NARRATIVAS DA FLORESTA: A LITERATURA INDÍGENA NO AMAZONAS/NARRATIVES FROM THE FOREST: AMAZON INDIGENOUS LITERATURE

Autores

  • Renata Beatriz B. Rolon Universidade do Estado do Amazonas
  • Francisco Bezerra dos Santos Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Resumo

RESUMO: Nosso artigo analisa a produção literária indígena no Amazonas, na tentativa de compreender esse fenômeno recente, mas que apresenta um número expressivo de publicação. Nossas considerações levam em conta as condições histórico-sociais, as condições de produção, os incentivos para publicação e os problemas concernentes à remuneração desses escritores – categorizados como representantes de minorias. São temas importantes para compreendermos o processo de produção de obras indígenas no Brasil, mais particularmente no Amazonas. As implicações dos processos apresentados, permitiu-nos perceber a posição do autor de literatura indígena e avaliar o valor e a pertinência de suas obras em determinadas configurações sociais.

PALAVRAS-CHAVE: Literatura indígena; Produção literária no Amazonas; Formação do campo.

 

Biografia do Autor

Renata Beatriz B. Rolon, Universidade do Estado do Amazonas

Doutora em Letras - Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa (USP). Professora adjunta da Universidade do Estado do Amazonas - ENS, e do Programa de Pós-Graduação em Letras e Artes, PPGLA/UEA.

Francisco Bezerra dos Santos, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Mestre em Letras e Artes pela Universidade do Estado do Amazonas (PPGLA/UEA).

Referências

ALMEIDA, Maria Inês de, QUEIROZ, Sônia. Na captura da voz: as edições da narrativa oral no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica: FALE/UFMG, 2004.

______________. Desocidentada: experiência literária em terra indígena. Belo Horizonte: Editora UFMAG, 2009.

BOURDIEU, Pierre. As regras da arte: gênese e estrutura do campo literário. Trad. Maria Lúcia Machado. São Paulo: Cia da Letras, 1996.

________________. O poder simbólico. 16. ed. Trad. Fernando Tomaz. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

BRITTO, Tarsilla Couto de, SOUSA FILHO, Sinval Martins de, VIEIRA, Gláucia Cândido. O avesso do direito à literatura: por uma definição de literatura indígena. Estudos de literatura brasileira contemporânea, n. 53, p. 177-197, jan./abr. 2018.

CARDOSO, Ytanajé Coelho. Canumã: a travessia. Manaus, Editora Valer, 2019.

DELCASTAGNÈ, Regina. Literatura brasileira contemporânea: um território contestado. Vinhedo, Editora Horizonte / Rio de Janeiro, Editora da UERJ, 2012.

DIAKARA, Jaime. Yahi puíro ki´ti: a origem da constelação da garça. Manaus: Valer, 2011.

DORRICO, Julie. A oralidade no impresso: o ‘eu-nós lírico-político’ da literatura indígena contemporânea. Revista Boitatá, Londrina, n. 24, p. 216-233, ago./dez. 2017a.

_____________. Literatura Indígena e seus intelectuais no Brasil: da autoafirmação e da autoexpressão como minoria à resistência e à luta político-culturais. Revista de estudos e pesquisas sobre as Américas. n. 3, p. 114-136, 2017b.

GRAÚNA, Graça. Contrapontos da Literatura Indígena contemporânea no Brasil. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2013.

GUARÁ, Roní Wasiry. Olho d’água: o caminho dos sonhos. Belo Horizonte: Autêntica, 2012.

GUESSE, Érika Bergamasco. Shenipabu Miyui: literatura e mito. Tese (Doutorado em Estudos Literários) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 2014.

HAKIY, Tiago. Awyató-pót: histórias indígenas para crianças. São Paulo: Paulinas, 2011.

KAMBEBA, Márcia Wayna. Ay Kakyri Tama: Eu moro na cidade. Manaus: Grafisa Gráfica e Editora, 2013.

__________________. Literatura indígena: da oralidade à memória escrita. In: DORRICO, Julie et al. (Orgs.). Literatura indígena brasileira contemporânea: criação, crítica e recepção. Porto Alegre: Editora Fi, 2018. p. 39-44.

KRÜGER, Marcos Frederico. Amazônia: mito e literatura. 2.ª ed. Manaus: Valer / Governo do Estado do Amazonas, 2005.

LIMA, Carlos Emílio Correa. Antes o mundo não existia: o livro da outra origem do mundo. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal, 2018.

MINÁPOTY, Lia. Lua-menina e menino-onça. Belo Horizonte: RHJ, 2014.

PÃRÕKUMU, Umusi, KEHÍRI, Torãmu. Antes o mundo não existia: a mitologia dos índios Desâna. 1. ed. São Paulo: Livraria Cultura, 1980.

SAID, Edward. Representações do intelectual: as Conferências Reith de 1993. Trad. Milton Hatoum. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

SILVA, Edson. O ensino de História indígena: possibilidades, exigências e desafios com base na Lei 11.645/2008. Revista História Hoje, v. 1, n. 2, p. 213-223, 2012.

SOUZA, Ely Ribeiro de. Literatura indígena e direitos autorais. In: DORRICO, Julie et al. (Orgs.). Literatura indígena brasileira contemporânea: criação, crítica e recepção. Porto Alegre: Editora Fi, 2018. p. 51-74.

YAGUAKÃG, Elias. Aventuras do menino Kawã. São Paulo: FTD, 2010.

YAMÃ, Yaguarê. Yaguarãboia: a mulher-onça. São Paulo: LeYa, 2013.

Referências digitais

BRASIL (2014). Ministério da Educação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Edital PNBE Indígena 2014. Disponível em: https://goo.gl/AoEMZ5. Acesso em: 07/05/2019.

BRASIL. Lei nº 11.645 de 10 de março de 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11645.htm. Acesso em: 10/09/2019.

Downloads

Publicado

02/01/2021

Como Citar

Rolon, R. B. B., & Santos, F. B. dos. (2021). NARRATIVAS DA FLORESTA: A LITERATURA INDÍGENA NO AMAZONAS/NARRATIVES FROM THE FOREST: AMAZON INDIGENOUS LITERATURE. Revista ECOS, 29(2). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/5112

Edição

Seção

LITERATURA