A TRADUÇÃO E O ENSINO DE INGLÊS NA CONTEMPORANEIDADE

Autores

  • Luís Otávio Batista

Resumo

Durante muitos anos, a tradução ocupou um papel central no ensino de línguas, por meio do método Gramática e Tradução, em que serviu como meio para o aluno aprender estruturas linguísticas, pois a ideia principal desse método era que através do conhecimento estrutural da língua, o aprendiz dominaria a língua-alvo. No entanto, com a ascensão das línguas modernas, no início do século passado, principalmente, o francês e o inglês, o cerne do ensino-aprendizagem mudou, enfocando a habilidade oral. A partir de então, a tradução foi ignorada pelos métodos que sucederam o Gramática e Tradução, em especial, pela Abordagem Comunicativa, no início dos anos 80, do século passado. Dessa forma, o objetivo desse trabalho é investigar como pesquisadores da área dos Estudos da Tradução têm tratado da tradução na contemporaneidade e como essa área pode auxiliar o ensino-aprendizagem de inglês que escapem da concepção de tradução enraizada no senso comum.

Referências

ALMEIDA FILHO, J. C. P. Dimensões Comunicativas no ensino de línguas. Campinas: Pontes, 1993.

BATISTA, L. O. Processo de reflexão sobre a avaliação em Língua Estrangeira (inglês) por professores recém-formados. 2004. 205f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Departamento de Linguística Aplicada, Universidade Estadual de Campinas.

BRANCO, S. O. Teorias da tradução e o ensino de língua estrangeira. Horizontes de Linguística Aplicada, Brasília, v. 8, n. 2, p. 185-199, 2009.

BOHUNOVSKY, R. O ensino de línguas estrangeiras no Brasil e a “compreensão do estrangeiro”: o papel da tradução. Horizontes de Linguística Aplicada, Brasília, v. 8, n. 2, p. 170-184, 2009.

________________. A tradução no ensino de línguas: vocabulário, gramática, pragmática ou consciência cultural? Trabalhos de Linguística Aplicada, Campinas, 50, v. 1, p.205-217, 2011.

CARVALHO NETO, G. L.& BOHUNOVSKY, R. Tradução e mediação no ensino de alemão como língua estrangeira. In: BOHUNOVSKY, R. (Org.). Ensinar alemão no Brasil: contextos e conteúdos. Curitiba: Editora da UFPR, 2011, p. 237-255.

GARCIA, L. A.; CARVALHO, J.; KEBDI, J. Q. F.; BAUMRUKER, C. L. Vantagens e desvantagens acerca da tradução no ensino de Língua Inglesa. Folio – Revista de Letras, Vitória da Conquista, v. 3, n. 1, p. 185-198, 2011.

QUADRO COMUM EUROPEU DE REFERÊNCIAS PARA AS LÍNGUAS: Disponível em: <http://www.dgidc.min-edu.pt/recursos/Lists/Repositorio%20Recursos2/Attachments/724/Quadro_Europeu_total.pdf.>. Acesso em : 23 mar. 2013.

LUCINDO, E. S. Tradução e ensino de línguas estrangeiras. Scientia Traductions, Florianópolis, n. 3, p. 1-11. 2006.

MARCONI, M. A. & LAKATOS, E. M. Metodologia do trabalho científico: procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório, publicações e trabalhos científicos. São Paulo: Atlas, p. 234, 2001.

NICHOLLS, S. M. Aspectos pedagógicos e metodológicos do ensino de inglês. Maceió: EDUFAL, 2001.

ROMANELLI, S. Traduzir ou não traduzir em sala de aula? Eis a questão. In: Revista Inventário. 5. ed., fmar/2006. Disponível em http://www.inventario.ufba.br/05/05sromanelli.htm. Acesso em: 09 abr. 2013.

_______________. O uso da tradução no ensino-aprendizagem das línguas estrangeiras. Horizontes de Linguística Aplicada, Brasília, v. 8, n.2, p. 200-219, 2009.

TECCHIO, I. & BITTENCOURT, M. A tradução no ensino-aprendizagem de Línguas Estrangeiras. Revista Magistro, Revista do Programa de Pós-Graduação em Letras e Ciências Humanas – UNIGRANRIO, Rio de Janeiro, v. 2, n. 1, p. 152-165, 2011.

UPHOFF, D. A história dos métodos de ensino de inglês no Brasil. In BOLOGNINI, C. Z. (Org.). Discurso e ensino: a língua inglesa na escola. Campinas, Mercado de Letras, 2007

WELKER, H. A. Traduzir frases isoladas na sala de aula de língua estrangeira – por que não? Brasília, Horizontes, 2003. Disponível em WWW.unb.br/il/let/welker/tradfras.doc. Acesso em: 22 jun. 2013.

Downloads

Publicado

11/09/2014

Como Citar

Batista, L. O. (2014). A TRADUÇÃO E O ENSINO DE INGLÊS NA CONTEMPORANEIDADE. Revista ECOS, 16(1). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/46

Edição

Seção

LINGUÍSTICA/ LÍNGUA PORTUGUESA