CENAS DE UM MUNDO ARCAICO: UMA (NOVA) VERSÃO PARA “O CASO DO VESTIDO”, DE DRUMMOND NO ROMANCE-ARGUMENTO DE CARLOS HERCULANO LOPES/SCENES OF AN ARCHAIC WORLD: A NEW VERSION FOR “O CASO DO VESTIDO” BY DRUMMOND, IN THE NOVEL-SCENARIOS BY CARLOS HERCULANO LOP

Autores

  • Ricardo Magalhães Bulhões UFMS
  • Wagner Corsino Enedino UFMS

Resumo

Este artigo tem por objetivo apresentar uma possibilidade de leitura do romance-argumento O Vestido, de Carlos Herculano Lopes, na qual se considera o modo como o autor, a partir do texto de Drummond, aproxima-se da memória da protagonista – memória individual e coletiva – para dramatizar situações de violência localizadas em espaços, rural e citadino, e contexto histórico específicos, associadas à sociedade patriarcal mineira da década de 1950. Através dos confrontos entre Ângela e Bárbara, o espaço acanhado do sertão mineiro e as ruas modernas das grandes cidades (Belo Horizonte, Paris) se sobrepõem, provocando conflitos culturais, sociais, os autoritarismos, questões ligadas à identidade do país ainda em formação. A intertextualidade estabelecida entre “O Caso do Vestido” e O Vestido ocorre graças a uma estratégia narrativa própria da literatura contemporânea, a de apropriação e (re) escritura de textos literários canônicos. 

Biografia do Autor

Ricardo Magalhães Bulhões, UFMS

Professor Associado da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campus de Três Lagoas. Atua no Programa de Pós-Graduação em Letras na mesma Instituição.

Wagner Corsino Enedino, UFMS

Professor Associado da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campus de Três Lagoas. Atua no Programa de Pós-Graduação em Letras na mesma Instituição.

Referências

ADORNO, T. W. et al. Teoria da cultura de massa. Comentários e seleção de Luiz Costa Lima. 6. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

ADORNO, T. W. Notas de Literatura I. Tradução e apresentação de Jorge M. B. de Almeida. São Paulo: Duas Cidades; Editora 34, 2012.

ARRIGUCCI, JR., D. O guardador de segredos. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

BARTHES, R. Inéditos. Tradução de Ivone Castilho Benedetti. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

BENJAMIN, W. A obra de arte na época de sua reprodutibilidade técnica. In: ______. Magia e técnica, arte e política. Tradução de Sergio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1985, p. 165-196.

_______. Sobre alguns temas em Baudelaire. In: ______. Obras escolhidas III: Charles Baudelaire: um lírico no auge do capitalismo. Tradução de José Carlos Martins Barbosa e Hemerson Alves Baptista. São Paulo: Brasiliense, 1991. p. 103-149.

BOSI, A. Brás Cubas em três versões: estudos machadianos. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

CANDIDO, A. Literatura e subdesenvolvimento. In: ______. A educação pela noite e outros ensaios. São Paulo: Ática, 1987, p. 140-162.

DURÃO, F. A. Modernismo e coerência: quatro capítulos de uma estética negativa. São Paulo: Nankin, 2012.

GOODMAN, N. Linguagens da arte. Lisboa: Gradiva, 2006.

GUINZBURG, J. Crítica em tempos de violência. São Paulo: Edusp/Fapesp, 2012.

HANSEN, J. A. “O imortal” e a verossimilhança. Teresa - Revista de Literatura Brasileira, São Paulo, v. 1, n. 6-7, p.56-78, 2006.

HOLANDA, S. B. de. Raízes do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

HUTCHEON, L. Uma teoria da adaptação. Tradução de André Cechinel. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2011.

LAJOLO, M. Regionalismo e história da Literatura: quem é o vilão da história? In: Historiografia brasileira em perspectiva. São Paulo: Contexto, 2000.

LINS, Ronaldo Lima. Violência e literatura. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1990.

LOPES, C. H. O Vestido. Cidade: editora, 2006.

LUKÁCS, G. La novela histórica. Cidade do México, México: Ediciones Era, 1966.

MERQUIOR, J. G. Verso universo em Drummond. São Paulo: É Realizações, 2012.

MOURA, M. M. de. Cadernos de leituras – Carlos Drummond de Andrade. São Paulo Companhia das Letras, 2012.

ORLANDI, E. P. As formas do silêncio: no movimento dos sentidos. 3. ed. Campinas: Ed. Unicamp, 2007.

PELLEGRINI, T. Despropósitos: estudos de ficção brasileira contemporânea. São Paulo: Annablume; Fapesp, 2008.

ROSENFELD, A. Prismas do teatro. São Paulo: Perspectiva, 1993.

RYNGAERT, J.P. Ler teatro contemporâneo. Tradução de Andréa Stahel M. da Silva. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

SANT’ANNA, A. R de. Paródia, paráfrase & cia. 8. ed. São Paulo: Ática, 2007.

SANTOS, L. A. B; OLIVEIRA, S. P de. Sujeito, tempo e espaço ficcionais: introdução à teoria da literatura. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

SILVA, V. M. A e. Teoria da Literatura. Coimbra: Livraria Almedina, 1988.

SPIVAK, G. C. Pode o subalterno falar? Trad. Sandra Regina Goulart Almeida et al. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2010.

VILLAÇA, A. Poesia de Drummond na trilha dos enigmas. In: ______. MOURA, M. M. de. (Org.). Cadernos de leituras – Carlos Drummond de Andrade. São Paulo: companhia das Letras, 2012. p. 107-122.

WATT, I. A ascensão do romance. Tradução de Hildegard Feist. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

Downloads

Publicado

17/09/2017

Como Citar

Bulhões, R. M., & Enedino, W. C. (2017). CENAS DE UM MUNDO ARCAICO: UMA (NOVA) VERSÃO PARA “O CASO DO VESTIDO”, DE DRUMMOND NO ROMANCE-ARGUMENTO DE CARLOS HERCULANO LOPES/SCENES OF AN ARCHAIC WORLD: A NEW VERSION FOR “O CASO DO VESTIDO” BY DRUMMOND, IN THE NOVEL-SCENARIOS BY CARLOS HERCULANO LOP. Revista ECOS, 22(1). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/2290