CONSTRUÇÕES IDENTITÁRIAS DE USUÁRIOS SURDOS DE COMUNIDADE VINCULADA A UMA REDE SOCIAL/CONSTRUCTION OF IDENTITIES OF DEAF USERS IN A COMMUNITY LINKED BY A SOCIAL NETWORK

Autores

  • Sara Rafih Urenha UFMT
  • Dánie Marcelo de Jesus UFMT

Resumo

Neste artigo, analisamos os posts de uma página no Facebook, intitulados “Surdos relacionamento de namoro”, com 9.508 membros, com o objetivo de promover relação afetiva face a face entre seus participantes. Este estudo tem como finalidade compreender, por meio das escolhas verbais dos usuários, como as identidades surdas são construídas na comunidade on-line. O trabalho se assenta na referência teórica dos estudos sobre identidade surda (Skliar; 1998, Perlin;1998, Moura;2000; Sá (2002, 2006) e identidades (Hall;2000, Woodward;2000). O percurso teórico-metodológico é de base interpretativista nas perspectivas de Denzin e Lincoln (2006), Bortoni-Ricardo (2008) e Flick (2009). Os resultados sugerem que seus membros surdos apresentam identidades bastante heterogêneas, plurais e fragmentadas, opondo-se ao discurso corrente que percebe os surdos com sujeitos com uma identidade homogênea mediada pela língua de sinais.

Biografia do Autor

Sara Rafih Urenha, UFMT

Mestra em Estudos de Linguagem pela Universidade Federal de Mato Grosso. Professora do Curso de Fonoaudiologia do Centro Universitário de Várzea Grande.

Dánie Marcelo de Jesus, UFMT

Professor do Programa de Pós-graduação em Estudos da Linguagem e Cultura Contemporânea, da Universidade Federal de Mato Grosso.

Referências

AMARAL, Ligia Assumpção. Resgatando o passado: deficiência como figura e vida como fundo. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2004.

BORTONI-RICARDO, Stella Maris. O professor pesquisador: introdução à pesquisa qualitativa. São Paulo: Parábola, 2008.

BOTELHO, Paula. Linguagem e letramento na educação dos surdos. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.

CASTELLS, Manuel. O poder da identidade. 3. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

CAMILLO, Camila Righi Medeiros. A avaliação como dispositivo pedagógico: capturas discursivas no contexto da Educação de Surdos. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria, RS, 2008.

DENZIN, Norman K.; LINCOLN, Yvonna S. et al. O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.

ELIAS, Norbert; SCOTSON, John. L. Os estabelecidos e os outsiders: sociologia das relações de poder a partir de uma pequena comunidade. Trad. Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000.

FABRÍCIO, Branca Falabela; MOITA LOPES, Luis Paulo de. A dinâmica dos (re) posicionamentos de sexualidade em práticas de letramento escolar. In: MOITA LOPES, Luis Paulo; BASTOS, Liliana Cabral Bastos. (Org.). Para além da identidade: fluxos, movimentos e trânsitos. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2010. p.283-314.

FAIRCLOUGH, Norman. Discurso e mudança social. Brasília: Universidade de Brasília, 2001.

FELIPE, Tanya A. Libras em contexto – de estudante. Brasília: MEC, 2001.

FLICK, Uwe. Uma introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

GOFFMANN, Erving. A representação do eu na vida cotidiana. Petrópolis: Vozes, 1983.

GOMES, Nilma Lino. Alguns termos e conceitos no debate sobre relações raciais no Brasil: uma breve discussão. Brasília: MEC/ SEB, 2008.

GRIGOLETTO, Marisa. Leituras sobre a identidade: contingência, negatividade e invenção. In: MAGALHÃES, Izabel; CORACINI, Maria José; GRIGOLETTO, Marisa. (Org.). Práticas identitárias: língua e discurso. São Carlos: Clara Luz, 2006. p.15-44.

GUMPERZ, JOHN, J. Language and social identity. Cambridge, UK: Cambridge University Press, 1981.

HALL, Stuart. A centralidade da cultura: notas sobre as revoluções culturais de nosso tempo. Educação & Realidade, Porto Alegre, UFRS/FACED, v. 22, n. 2, jul./dez. 1997. Disponível em: <http://www.ufrgs.br/neccso/downloadtextos.html>. Acesso em: jun. 2015.

______. A identidade cultural na pós-modernidade. Trad. Tomaz Silva e Guacira Louro. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

JESUS, Dánie Marcelo de. “Eu amo a língua portuguesa!”: o discurso de usuários do Orkut. Revista Polifonia, n. 17, GELCO, Cuiabá: Editora da UFMT, p. 239-253, 2009.

LIMA, Elcivanni Santos. Discurso e identidade: um olhar crítico sobre a atuação do intérprete de Libras na educação superior. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística, Instituto de Letras, Universidade de Brasília. Brasília, 2006.

MAHER, Terezinha Machado. Sendo índio em português... In: SIGNORINI, I. (Org.). Língua(gem) e identidade. Campinas: Mercado das Letras; FAPESP/FAEP, 2001.

MOURA, Maria Cecília de. O surdo: caminhos para uma nova identidade. Rio de Janeiro: Revinter, 2000.

PERLIN, Gladis. Histórias de vida surda: identidades em questão. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS/FACED. Porto Alegre, 1998.

SÁ, Nídia Limeira de. Discurso surdo: a escuta dos sinais. In: SKLIAR, Carlos. (Org.). A surdez: um olhar sobre as diferenças. Porto Alegre: Ed. Mediação, 1998.

______. Cultura, poder e educação de surdos. Niterói: EDUFF, 2002.

SANTANA, Ana Paula. Surdez e linguagem. São Paulo: Editora Plexus, 2007.

SANTANA, Ana Paula; BERGAMO, Alexandre. Cultura e identidade surdas: encruzilhada de lutas sociais e teóricas. Educ. Soc., Campinas, v. 26, n. 91, p. 565-582, Maio/Ago. 2005. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/es/v26n91/a13v2691.pdf>. Acesso em: 05 out. 2015.

SILVA, Tomaz Tadeu da. A produção social da identidade e da diferença. In: SILVA, Tomaz Tadeu da; HALL, Stuart; WOODWARD, Kathryn. (Orgs.). Identidade e diferença: A perspectiva dos Estudos Culturais. Petrópolis: Vozes, 2000.

SKLIAR, Carlos. (Org.). A surdez: um olhar sobre as diferenças. Porto Alegre: Ed. Mediação, 1998.

STERNBERG, Robert J.; GRIGORENKO, Elena L. Crianças rotuladas. Porto Alegre: Artmed, 2003.

STROBEL, Karin Lilian. A visão histórica da in(ex)clusão dos surdos nas escolas. ETD - Educação Temática Digital, v. 7, n. 2, 2006. Disponível em: <http://143.106.58.55/revista/viewarticle.php?id=125&layout=abstract>. Acesso em: 2 ago. 2015.

VEREZA, Solange Coelho. Quem fala por mim?: identidade na produção discursiva em língua estrangeira. In: MOITA LOPES, L. P.; BASTOS, L. C. B (Org.). Identidades, recortes multi e interdisciplinares. Campinas: Mercado de Letras, 2002. p.351-361.

VIANNA, Gláucia dos Santos. Corpo surdo: na língua, na corporeidade e na história, os sentidos. Tese (Doutorado em Linguística) – Faculdade de Letras, Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2014.

XAVIER, Priscila Aparecida Moraes Henkemaier; JESUS, Dánie Marcelo de; JOSEPH, Tatiana Wonsik Recompenza. Desafios e perspectivas em práticas de letramento por alunos surdos em curso a distância de língua inglesa. Polifonia, Cuiabá, v. 21, n. 29, p. 254-274, jan-jul. 2014.

WRIGLEY, Owen. The politics of deafness. Washington, USA: Gallaudet University Press, 1996.

Downloads

Publicado

30/06/2018

Como Citar

Urenha, S. R., & Jesus, D. M. de. (2018). CONSTRUÇÕES IDENTITÁRIAS DE USUÁRIOS SURDOS DE COMUNIDADE VINCULADA A UMA REDE SOCIAL/CONSTRUCTION OF IDENTITIES OF DEAF USERS IN A COMMUNITY LINKED BY A SOCIAL NETWORK. Revista ECOS, 24(1). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/3055

Edição

Seção

LINGUÍSTICA/ LÍNGUA PORTUGUESA