ERA UMA VEZ NO SERTÃO DO BRASIL: O PROJETO ESTÉTICO INFANTOJUVENIL (E POPULAR) DE BENJAMIM SANTOS/ONCE UPON A TIME IN THE SERTÃO OF BRAZIL: THE AESTHETIC CHILDREN (AND POPULAR) PROJECT OF BENJAMIM SANTOS

Autores

  • Aline Querolaine Lima Costa Universidade Federal do Acre
  • Wagner Corsino Enedino Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Palavras-chave:

Teatro brasileiro contemporâneo. Teatro infantojuvenil brasileiro. Benjamim Santos. Tempo. Espaço. Personagem.

Resumo

Ancorando-se nos pressupostos de Renata Pallottini (1989), Jean-Pierre Ryngaert (1996), Décio de Almeida Prado (2002),  Anne Ubersfeld (2003) e Patrice Pavis (2003) acerca dos modos como se constitui o discurso teatral, bem como as contribuições de Nelly Novaes Coelho (2006) e Regina Zilberman (2015) no que tange à historiografia do teatro infantojuvenil brasileiro, além dos estudos de Jean Chevalier e Alain Gheerbrant (2007) concernentes ao campo simbólico, surgiu a reflexão sobre como se configura a representação social das personagens inscritas na diegése O Princês do Piauí, do dramaturgo piauiense Benjamim Santos. Por meio dos traços estilísticos contidos na produção, pode-se compreender o projeto estético de Santos. Com efeito, ganha destaque, na análise, a estrutura, o enredo e o espaço. Notadamente, tais aspectos tornam-se seminais e configuram-se como instrumentos catalisadores de compreensão do percurso do herói.

Biografia do Autor

Aline Querolaine Lima Costa, Universidade Federal do Acre

Mestrado pelo Programa de Pós-Graduação em Ensino de Humanidades e Linguagens da Universidade Federal do Acre, Centro de Educação e Letras, Campus Floresta.

Wagner Corsino Enedino, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Professor da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Doutorado em Letras pela UNESP - Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Campus de São José do Rio Preto e Pós-Doutorado pela UNICAMP - Universidade Estadual de Campinas.

Referências

COELHO, Nelly Novaes. Dicionário crítico da literatura infantil e juvenil brasileira. 5. ed. revisada e atualizada. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2006.

CAVALCANTE Júnior, Idelmar Gomes. Inventário de uma memória consagrada: Benjamim Santos nos interstícios do teatro pernambucano (1960-1970). Tese (doutorado); Universidade Federal do Ceará, Centro de Humanidades; Departamento de História. Programa de Pós Graduação em História Social, Fortaleza, 2017

CHEVALIER, Jean; GHEERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos: mitos, sonhos, costumes, gestos, figuras, cores, números. Trad. Vera da Costa e Silva. 21. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2007.

GUINSBURG, Jacó; FARIA, João Roberto. LIMA, Mariangela Alves de. Dicionário do teatro Brasileiro: temas, formas e conceitos. 2. Ed. São Paulo: Perspectiva, 2009.

JÚNIOR; Carlos Newton. Ariano Suassuna: Almanaque Armorial. 2. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2008.

NASCIMENTO, Francisco Assis Sousa. Teatro Dialógico: Benjamim Santos em incursão pela História e Memória do Teatro Brasileiro. Tese (Doutorado em História Social) Instituto de Ciências Humanas e Filosofia, Departamento de História. Universidade Federal Fluminense. Niterói, 2009.

PALLOTTINI, Renata. Dramaturgia: a construção do personagem. São Paulo: Àtica; 1989.

PAVIS, Patrice. Dicionário de teatro. Tradução para a língua portuguesa sob a direção de J. Guinsburg e Maria Lúcia Pereira. São Paulo: Perspectiva, 2003.

PRADO, Décio de Almeida. A personagem no teatro. In: CANDIDO, Antonio et al. A personagem de ficção. São Paulo: Perspectiva, 2002, p. 81-102.

ROSENFELD, Anatol. Literatura e personagem. In: CANDIDO, Antonio et al. A personagem de ficção. São Paulo: Perspectiva, 2002, p. 11-49.

RYNGAERT, Jean-Pierre. Introdução à análise do teatro. Trad. Paulo Neves; Revisão da trad. Mônica Stahel. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

SANTOS, Benjamim. Bembém, estilo e bom humor. O Bembém. Memorial, p. 12. Ano 1, número 8. Publicação mensal. Parnaíba, Piauí: Sieart, 2008.

______. Mulheres de Parnaíba de outrora: Bizinha, Chiquita Borges, as Roque, Edeméa, e Lourdinha Machado. O Bembém. Memorial, p. 12. Ano 2, número 13. Publicação mensal. Parnaíba, Piauí: Sieart, 2009.

_______. Teatro infantil. Rio de Janeiro: FUNARTE, 2018.

SOUZA, Eneida Maria de. Janelas indiscretas: ensaios de crítica biográfica. Belo Horizonte: UFMG, 2011.

UBERSFELD, Anne. Para ler o teatro. Trad. José Simões. São Paulo: Perspectiva, 2013.

ZILBERMAN, Regina. Teatro para crianças e jovens: questões históricas e caminhos investigativos. In: GRAZIOLLI; Tadeu. (org.) Teatro infantil: história, leitura e propostas. Curitiba: Positivo, 2015, p.13-29.

Publicado

31/12/2021

Como Citar

Querolaine Lima Costa, A. ., & Corsino Enedino, W. (2021). ERA UMA VEZ NO SERTÃO DO BRASIL: O PROJETO ESTÉTICO INFANTOJUVENIL (E POPULAR) DE BENJAMIM SANTOS/ONCE UPON A TIME IN THE SERTÃO OF BRAZIL: THE AESTHETIC CHILDREN (AND POPULAR) PROJECT OF BENJAMIM SANTOS. Revista ECOS, 31(2). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/6213

Edição

Seção

LITERATURA