A LITERATURA EPISTOLAR A PARTIR DE HORÁCIO

Autores

  • Lucia Sá Rebello UFRGS

Resumo

Discute-se, neste trabalho, a relação de Horácio, poeta latino, com a literatura epistolar, procurando evidenciar a questão de ser carta literatura, uma vez que, ao mesmo tempo, media uma situação e também faz uma encenação por meio de um discurso que não é aquele do ensaio, do romance nem da poesia.

Referências

ARISTÓTELES, HORÁCIO, LONGINO. A poética

clássica. Tradução de Jaime Bruna. São Paulo:

Cultrix/EDUSP, 1981.

CASTELLO, José. Uma ponte aérea lírica do

Curvelo à Barra Funda. O Estado de São Paulo,

São Paulo, 24 out. 1999.

HORACE. Épitres. 4. ed. Paris: Les Belles Lettres, 1961.

GALVÃO, Walnice Nogueira; GOTLIB, Nádia

Battella. Prezado senhor, prezada senhora. São

Paulo: Companhia das Letras, 2000.

FLACCO, Quinto Horácio. Satyras e epistolas.

Tradução de Antonio Luiz Seabra. Rio de Janeiro:

Garnier, s.d.

MEYER, Augusto. A forma secreta. Rio de Janeiro:

Lidador, 1965.

ELIOT, T. S. De poesias e poetas. São Paulo:

Brasiliense, 1991.

CARDOSO, Zélia de Almeida. A literatura latina.

Porto Alegre: Mercado Aberto, 1989.

MORAES, Marco Antonio de. Literatura de Ana

C., dissimulada em missivas. Jornal da Tarde, São

Paulo, 15 jan. 2000.

Downloads

Publicado

12/02/2016

Como Citar

Rebello, L. S. (2016). A LITERATURA EPISTOLAR A PARTIR DE HORÁCIO. Revista ECOS, 4(1). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/1003