ANTONIO CARLOS NÓBREGA EM SEU LUNÁRIO PÉRPETUO: UM OLHAR INTERMIDIÁTICO

Autores

  • Luís Adriano Costa (PPGLI/UEPB)

Resumo

No ano de 2002, quando estreou o espetáculo Lunário Perpétuo, o músico pernambucano Antonio Carlos Nóbrega chegou à marca de trinta anos de convívio com a cultura popular. O título do disco e de uma de suas canções é versão abreviada do livro que circulou no Nordeste brasileiro até meados do século passado: Lunário e Prognóstico Perpétuo para Todos os Reinos e Províncias, de autoria do valenciano Jerônimo Cortez, cuja primeira edição remonta aos anos 1703. Tomando como base os estudos em torno da teoria da intermidialidade, essas obras são aqui percebidas enquanto mídias que se apresentam de forma articulada, numa relação a ser decifrada entre códigos abertos, multiplicados através dos tempos. Nesse sentido, este artigo busca ampliar a reflexão em torno da obra do artista Antonio Nóbrega, personagem importante na cena cultural brasileira nos seus mais de quarenta anos dedicados ao convívio com a cultura popular, além de possibilitar um mapeamento em torno da rearticulação da tradição e unidade cultural do seu trabalho.

Referências

ALMEIDA, Argus Vasconcelos de. Saberes e práticas de cura no

“Lunário Perpétuo” de Gerónimo Cortez (1555 - 1615) e sua influência

no Nordeste Brasileiro. Olinda: ?S. l.?, 2012.

BITTER, Daniel. Da polifonia poético – visual nas artes armoriais. In: Arte e Ensaios. Revista do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais

EBA. UFRJ; ano VII, n. 7. p. 20 – 27; Rio de Janeiro, 2000.

CADENGUE, Antônio. Educação pela máscara: recortes de uma

genealogia de Antônio Nóbrega. Folhetim Teatro do Pequeno Gesto; n. 5.

p. 44 – 59, Set. Out. – Nov. Dez. de 1999.

CLÜVER, Claus. On Intersemiotic Transposition. Poetics Today. Duke

University Press, spring 1989, v.10, n1, p.55-90.

CORTÊS, Jerónimo. Lunário e Prognóstico Perpétuo para todos os

Reinos e Províncias. Porto: Lello & Irmão – Editores: ?s.d.?.

COSTA, Luís Adriano Mendes. Antonio Carlos Nóbrega em acordes e

textos armoriais. Campina Grande: EDUEPB, 2011.

MIRANDA, Ana. O Lunário Perpétuo.

?http://www.opovo.com.br/app/colunas?. Acesso em: 29 set. 2013.

NEWTON JÚNIOR, Carlos. O pai, o exílio, e o reino: a poesia armorial de

Ariano Suassuna. Recife: Editora Universitária da UFPE, 1999.

NÓBREGA. Antonio. Tonheta. Disponível em

<http://www.antonionobrega.com.br>. Acesso em 27 jan. 2004.

RAJEWSKY, Irina O. Intermediality, Intertextuality and Remediaton: A

Literary Perspective on Intermediality. Intermédialtés/Intermedialities, nº 6, 2005. p 43-64.

SANTOS, Idelette Muzart Fonseca dos. Em demanda da poética popular:

Ariano Suassuna e o Movimento Armorial. Campinas: Editora da Unicamp, 1999.

SIMAS, Luiz Antonio. Livros do Brasil – O Lunário Perpétuo. Disponível

em: ? http://forumeja.org.br/go/sites/forumeja.org.br?. Acesso em: 5 out. 2013.

SUASSUNA, Ariano. O movimento foi uma bandeira. In: Continente

Multicultural, Recife: CEPE, v.2, n. 14, fev. 2002, p. 19-20.

SZESZ, C. M. Os almanaques populares: leituras e apropriações em

Ariano Suassuna. Disponível em: ?http://eeh2008.anpuhrs.org.br?. Acesso em: 6 out. 2013.

Downloads

Publicado

07/07/2015

Como Citar

Costa, L. A. (2015). ANTONIO CARLOS NÓBREGA EM SEU LUNÁRIO PÉRPETUO: UM OLHAR INTERMIDIÁTICO. Revista ECOS, 15(2). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/633