ENTRE A LINGUÍSTICA E A LÓGICA: OS INDEFINIDOS/BETWEEN LINGUISTICS AND LOGIC: ISSUES WITH UNDEFINED EXPRESSIONS

Autores

  • Jorge Alberto Molina Universidade Estadual de Rio Grande do Sul (UERGS)
  • Marcos Luiz Cumpri Universidade do Estado de Mato Grosso (PPGL/UNEMAT)

Resumo

Neste trabalho nos ocupamos da interpretação e descrição dos enunciados contendo expressões indefinidas. Na primeira parte apresentamos o problema objeto de discussão e distinguimos entre uma análise lógica e uma análise linguística dos enunciados. Na segunda parte, tecemos algumas considerações sobre a quantificação das expressões predicativas. Na terceira apresentamos duas hipóteses sobre a natureza dos indefinidos que chamamos, seguindo Ducrot, hipótese enunciativa e hipótese existencial. Na quarta parte expomos os argumentos contra a hipótese existencial, as réplicas de Ducrot a essas razões e alguns argumentos contra a hipótese enunciativa. Na quinta parte fazemos um balanço da questão e apresentamos nossas conclusões.

PALAVRAS-CHAVE: Semântica; Enunciação; Lógica; Indefinidos; Ducrot.

Biografia do Autor

Jorge Alberto Molina, Universidade Estadual de Rio Grande do Sul (UERGS)

Universidade Estadual de Rio Grande do Sul (UERGS). Doutor em Lógica e Filosofia da Ciência.

Marcos Luiz Cumpri, Universidade do Estado de Mato Grosso (PPGL/UNEMAT)

Universidade do Estado de Mato Grosso (PPGL/UNEMAT). Doutor em Linguística e Língua Portuguesa.

Referências

ARISTOTELES. Les premieres analytiques. Tradução francesa de J.Tricot. Paris: Vrin, 1983.

_________________. De l' interpretation. Tradução francesa de J. Tricot. Paris: Vrin, 1984.

ARNAULD, A. e LANCELOT, C. Gramática de Port Royal. Tradução portuguesa de Bruno Fregni Bassetto e Henrique Graciano Murachio. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

ARNAULD, A. e NICOLE, P. La logique ou l'art de penser . Flammarion: Paris, 1970.

BENVENISTE, E. Problemas de linguística geral. Tradução de Glória Novak e Luiza Neri São Paulo: Ed. Nacional, Ed. da Universidade de São Paulo, 1976.

COPI, I. Introducción a la Lógica. Buenos Aires: EUDEBA, 1981.

DUCROT, O. Os indefinidos e a enunciação. In: Provar e dizer. Leis lógicas e argumentativas. São Paulo: Global Ed., 1981.

DUCROT, O.;TODOROVOV, T. Dicionário enciclopédico das ciências da linguagem. 3 edição. São Paulo: Perspectiva, 2001

FREGE, G. Estudios sobre semántica.Tradução espanhola de Jesús Mosterín. Buenos Aires: Hyspamérica, 1985.

GEACH, P. Reference and generality . An examination of Some Medieval and Modern Theories. 3 edição. Cornell University Press, 1980.

GUILLAUME, Gustave. Leçons de linguistique, v. 8, Québec: Presses Universitaires de Lille, 1988.

KNEALE,W;.KNEALE,M. El desarrollo de la lógica. Madri: Tecnos, 1972

MONTAGUE, R. Selected papers. Yale University, 1974.

NEVES, Maria Helena de Moura. A vertente grega da gramática tradicional. Uma visão do pensamento grego sobre a linguagem. 2 edição. São Paulo: UNESP.

O’Kelly, Dairine. Autour de la notion de personne. In.: RIVIÈRE, C. et GROUSSIER, M. L. (eds.). La notion. Paris: Ophrys, 1997, p. 297-307.

QUINE, W.V O. Palabra y objeto. Tradução espanhola de Manuel Sacristán, Barcelona; Labor, 1968

RUSSELL, B. Los princípios de la matemática. Tradução espanhola de J.C Grimberg.Madri: Espasa-Calpa, 1967.

STRAWSON, P. Ensayos lógico-linguísticos. Tradução espanhola de Alfonso García Suárez e Luis M Valdés Villanueva. Madri: Tecnos, 1983.

Downloads

Publicado

02/01/2021

Como Citar

Molina, J. A., & Cumpri, M. L. (2021). ENTRE A LINGUÍSTICA E A LÓGICA: OS INDEFINIDOS/BETWEEN LINGUISTICS AND LOGIC: ISSUES WITH UNDEFINED EXPRESSIONS. Revista ECOS, 29(2). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/5118

Edição

Seção

LINGUÍSTICA