DO LOCUS DA INFÂNCIA EM CONTOS DO NASCER DA TERRA

Autores

  • Lola Geraldes Xavier Professora adjunta na Escola Superior de Educação de Coimbra / investigadora do Centro de Literatura Portuguesa da Universidade de Coimbra – Portugal.

Resumo

A partir de Contos do Nascer da Terra, de Mia Couto, aborda-se a infância enquanto estádio de fantasia e criatividade. Os narradores de Mia Couto “brincam” com a linguagem, através dos neologismos, e confrontam a realidade com o sobrenatural. Neste sentido, o trágico e o onírico são convocados para a criação de atmosferas em que o realismo mágico sobressai.

Referências

AFONSO, Maria Fernanda. O Conto Moçambicano. Escritas Pós-coloniais. Lisboa: Editorial Caminho, 2004.

ALAZRAKI, J. Qué es lo neofantástico?, in ROAS, David (org.), Teorías de lo Fantástico, Madrid, Arco/ Libros, 2001, p. 265-282.

BHABHA, Homi. Nation and Narration. London/New York: Routledge, 2006.

BOKIBA, André-Patient. Ècriture et Identité dans la Littérature Africaine. Paris: L’Harmattan, 1998.

COUTO, Mia. Cronicando. Lisboa: Caminho, 2001.

COUTO, Mia. O Beijo da Palavrinha. Lisboa: Caminho, 2008.

COUTO, Mia. Contos do Nascer da Terra. Lisboa: Caminho, 2009.

FARIS, Wendy. Ordinary Enchantments. Magical Realism and Remystification of Narrative. Nashville: Vanderbilt University Press, 2004.

MATUSSE, Gilberto. A Construção da Imagem da Moçambicanidade em José Craveirinha, Mia Couto e Ungulani Ba Ka Khosa. Maputo: Universidade Eduardo Mondlane, 1998.

MOURA, Jean-Marc. Littératures Francophones et Théorie Postcoloniale. Paris: PUF, 2005.

SAÚTE, Nelson. Mia Couto. Cada homem mais do que uma raça é uma humanidade (entrevista). Os Habitantes da Memória. Praia/Mindelo: Embaixada de Portugal/Centro Cultural Português, p. 223-235, 1998.

SPIVAK, Gayatri Chakravorty. Can the Subaltern Speak?. In Nelson, Cary and Grossberg, Larry (eds.). Marxism and the Interpretation of Culture. Chicago: University of Illinois Press, 1988. In http://www.mcgill.ca/files/crclaw-discourse/Can_the_subaltern_speak.pdf (consultado a 8/6/2014).

SIMÕES, Maria João. Fantástico como categoria estética: diferenças entre os monstros de Ana Teresa Pereira e Lídia Jorge. In SIMÕES, Maria João (coord.). O Fantástico. Coimbra: Centro de Literatura Portuguesa, 2007, p. 65-81.

SPRINTHALL, Norman e SPRINTHALL, Richard. Psicologia Educacional. Lisboa: MacGRAW-HILL, 1993.

TODOROV. Introduction à la Littérature Fantastique. Paris : Éditions du Seuil, 1970.

XAVIER, Lola Geraldes. O Discurso da Ironia. Lisboa: Novo Imbondeiro, 2007.

Downloads

Publicado

09/12/2014

Como Citar

Xavier, L. G. (2014). DO LOCUS DA INFÂNCIA EM CONTOS DO NASCER DA TERRA. Revista ECOS, 17(2). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/244