O FALAR CUIABANO: A ARQUITATURA MORFOSSINTÁTICA DO GÊNERO

Autores

  • José Leonildo Lima UNEMAT

Resumo

O falar cuiabano, atualmente, está passando por algumas mudanças, esse texto traz, de forma ainda incipiente, algumas caracterizações acerca das variações linguísticas que marcam essa comunidade. Assim, as discussões aqui apresentadas apontam para um projeto que se pretende desenvolver com a finalidade de fazer uma descrição do falar cuiabano.

Referências

AGUILERA, Vanderci de Andrade. A Geolingüística no Brasil: caminhos e perspectivas.

Londrina: Editora UEL, 1998.

ALMEIDA, Manoel Mourivaldo Santiago. Aspectos fonológicos do português falado

na baixada cuiabana: traços de língua antiga preservados no Brasil. 2000. 319 p. Tese

(Doutorado) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de

São Paulo, São Paulo.

ARRUDA, António de. O linguajar cuiabano e outros escritos. Cuiabá: Gráfica Print

Express, 1998.

BAGNO, Marcos. Preconceito lingüístico: o que é, como se faz. São Paulo: Loyola, 1999.

CHAMBERS, J. K. e TRUDGILL, Peter. La dialectologia. Madrid: Visor Libros, 1994.

CALVET, Lous-Jean. Sociolingüística: uma introdução crítica. São Paulo: Párabola, 2002.

CUIABÁ – 266 anos – 8 de abril de 1985. Cuiabá: NDIHR, UFMT.

DRUMMOND, Maria Francelina Ibrahim. Do falar cuiabano. Cuiabá: Gazeta, 1995.

ELIA, Sílvio. Sociolingüística: uma introdução. Rio de Janeiro: Padrão, 1987.

FERREIRA, Carlota e CARDOSO, Suzana. A dialetologia no Brasil. São Paulo: Contexto,

GARMADI, Juliette. Introdução à sociolingüística. Lisboa: Publicações Dom Quixote,

JÚNIOR, Moisés Mendes Martins. Revendo e reciclando a cultura cuiabana. Cuiabá:

Albert Gráfica, Editora, 2000.

MIRANDA, Leodete e AMORIM, Lenice. Mato Grosso: Atlas Geográfico. Cuiabá:

Entrelinhas, 2000.

NETO, Serafim da Silva. Guia para estudos dialectológicos. Florianópolis: PUC, 1955.

_____. Introdução ao estudo da Língua Portuguesa no Brasil. 2. ed. Rio de Janeiro:

Instituto Nacional do Livro, 1963.

OLIVEIRA, Alzira de. A linguagem dos pescadores de Mato Grosso: um estudo

lingüístico-etnográfico. Dissertação de Mestrado, 1980.

PALMA, Maria Luíza Canavarros. Variação fonológica na fala de Mato Grosso: um

estudo sociolingüístico. Cuiabá: Imprensa Universitária, 1984.

PÓVOAS, Lenine C. História Geral de Mato Grosso. Vol. I e II. Cuiabá: 1995.

PRETI, Dino. Sociolingüística: os níveis de fala. 6 ed. São Paulo: Companhia Editora

Nacional, 1987.

REVISTA BRAVO. São Paulo: junho, 1998.

SILVA NETO, Serafim. Capítulos de história da língua portuguesa no Brasil.

Brasil/Portugual: Edições Dois Mundos, s/d.

SILVA, Thaïs Cristófaro. Fonética e fonologia do português. São Paulo: Contexto, 1999.

TARALLO, Fernando. A pesquisa sociolingüística. 2. ed. São Paulo: Ática, 1986.

_____. Fotografias sociolingüísticas. Campinas: Pontes, 1989.

TARALLO, Fernando e ALKMIM, Tânia Maria. Falares crioulos: línguas em contato. São

Paulo: Àtica, 1987.

Downloads

Publicado

15/02/2016

Como Citar

Lima, J. L. (2016). O FALAR CUIABANO: A ARQUITATURA MORFOSSINTÁTICA DO GÊNERO. Revista ECOS, 1(2). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/1060

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)