O REALISMO SUJO E AS ARTES PLÁSTICAS EM RUBEM FONSECA

Autores

  • Daniele Ribeiro Fortuna Doutora em Literatura Comparada pela UERJ (UNIGRANRIO)

Resumo

O presente artigo aborda a questão do realismo sujo, explicando suas características, seu surgimento e influências. Trata ainda das artes plásticas, principalmente, no que diz respeito aos artistas da vertente pop – dando ênfase à obra de Andy Warhol – por uma nova forma de se aproximar da realidade, valorizando fontes antes desprezadas, como o lixo, os detritos urbanos, os objetos comuns e elementos da mass media, como anúncios e estrelas de cinema. Por fim, analisa a influência das artes plásticas no realismo sujo, notadamente na literatura de Rubem Fonseca, da qual faz uma breve análise.

Referências

BARTHES, Roland. That old thing, art... In: MAHSUN, Carol Anne (Ed.).

Pop Art, The critical dialogue. Londres: UMI Research Press, 1989.

BATTCOCK, Gregory. Humanismo e Realidade: Thek e Warhol. In:

BATTCOCK, Gregory (org.). A nova arte. São Paulo: Editora Perspectiva,

BIRKENMAIER, Anke. El realismo sucio en América Latina.

Reflexiones a partir de Pedro Juan Gutiérrez. Disponível em:

<http://www.pedrojuangutierrez.com/Ensayos_ensayos_Anke%20Birkenmaier.htm >. Acesso em: 29 mar 11.

BOURDON, David. Warhol. Nova York: Harry N. Abrams, Inc.,

Publishers, 1989.

CHIARA, Ana Cristina. O real cobra seu preço. In: OLIVEIRA, Ana Lúcia

M. de (org.). Linhas de fuga: trânsitos ficcionais. Rio de Janeiro: 7letras,

COSTA LIMA, Luiz. O cão pop e a alegoria cobradora. In: ______.

Dispersa demanda. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1981.

DOBOZY, Tamas. In the country of contradiction the hypocrite is king:

defining dirty realism in Chares Bukowski’s Factotum. Modern fiction

studies. Baltimore: The John Hopkins University Press, 2001.

FOSTER, Hal. The return of the real. In: ______. The return of the real:

the avant-garde at the end of the century. Massachussetts: Massachussetts Institute of Technology, 2001.

FIGUEIREDO, Vera Lúcia Follain de. Os crimes do texto — Rubem

Fonseca e a ficção contemporânea. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003.

HUNTER, Sam. Novos rumos da pintura americana. In: BATTCOCK,

Gregory (org.). A nova arte. São Paulo: Editora Perspectiva, 1975.

O’DOERTY, B. apud MAHSUN, Carol Anne. Pop art and the critics.

Londres: UMI Research Press, 1987, p. 9.

PEDROSA, Célia. O Discurso Hiperrealista (Rubem Fonseca e André

Gide). 1977, 190 f. Tese (Doutorado em Letras) – Departamento de Letras, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

REBEIN, Robert. Hicks, tribes & dirty realists: American fiction after

Postmodernism. Kentucky: University Press of Kentucky, 2001.

RESTANY, Pierre. Os novos realistas. São Paulo: Editora Perspectiva,

SANTIAGO, Silviano. Errata. In: FONSECA, Rubem. A coleira do cão.

Rio de Janeiro: Codecri, 1979.

SCHOLLHAMMER, Karl Erik. O caso Fonseca: a procura do real. In:

ROCHA, João Cezar de Castro. Nenhum Brasil existe — pequena enciclopédia. Rio de Janeiro: Topbooks, 2003.

SILVA, Deonísio da. Rubem Fonseca — proibido e consagrado. Rio de

Janeiro: Relume-Dumará, 1996.

SOLOMON, Alan. A nova arte. In: BATTCOCK, Gregory (org.). A nova

arte. São Paulo: Editora Perspectiva, 1975.

Downloads

Publicado

09/07/2015

Como Citar

Fortuna, D. R. (2015). O REALISMO SUJO E AS ARTES PLÁSTICAS EM RUBEM FONSECA. Revista ECOS, 13(2). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/665