A GENÉTICA DE UM SONETO IMPACTANTE: POR SER UNO DE PEDRO LYRA

Autores

  • Manuela Chagas Manhães UENF –UNESA
  • Pedro Lyra UENF

Resumo

Ao iniciar este trabalho, refletimos sobre a palavra gênese: A origem. Origem de um poema, origem de uma ideia, origem do artesanato das palavras, da formação comunicativa. A origem da expressão das emoções, das percepções, da vida vivida ou observada. A origem que se dá no processo humano pela capacidade inventiva, criativa, nos processos culturais e se perpetua com as palavras. Tantos e tantas tentam dizer de maneiras distintas sobre as relações humanas e suas sentimentalidades, seus valores, seus paradigmas, suas ideias em diferentes contextos sócio históricos, que interferem em suas produções comunicativas. Entretanto, são os poetas, considerados aqueles que traduzem todos estes elementos que circunscrevem a todos nós, por terem uma sensibilidade, um olhar diferenciado, por terem na sua origem, na sua gênese a intuição, a qual em seu processo de interlocução com o mundo traduz em palavras, dão o formato em seus versos para que nós, meros homens e mulheres no cotidiano, aspiramos um dia conseguir dizer em pequenas frases simbólicas. Então, penso: como o poeta desenvolve esta intuição intencional: Falar de sua origem seria falar das musas? Como definir a gênese de Pedro Lyra, enquanto sujeito social, com histórias, lugares, pessoas, vivências, conhecimento, culturas, ciclos sociais? Como não considerar todas esta gama de variáveis pra entender a sua métrica? Basta dizer da construção de suas poesias ou será que teríamos que investigar além de sua narrativa? Todas estas considerações passam por este trabalho enquanto entendemos a gênese deste amor implícito, ou explícito, no soneto de consolação- XXV (por ser Uno).

Referências

Documentos do processo e mapas de emenda fornecidos pelo poeta Pedro W. Lyra.

Downloads

Publicado

05/03/2016

Como Citar

Manhães, M. C., & Lyra, P. (2016). A GENÉTICA DE UM SONETO IMPACTANTE: POR SER UNO DE PEDRO LYRA. Revista ECOS, 19(2). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/1159