O DISTANCIAMENTO ENTRE ARTE, HISTÓRIA E MILITÂNCIA NO TEATRO POLÍTICO ANGOLANO: A Corda e A Revolta na Casa dos Ídolos de Pepetela

Autores

  • Sidnei Boz UNEMAT

Resumo

O teatro político teve sua origem na Rússia com o movimento “Agitprop”, no início do século XX, se expandiu pela Europa atingindo seu ápice na Alemanha com Brecht e o teatro épico. Muitas foram as mudanças deste novo estilo de teatro proposto no teatro épico, das quais uma se quer destacar: o efeito do distanciamento. Pepetela, autor angolano que foi militante do MPLA, utilizou-se das técnicas brechtianas para produção de duas peças A Corda e A Revolta na Casa dos Ídolos. Estas peças foram produzidas em um momento de intensa militância política, o pós-independência de Angola nos anos finas da década de 1970. Busca-se no trabalho ressaltar especialmente a arte, a história e a militância política especialmente quanto ao efeito estético do distanciamento entre palco e plateia.

Referências

COSTA, Iná Camargo. Sinta o drama. Petrópolis: Vozes, 1998.

GARCIA, Silvana. Teatro da militância: a intenção do popular no engajamento político. 2. ed., São Paulo, Perspectiva, 2004.

PEPETELA. A Corda. 2. ed., Luanda – Angola: União dos Escritores Angolanos, 1980a.

_________. A revolta da casa dos ídolos. Lisboa: Edições 70, 1980b.

_________. A revolta da casa dos ídolos. Citado por: CITI – Centro de investigação para tecnologias alternativas. - Disponível em: . Acesso em: 29 mar. 2012.

ÉBOLI, Luciana. Teatro e memória cultural em São Tomé e Príncipe e Angola: (dramamaturgias de Fernando de Macedo e José Mena Abrantes). Canoas: Unisalle, 2013.

SZONDI, Peter. Teoria do drama moderno (1880-1950). Tradução Luiz Sérgio Repa. São Paulo: Cosac & Naify, 2001.

Downloads

Publicado

09/12/2014

Como Citar

Boz, S. (2014). O DISTANCIAMENTO ENTRE ARTE, HISTÓRIA E MILITÂNCIA NO TEATRO POLÍTICO ANGOLANO: A Corda e A Revolta na Casa dos Ídolos de Pepetela. Revista ECOS, 17(2). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/248