O EFÊMERO E O REGISTRO NA POÉTICA DE LUCINDA PERSONA/THE EPHEMERAL AND THE RECORD IN LUCINDA PERSONA POETICS

Autores

  • Judikerle Pereira de Oliveira Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT
  • Célia Maria Domingues da Rocha Reis UFMT

Resumo

Neste artigo serão analisados os poemas de Lucinda Persona, “Infinito seria” (Ser Cotidiano, 1998), e “Traços” (Tempo comum, 2009), na perspectiva do efêmero, observando-se a complementaridade entre a brevidade, o banal e o seu oposto, a permanência, e entre a memória e o hábito; e do registro, a presentificação como estratégia de construção de um presente eterno. Como resultado do diálogo entre esses aspectos, verificamos que as pequenas insignificâncias da rotina, por meio da memória e da escritura dos versos, mostra e estimula buscas próprias às vivências na contemporaneidade.

PALAVRAS-CHAVE: Literatura e efêmero; Precariedade da duração; Registro do banal.

 

Biografia do Autor

Judikerle Pereira de Oliveira, Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT

Mestre em Estudos de Linguagem pelo Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagem da Universidade Federal de Mato Grosso.

Célia Maria Domingues da Rocha Reis, UFMT

Docente do Curso de Graduação em Letras e do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagem da Universidade Federal de Mato Grosso.

Referências

BAUMAN, Zygmunt. Tempo/Espaço. In: ______. Modernidade líquida.

Tradução de Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Zahar, 2001. p. 107-149.

______. Tempos líquidos. Tradução de Carlos Alberto Medeiros. Rio de

Janeiro: Zahar, 2007.

BRASIL, André. Insignificâncias: a política nas intervenções do Poro. In: CAMPBELL,

Brígida; TERÇA-NADA, Marcelo (Org.). Intervalo, respiro, pequenos deslocamentos:

ações poéticas do Poro. São Paulo: Radical Livros, 2011. p. 32-37.

CAMPBELL, Brígida. Ocupar, afetar e cocriar um espaço urbano sensível. In: ______. Arte para uma cidade sensível. São Paulo: Invisíveis Produções, 2015. p. 18-33.

CARTAXO, Zalinda. Arte nos espaços públicos: a cidade como realidade. In: KOSOVSKI, Lídia; LIMA, Evelyn Furquim Werneck (Org.). Revista o percevejo. Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 116, jan./jun. 2009.

PAZ, Octavio. A imagem. In: ________. O arco e a lira. Trad. Olga Savary. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1982. p. 119-138.

PERSONA, Lucinda Nogueira. Ser cotidiano. Rio de Janeiro: Sette Letras, 1998.

______ . Tempo comum. Rio de Janeiro: Sette Letras, 2009.

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Tradução de Alain François et al. Campinas: Ed. UNICAMP, 2007.

SELLIGMAN-SILVA, Márcio. Antimonumentos: trabalho de memória e de resistência. Psicologia USP, São Paulo, v. 27, n. 1, p. 49-60, 2016.

Downloads

Publicado

02/01/2021

Como Citar

Oliveira, J. P. de, & Reis, C. M. D. da R. (2021). O EFÊMERO E O REGISTRO NA POÉTICA DE LUCINDA PERSONA/THE EPHEMERAL AND THE RECORD IN LUCINDA PERSONA POETICS. Revista ECOS, 29(2). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/5109

Edição

Seção

LITERATURA