DETERMINANTES SETORIAIS E SISTÊMICOS DAS EXPORTAÇÕES DE CARNE SUÍNA DOS ESTADOS UNIDOS: ANÁLISE COM QUEBRAS ESTRUTURAIS

Tiane Alves Rocha Gastardelo, Laércio Juarez Melz, Pascoal José Marion Filho, Ariel Lopes Torres

Resumo


O objetivo do artigo foi verificar alguns dos determinantes para o desempenho das exportações dos Estados Unidos, utilizando quebras estruturais para localizar mudanças nos impactos destes determinantes. Para isso, foram coletadas séries trimestrais e aplicado o método de mínimos quadrados com quebras estruturais. Duas quebras estruturais foram localizadas, resultando em três regimes. O primeiro período (1990T1-1999T4) foi um período de com maior impacto de variáveis sistêmicas (PIB e inflação), no qual o país buscava ganhos de eficiência produtiva e maior competitividade na Cadeia de Valor Global. O segundo período (2000T1-2008T3) com maior impacto do PIB, inflação, taxa de juros e abates de suínos, já com a eficiência garantida por um sistema de contratos com coordenação vertical intensa. Um terceiro período (2008T4-2014T2) mais sensível às variáveis, tanto setoriais quanto sistêmicas, resultante da crise de 2008 além dos surtos de H1N1.


Texto completo:

PDF

Referências


BAI, J.; PERRON, P. Estimating and Testing Linear Models with Multiple Structural Changes. Econometrica, v. 66, n. 1, p. 47–78, 1998. Disponível em: .

______. Computation and analysis of multiple structural change models. Journal of Applied Econometrics, v. 18, n. 1, p. 1–22, jan. 2003. Disponível em: . Acesso em: 25 maio. 2014.

BATALHA, M. O.; SOUZA FILHO, H. M. Analisando a competitividade de cadeias agroindustriais: uma proposição metodológica. In: BATALHA, M. O.; SOUZA FILHO, H. M. (Org.). . Agronegócio no Mercosul: uma agenda para o desenvolvimento. São Paulo: Atlas, 2009. p. 1–22.

DICKEY, D. A.; FULLER, W. A. Distribution of the Estimators for Autoregressive Time Series With a Unit Root. Journal of the American Statistical Association, v. 74, p. 427–431, 1979.

ENGLE, R. F.; GRANGER, C. W. J. Co-integration and error correction: representation, estimation, and testing. Econometrica, v. 55, p. 251–276, 1987. Disponível em: .

FAO. FAOSTAT: Food and Agriculture Organization of the United Nations Statistic Division. Disponível em: . Acesso em: 16 abr. 2015.

GEREFFI, G.; HUMPHREY, J.; STURGEON, T. J. The governance of global value chains. Review of International Political Economy, v. 12, n. 1, p. 78–104, fev. 2005. Disponível em: . Acesso em: 23 maio. 2014.

GERVASIO, E. W. Suinocultura - Análise da Conjuntura Agropecuária: SEAB – Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento do Paraná. Disponível em: . Acesso em: 14 out. 2010.

JOHNSON, R. Potential farm sector effects of 2009 H1N1 “swine flu”: questions and answers. Disponível em: . Acesso em: 25 ago. 2008.

KEY, N.; MCBRIDE, W. The Changing Economics of U.S. Hog Production. Production, n. 52, 2007.

LOWE, M.; GEREFFI, G. A Value Chain Analysis of the U.S. pork industry. Disponível em: . Acesso em: 1 set. 2014.

MACKINNON, J. G. Numerical distribution functions for unit roor and cointegration tests. Journal of Applied Econometrics, v. 11, n. 6, p. 601–618, 1996.

MIELE, M. Contratos, especialização, escala de produção e potencial poluidor na suinocultura de Santa Catarina. Tese (Doutorado em Agronegócios) -- Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2006.

OECD. Agriculture, trade and the environment -the pig sector. Paris: OECD Publishing, 2003.

______. Organisation for Economic Co-operation and Development: Data. Disponível em: . Acesso em: 26 ago. 2015.

USDA. Global Agricultural Trade System online. Disponível em: . Acesso em: 1 maio. 2015a.

______. Production, supply and distribution online. Disponível em: . Acesso em: 20 maio. 2003b.

USDA/ERS. United States Department of Agriculture: Economic Research Service. Disponível em: . Acesso em: 26 ago. 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.30681/ruc.v4i8.928

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

ISSN: 2316-8072

Indexação: