Plano de recuperação de áreas de pastagem em vias de degradação para maximizar a produção animal

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30681/rcaa.v19i1.5370

Palavras-chave:

Bovino, alimentação, erosão, análise de solo.

Resumo

 A retirada da cobertura vegetal expõe o solo ao impacto direto das gotas de chuva, principalmente quando há a concentração do escoamento de águas pluviais, assim, ravinas são formadas e, com o passar dos anos se estabelecem voçorocas em áreas que não adotam estratégias conservacionistas no manejo do solo e da água. Nesse contexto, justifica-se este estudo pela importância da recuperação de áreas em vias de degradação na região amazônica se deve ao fato de que a pecuária desenvolvida na Amazônia Brasileira vem crescendo em decorrência da demanda de criação do gado de corte, entretanto, deve ser praticada em zonas recuperadas evitando o desmatamento de novas áreas por conta de diretrizes que visam a conservação e preservação da região amazônica. O objetivo neste estudo foi apontar alternativas para minimizar custos com a recuperação de áreas de pastagem em vias de degradação (plano de recuperação de área degradada - PRAD). Trata-se de uma pesquisa bibliográfica qualitativa e exploratória desenvolvida através de materiais já elaborados, como livros e artigos científicos, sem recorte temporal, sendo realizadas pesquisas em bases de dados como a CAPES, SCOPUS e SCIENCE DIRECT com assuntos voltados para a área de manejo de pastagem e custo benefício de recuperação de áreas em vias de degradação. Com base nessas informações, percebeu-se que a recuperação de uma área de pastagem em vias de degradação traz benefícios para o produtor, para os animais e para o meio ambiente, maximizando a produtividade.

Referências

ANDRADE, G.K.O.; FERREIRA, R.A.; FERNANDES, M.M.; da SILVA, T.R.; SOUZA, I.B.A.; MAGALHÃES, J. S. Regeneração natural em área de reflorestamento misto com espécies nativas no município de Laranjeiras, SE. 2018. Disponível em: http://dx.doi.org/10.22491/rca.2018.2779. Acesso em: 16 ago 2021.

ALENCAR, A.C.A.B.; COSTA, T.P.G.; ALVES, C.S.; LINHARES, F.M. Diagnóstico espaço-temporal das áreas impactadas pela MPL - Mineração Pedra Lavrada (Santa Luzia-PB), na extração de vermiculita. Revista Brasileira de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, v.2, n.2, p.25-36, 2015.

ALMEIDA, D.S. Alguns princípios de sucessão natural aplicados ao processo de recuperação. In: Recuperação ambiental da Mata Atlântica. 3a ed., Ilhéus, BA: Editus, p.48-75, 2016.

ALMEIDA, A.N.; LARA, C.L.; ANGELO, H. Avaliação do custo para recuperar uma área degradada: estudo de caso em uma área de preservação permanente do Rio Bisnau (Formosa, Estado de Goiás, Brasil). 2019. Revista Brasileira de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, v. 6, n. 13, p. 349-364, 2019.

ARAÚJO, H.J.B. Crescimento de espécies madeireiras em uma floresta acreana e compatibilidade com a legislação florestal. 2016. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/150766/1/26209.pdf. Acesso em: 08 set 2020.

BALBINO, L.C.; CORDEIRO; L.A.M.; PORFÍRIO-DA-SILVA, V.; MORAES, A.; MARTÍNEZ, G.B.; ALVARENGA, R.C.; KICHEL, A.N.; FONTANELI, R.S.; SANTOS, H.P.; FRANCHINI, J.C.; GALERANI, P.R. Evolução tecnológica e arranjos produtivos de sistemas de integração lavoura-pecuáriafloresta no Brasil. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.46, n.1, p.1-12, 2011.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. (L. de A. Rego & A. Pinheiro, Trads.). Lisboa: Edições, 1ºed, p. 286, 2011.

BORTOLON, E.S.O; BORTOLON, L. Dia Nacional da Conservação do Solo: importância de se preservar esse recurso fundamental. 2015. Disponível em: https://www.embrapa.br/busca-de-noticias/-/noticia/2693518/artigo-dia-nacional-da-conservacao-do-solo-importancia-de-se-preservar-esse-recursofundamental. Acesso em: 02 ago 2020.

BRASIL. Decreto-Lei n. 97.632/89. Dispõe sobre a regulamentação do Artigo 2°, inciso VIII, da Lei n° 6.938, de 31 de agosto de 1981, e dá outras providências. Brasília: 1989.

BRASIL. Constituição Federal de 1988, art. 225, §1°. 1988. Disponível em: https://www.senado.leg.br/atividade/const/con1988/con1988_26.06.2019/art_225_.asp. Acesso em: 08 set 2020.

CAMPOS, P.R.S.S.; VALADARES FILHO, S.C.; DETMANN, E.; CECON, P.R.; LEÃO, M.I.; LUCCHI, B.B.; DE SOUZA, S.M.; PEREIRA, O.G. Consumo, digestibilidade e estimativa do valor energético de alguns volumosos por meio da composição química. Revista Ceres, v. 57, p. 79-86, 2010.

CTE. Centro Tecnológico de Engenharia. Estudo de impacto ambiental. 2015. Disponível em: http://www.cprh.pe.gov.br/arquivos_anexo/EIA_MINERACAO_FLORESTA/EIA_MINERACAO_FLORESTA_VOL_1.pdf. Acesso em: 09 set 2020.

CORRÊA, P.F. Análise dos planos de recuperação de áreas degradadas pela mineração de argila no Sul de Santa Catarina, Brasil. Revista Tecnologia e Ambiente, v. 25, n. 1, p. 273 a 288, 2019.

COSTA, Y.T.; RODRIGUES, S.V. Relação entre cobertura vegetal e erosão em parcelas representativas de cerrado. Revista de Geografia Acadêmica, v.9, n.1 p.61-75, 2015.

DIAS-FILHO, M.B. Formação e manejo de pastagem. p.1-9, 2015. Disponível em: https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/handle/doc/937485. Acesso em: 02 jun 2020.

DIAS-FILHO, M.B. Recuperação de pastagens degradadas na Amazônia: desafios, oportunidades e perspectivas. 2014. In: SAMBUICHI,R.H.R.; SILVA, A.P.M.; OLIVEIRA, M.A.C.; SAVIAN, M. (Org.). Políticas agroambientais e sustentabilidade: desafios, oportunidades e lições aprendidas. Brasília, DF: Ipea, p.149-169, 2014.

DIAS-FILHO, M.B. Uso de pastagens para a produção de bovinos de corte no Brasil: passado, presente e futuro. p.1-44, v.1, 2016. Disponível em: https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/bitstream/doc/1042092/1/DOCUMENTOS418.pdf. Acesso em: 12 set 2020.

ELFSM. Relatório anual e responsabilidade socioambeintal. 2015. Disponível em: https://portal.elfsm.com.br/uploads_files/files/Relatorio_anual_responsabilidade_socioambiental_2015.pdf. Acesso em: 03 jul 2020.

EMBRAPA. Reclaiming the Brazilian Amazon: the Restoration and Management of Pasture Lands. 2014. Disponível em: https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/988172/1/DOC404.pdf. Acesso em: 09 set 2020.

EMBRAPA. Manejo adequado de pastagem e Sistema Silvipastoril na preservação do solo. 2009. Disponível em: https://www.embrapa.br/en/busca-de-noticias/-/noticia/18058074/manejo-adequado-de-pastagem-esistema-silvipastoril-na-preservacao-do-solo. Acesso em: 02 jul 2020.

FERRONATO, M.L.; BONAVIGO, P.H.; LIMA, N.L.; SOUZ, M.A.; FERONATO, D.R. C.F.; MOREIRA, S.N.S.; SOUZA, D.B. Manual de recuperação florestal de áreas degradadas na zona da mata rondoniense. p.1-130, 2015. Disponível em: https://ecopore.org.br/novo/wpcontent/uploads/2020/05/Manual-recupera%C3%A7%C3%A3o-de-%C3%A1reas-degradadas-daZMR.pdf. Acesso em: 11 set 2020.

FONTANELI, R.S.; SANTOS, H.P.; FONTANELI, R.S. Forrageiras para Integração Lavoura-PecuáriaFloresta na Região Sul-Brasileira. Embrapa, 2012. Disponível em: https://www.alice.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/1010247/1/LV2012forrageirasparaintegracaoFontaneli.pdf. Acesso em: 12 set 2020.

GIL, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4ª ed., São Paulo: Atlas, 2002. 176p.

IBAM-PQGA. Guia Prático para Elaboração de Projeto de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD) em APP. 2015. Disponível em: http://www.amazonia-ibam.org.br/images/pqga/arquivos/003_prad.pdf. Acesso em: 11 set 2020.

ICMBio. Instrução Normativa Icmbio Nº 11, De 11 De Dezembro De 2014. 2014a. Disponível em: https://www.icmbio.gov.br/cepsul/images/stories/legislacao/Instrucao_normativa/2014/in_icmbio_11_2014_estabelece_procedimentos_prad.pdf. Acesso em: 09 set 2020.

ICMBio. Instrução Normativa Nº 21, De 24 De Dezembro De 2014. 2014b. Disponível em: http://www.iap.pr.gov.br/arquivos/File/formularios/IN_21_DE_2014.pdf. Acesso em: 14 set 2020.

ICMBio. Roteiro de apresentação para plano de recuperação de área degradada (PRAD) terrestre: Versão 03. Ministério do Meio Ambiente: ICMBio, 2014, 13p.

IPAM. Fluxos financeiros para a pecuária na Amazônia Legal. 2019. Coordenação: SILVA, D.; STABILE, M.C.C.; SAVIAN, G.I.P.A.M.; Brasília DF, p. 1-88, 2019. Disponivel em: <https://ipam.org.br/wpcontent/uploads/2020/01/Fluxos-financeiros-pecu%C3%A1ria.pdf>

LAL, R. Climate Change and Soil Degradation Mitigation by Sustainable Management of Soils and Other Natural Resources. 2012. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1007/s40003-012-0031-9. Acesso em: 12 set 2020.

LAURENTINO, I.C.; SOUZA, S.C. Uma análise do plano de recuperação de área degradada com vegetação de mangue no rio apodi mossoró do projeto margem viva. Revista Holos, v.29, n.3, p.161-170, 2013.

LAVINA, L.N.; LINS, G.A.; COSTA, E.; ROCHA, D.C.; RACHID, E.; ALMEIDA, J.R. proposta de um plano de recuperação de área degradada por atividade de mineração. Revista Internacional de Ciências, v.6, n.1, p.1-13, 2016.

MACEDO; M.C.M; ZIMMER, A.H.; KICHEL, A.N.; ALMEIDA; R.G. ARAÚJO, A.R. Degradação de pastagens, alternativas de recuperação, renovação e formas de mitigação. 2010. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/95462/1/Degradacao-pastagens-alternativasrecuperacao-M-Macedo-Scot.pdf. Acesso em: 03 jul 2020.

MARTINS, S.V.; SARTORI, M.; RAPOSO FILHO, F.L.; SIMONELI, M., DADALTO, G.; PEREIRA, M.L.; SILVA, A.E.S. Potencial de regeneração natural de florestas nativas nas diferentes regiões do estado do Espírito Santo. p.1-122, 2014. Disponível em: http://www.larf.ufv.br/wpcontent/uploads/ES_ESTUDO_REGENERACAO_NATURAL_-_Completo_abr14.pdf. Acesso em: 08 set 2020.

NICOLAU, R.F. Vulnerabilidade da paisagem a perda de solos da Bacia Hidrográfica do Rio do Peixe/Goiás. In: Caminhos de Geografia, Uberlândia/MG, v.19, n.66, p.285–296, 2018.

OLIVEIRA, T.J.F. Técnicas para recuperação de mata ciliar do Rio Paraíba Do Sul, na Região Noroeste Fluminense. 2014. Disponível em: http://uenf.br/posgraduacao/producao-vegetal/wpcontent/uploads/sites/10/2014/07/Tiago-Jos%C3%A9-Freitas-de-Oliveira.pdf. Acesso em: 11 set 2020.

OLIVEIRA, F.F.; SANTOS, R.E.S.; ARAUJO, R.C. Processos erosivos: dinâmica, agentes causadores e fatores condicionantes. 2018. Revista Brasileira de Iniciação Científica, v.5, n.3, p.60-83, 2018.

PRIETO, C.C. Investigação sobre implantação de loteamentos e a ocorrência de processos erosivos: voçoroca situada no Jardim Santa Edwirges em Ponta Grossa/PR. 2010. 96p. (Dissertação de Mestrado em Gestão do Território), Universidade Estadual de Ponta Grossa. Ponta Grossa/PR, 2010.

RODRIGUES, S.B. Espécies semeadas e colonizadoras garantem a trajetória sucessional da restauração de florestas na bacia do alto Xingu. 2018. 56p. (Dissertação de Mestrado em Ecologia), Universidade de Brasília Instituto de Ciências Biológicas, 2018.

ROSA, C.T. Gestão de projetos de recuperação de áreas degradadas: comparação de custos e eficiência de diferentes metodologias. p.76, 2014. [Especialização Gestão Florestal]. no Pós-Graduação em Gestão Florestal do Departamento de Economia Rural e Extensão. Universidade Federal do Paraná.

RUSSELL, J.R.; BISINGER, J.J. Grazing System Effects on Soil Compaction in Southern Iowa Pastures. Animal Industry Report, v. 12, n. 1, p. 1-5, 2015.

SEMMA – GO. Termo de Referência para Elaboração do Plano de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD). 2016. Disponível em: https://aguaslindasdegoias.go.gov.br/wpcontent/uploads/2017/10/Termo-de-Refer%c3%aancia-PRAD.pdf. Acesso em: 11 set 2020.

SGARBI, A.S. Avaliação de crescimento inicial de espécies nativas em plantio misto de restauração florestal em dois vizinhos, PR. p.74, 2013. (Monografia – Engenharia Florestal) Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Paraná.

Serviço de Limpeza Urbana – SLU. Plano de Recuperação de Áreas Degradadas - PRAD - Relatório Final. 2013. Disponível em: http://www.slu.df.gov.br/wpcontent/uploads/2020/04/PRAD_SITE_ORCAMENTO.pdf. Acesso em: 11 set 2020.

SILVA, D.V.P. Área de preservação permanente e reserva legal: (in)existência de uma política pública nacional para conciliar o conflito rural entre uso e conservação: elementos para uma política conciliatória. p. 228, 2015. Dissertação (Mestrado em Direito e Políticas Públicas) – Instituto CEUB de Pesquisa e Desenvolvimento, Centro Universitário de Brasília, Brasília, 2015.

SILVA, W.C.; SILVA, J.A.R.; SILVA, E.B.R. Percepção do consumidor de proteína animal sobre o bem-estar dos animais de produção em Santarém, Pará, Brasil. Revista CES Medicina Veterinária e Zootecnia, v.15, n.2, p.64-74, 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.21615/cesmvz.15.2.5

SILVA, C.A.S.; JOSET, W.C.L.; LOURENÇO JÚNIOR, J.B.; BARBOSA, A.V.C.; SILVA, W.C.; SILVA, J.A.R. Animal protein consumer’s perception on the welfare of production animals in Belém, Pará State, Brazil. Acta Scientiarum. Animal Sciences, v.43, n.1, e53784, 2021. https://doi.org/10.4025/actascianimsci.v43i1.53784.

SOUZA, E.R. A inter-relação da oferta de água, sombra no comportamento ingestivo de bovinos leiteiros em pastejo. p.66. 2017. [Dissertação – Mestrado em Agroecologia e Desenvolvimento Rural Sustentável]. Universidade Federal da Fronteira Sul Campus Laranjeiras do Sul, Paraná, PR.

ZIMMER, A. Manejo de pastagem e bem-estar animal no estande da Embrapa em Maracaju (MS). 2017. Disponível em: https://www.embrapa.br/en/busca-de-noticias/-/noticia/19543759/manejo-de-pastageme-bem-estar-animal-no-estande-da-embrapa-em-maracaju-ms. Acesso em: 03 jul 2020.

ZIMMER, A.H.; ARAÚJO, A.R.; MONTAGNER, D.B.; COSTA, F.P.; MACEDO, M.C.M.; PEREIRA, M.A.; BARBOSA, R.A.; EUCLIDES, V.P. Manejo de pastagens. 2018. Disponível em: http://ead.senar.org.br/lms/webroot/uploads/senar/conteudos/250/assets/docs/20190207_Manejo%20de%20pastagens_M2_apostila_V4.pdf. Acesso em: 14 set 2020.

Downloads

Publicado

09/12/2021

Como Citar

Sousa, E. D. V. de, Silva, W. C. da, Silva, Éder B. R. da, Gato, A. P. . da C., Sousa, J. E. de, & Camargo Junior, R. N. C. (2021). Plano de recuperação de áreas de pastagem em vias de degradação para maximizar a produção animal. Revista De Ciências Agroambientais, 19(1), 51–57. https://doi.org/10.30681/rcaa.v19i1.5370

Edição

Seção

Revisão