ENTRE ECOS E OCOS VIVER É MUITO PERIGOSO BETWEEN ECHOES AND HOLLOW LIVE IS VERY DANGEROUS

Autores

  • Aristelson Gomes dos Santos UNEMAT

Resumo

Este trabalho propõe fazer um estudo comparatista com duas obras: Grande sertão: veredas (2001) e Madona dos Páramos (2008), do sistema literário brasileiro, cujos escritores são: João Guimarães Rosa, da primeira, e Ricardo Guilherme Dicke, da segunda obra. O objetivo é mostrar as divergências e convergências que ambas as obras tem ao tocarem nas questões do homem no aprendizado da vida. Assim, os elementos a serem analisados estão na relação estabelecida entre personagens e o espaço, que são figuras centrais dessa análise. Desse modo, averiguaremos como os escritores manipulam esses elementos, a fim de mostrar sua importância na construção de significados. Portanto, o que se busca é compreender a força de significação da relação entre o homem e o seu espaço, através da linguagem.

Referências

BOSI, Alfredo. A história concisa da literatura brasileira. 3ª ed. 17ª tiragem. São Paulo: Editora Cultrix, 1997.

CANDIDO, Antonio. Literatura e subdesenvolvimento. In. Educação pela noite. 6ª ed. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2011.

COUTINHO, Afrânio. A literatura no Brasil. 2ª ed. VI volumes. Rio de Janeiro: Editorial Sul América, 1968.

COUTINHO, Eduardo F. Grande sertão: veredas. Travessias. São Paulo: É Realizações, 2013.

DICKE, Ricardo Guilherme. Madona dos Páramos. Cuiabá, MT: Carlini e Caniato, Cathedral Publicações, 2008.

MACHADO, Madalena. A literatura de Ricardo Dicke, intervenções críticas. São Paulo: Arte e Ciência, 2014.

ROSA, João Guimarães. Grande sertão: veredas. 19 ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.

Downloads

Publicado

01/10/2016

Como Citar

Santos, A. G. dos. (2016). ENTRE ECOS E OCOS VIVER É MUITO PERIGOSO BETWEEN ECHOES AND HOLLOW LIVE IS VERY DANGEROUS. Revista ECOS, 20(1). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/1508