M; BERGAMIN FILHO, CAMARGO, L.E.A. Manual de Fitopatologia: Doenças das plantas cultivadas. Ouro Fino: Ceres, 2016. v.2, p.515-522.

NUTTER JUNIOR, F. W.; SCHULTZ, P. M. Improving the accuracy and precision of disease assessments: selection of methods and use of computer-aided training programs. Canadian Journal of Plant Pathology, v.17, p.174-184, 1995. https://doi.org/10.1080/07060669509500709

SACHS, P.D.; NEVES, C.J.; CANTERI, M.G.; SACHS, L.G. Escala diagramática para avaliação da severidade da mancha branca em milho. Summa Phytopathologica, v.37, n.4, p.202-204, 2011. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-54052011000400007

SHERWOOD, R.T.; BERG, C.C.; HOOVER, M.R.; ZEIDERS, K.E. Illusions in visual assessment of stagonospora leaf spot of orchardgrass. Phytopathology, v.73, n.2, p.173-177, 1983.

SPÓSITO, M.B.; AMORIM, L.; BELASQUE JÚNIOR, J.; BASSNEZI, R.B.; AQUINO, R. Elaboração e validação de escala diagramática para avaliação da severidade da mancha preta em frutos cítricos. Fitopatologia Brasileira, v.29, p.81-85, 2004. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-41582004000100012

Downloads

Publicado

24/02/2021

Como Citar

Kublik, G., Pilarski Henkemeier, N., Lorenzetti, E., Stangarlin, J. R., Kuhn, O. J., Assi, L., & Portz, R. L. (2021). Desenvolvimento e validação de escala diagramática para avaliação da severidade da bacteriose em mandioca. Revista De Ciências Agroambientais, 18(2), 75–81. https://doi.org/10.5327/rcaa.v18i2.3691

Edição

Seção

Agronomia

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)