“O SABOR DO SABER” À LUZ DO APARELHO FORMAL DA ENUNCIAÇÃO/"THE TASTE OF KNOWING" AT THE LIGHT OF THE APPLIANCE FORMAL OF ENUNCIATION

Autores

  • Sandra Klafke Universidade do Vale do Rio dos Sinos
  • Patrick Alif Fertrin Batista Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

Resumo

O presente artigo parte da análise do aparelho formal da enunciação (BENVENISTE, PLGII, 2006), a fim de criar uma possibilidade discursivo-analítica que dê suporte à leitura da crônica “O sabor do saber”, de Rubem Alves (2005), publicada no jornal Folha de São Paulo. A análise proposta dá relevância para a relação do locutor com sua enunciação, destacando o próprio ato enunciativo, a situação e os instrumentos de realização do ato -os índices específicos e os procedimentos acessórios. De forma geral, a análise empreendida aponta que o locutor traz à tona a importância da compaixão em um mundo que carece dela, dando a palavra ao interlocutor para que este possa se assumir como sujeito, tomando para si o aparelho formal da enunciação para, de posse dele, enunciar, evocar a língua e subjetivar.

Biografia do Autor

Sandra Klafke, Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Pós doutoranda em Comunicação (PNPD/CAPES), na Universidade Federal do Mato Grosso do Sul. Doutora em Linguística Aplicada pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Campo Grande/MS, Brasil.

Patrick Alif Fertrin Batista, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul.

Referências

ALVES, Rubem. Sabor do saber. São Paulo, Folha de São Paulo, 27 set. 2005, p. 22.

ARESI, F. Síntese, organização e abertura do pensamento enunciativo de Émile Benveniste: uma exegese de ‘O aparelho formal da enunciação’. Dissertação de Mestrado. Orientação: Dr. Valdir do Nascimento Flores. Porto Alegre: UFRGS, 2012.

ARESI, F. Os índices específicos e os procedimentos acessórios da enunciação. ReVEL, v. 9, n. 16, mar. 2011.

BENVENISTE, É. O aparelho formal da enunciação. In.: Problemas de Linguística Geral II. Campinas: Pontes, 2005.

FLORES, V. N.; TEIXEIRA, M. Introdução à linguística da enunciação. São Paulo: Contexto, 2005.

FLORES, V. N.; TEIXEIRA, M. Introdução à linguística da enunciação. São Paulo: Contexto, 2005.

FLORES, V. N.; SILVA, S.; LICHTENBERG, S. WEIGERT, T. Enunciação e Gramática. São Paulo: Contexto, 2005.

KLAFKE, S. R. “Da (re)criação enunciativa da experiência humana: a fotografia como testemunho”. [Tese]. Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada, São Leopoldo, RS, 2016.

MELLO, V. H. D. A sintagmatização-semantização: uma proposta de análise de texto. Tese de doutorado. Orientação: Dr. Valdir do Nascimento Flores. Porto Alegre: UFRGS, 2012.

Downloads

Publicado

17/09/2017

Como Citar

Klafke, S., & Batista, P. A. F. (2017). “O SABOR DO SABER” À LUZ DO APARELHO FORMAL DA ENUNCIAÇÃO/"THE TASTE OF KNOWING" AT THE LIGHT OF THE APPLIANCE FORMAL OF ENUNCIATION. Revista ECOS, 22(1). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/2297

Edição

Seção

LINGUÍSTICA/ LÍNGUA PORTUGUESA