O modernismo brasileiro e as literaturas africanas de língua portuguesa

Autores

  • Tania Macedo USP

Resumo

O texto apresenta algumas das confluências existentes entre o modernismo brasileiro e as literaturas africanas de língua portuguesa, buscando demonstrar as coincidências de diretrizes estéticas e ideológicas pertencentes tanto ao movimento brasileiro de 1922 como às literaturas de Angola, Cabo Verde e Moçambique nos anos 1950, os quais marcam o surgimento dos sistemas literários daqueles países.

Referências

ANDRADE, Mário de. Aspectos da literatura brasileira.

ed. São Paulo: Martins, 1974.

CHAVES, Rita. A formação do romance angolano.

Entre intenções e gestos. Maputo; São Paulo: FBLP;

Via Atlântica, 1999.

CHAVES, Rita. A literatura brasileira e o imaginário

nacionalista africano: invenção e utopias. In:

CHAVES, R; SECCO, C; MACEDO, T. (Org.).

Brasil/África: Como se o mar fosse mentira.

Maputo: Imprensa universitária, 2003.

ERVEDOSA, Carlos. Roteiro da literatura angolana.

Luanda: união dos escritores angolanos, 1979.

(Coleção 2K).

LARA FILHO, Ernesto. Crónicas da roda gigante.

Lisboa: Afrontamento, 1990

SANTILLI, Maria Aparecida. Paralelas e tangentes:

entre literaturas de língua portuguesa. São Paulo:

Arte & ciência, 2003. (Via Atlântica, 4)

SOUSA. Noêmia. Sangue negro. Maputo:

associação dos escritores moçambicanos, 1988.

Downloads

Publicado

15/02/2016

Como Citar

Macedo, T. (2016). O modernismo brasileiro e as literaturas africanas de língua portuguesa. Revista ECOS, 3(2). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/1024