ENTRE DOIS MUNDOS: UMA LEITURA DE O LIVRO DOS RIOS DE JOSÉ LUANDINO VIEIRA

Autores

  • Liliane Batista Barros Mestre em Letras, docente da Universidade Federal do Pará, Campus de Marabáe aluna do programa de doutorado em Literatura Comparada da Universidade Federal Fluminese

Resumo

Este estudo acompanha a viagem de KeneVua pelo rio Kwanza em direção ao mar e neste percurso ele busca de respostas para os conflitos que travessa que são agravados pela aparição da Jamanta negra e dos fuzileiros portugueses. O espaço percorrido pela personagem chama atenção pelo deslocamento que o autor faz da cidade de Luanda, espaço privilegiado em suas obras anteriores, para o interior do país parece que o autor aponta o interior de Angola como possibilidade de novos olhares e recomeço para Angola, metaforizada no narrador pela crise identitária vivida por ele e a aceitação da contribuição de LopoGravinho na formação que recebeu, junto com o pai e o avô, desfazendo, assim, a dialética colonizador/colonizado e mostra que Portugal foi importante na formação de Angola.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Referências

BHABHA, H. O local da cultura. 4 ed. trad. de Myriam Ávila, Eliana

Lourenço de Lima Reis, Glaucia Renate Gonçalves. Belo Horizonte:

UFMG, 2007.

BAKHTIN, M.Questões de Literatura e de Estética: a Teoria do

Romance. Trad. Aurora F. Bernardini e outros. São Paulo: Hucitec;

Fundação para o desenvolvimento da UNESP,1988.

BAUMAN, Z. Modernidade e ambivalência. Trad. Marcus Penchel. Rio

de Janeiro: Jorge Zahar, 1999.

CHAVES, R.A formação do romance angolano. Coleção via Atlântica, n

São Paulo: Bartira Grafia e Editora Ltda,1999.

. Das águas antigas e dos mapas reinventados em O livro dos rios, de José Luandino Vieira. Via Atlântica. n 9, p 249-52. São Paulo: EDUSP, junho de 2006.

CHAVES, R.; MACÊDO, T. (org) Marcas da Diferença: as literaturas

africanas de língua portuguesa. São Paulo: Alameda, 2006.

CHAVES, R.; MACÊDO, T.; VECCHIA, R. (org.). A kinda e a misanga.

Encontros brasileiros com a literatura angolana. São Paulo: Cultura

Acadêmica; Luanda: Editorial Nzila, 2007.

CHEVALIER, Jean; GHEERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos:

mitos, sonhos, costumes, gestos, formas, figuras, cores, números.

Coordenação de Carlos Sussekind; trad. de Vera da Costa e Silva [et al.], 13 ed. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1999.

ELIADE, M. Tratado de História das religiões. Trad. Fernando Tomaz;

Natália Nunes. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

Mito e Realidade. Trad. de PolaCivelli, São Paulo: Perspectiva, 1972

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. Trad. Tomás Tadeu

da Silva, Guaracira Lopes Louro. 6. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

Da diáspora: Identidades e mediações culturais. Trad. Adelaine La

Guardia Resende etall. Belo Horizonte: Editora UFMG; Brasília:

Representação da UNESCO no Brasil, 2003.

MACHADO, A M.Recado do nome: leitura de Guimarães Rosa à luz do

nome de seus personagens. 3. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2003.

SAID, E W. Cultura e Imperialismo. Trad. Denise Bottman. São Paulo:

Companhia das Letras, 1995. Orientalismo: o Oriente como invenção do Ocidente. Trad. Tomás Rosa Bueno. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

SANTOS, M. Da totalidade ao lugar. São Paulo: EDUSP, 2008

SARLO, B. Tempo e passado: cultura da memória e guinada subjetiva.

Trad. Rosa Freire d’Aguiar. São Paulo: Companhia das Letras; Belo

Horizonte: UFMG, 2007.

TODOROV, T. Memória do mal, tentação do bem: indagações sobre o

século XX. Trad. De Joana Angélica D’Avila Melo. São Paulo: Arx, 2002.

VIERA, J L. De rios velhos e guerrilheiros: I. O livro dos rios. 2 ed.

Lisboa: Editora Caminho, 2006.

WATT, I. A ascensão do romance: estudos sobre Defoe, Richardson e

Fielding. Trad.HildegardFiest. São Paulo: Companhia das Letras. 1990.

Downloads

Publicado

2015-07-09

Como Citar

ENTRE DOIS MUNDOS: UMA LEITURA DE O LIVRO DOS RIOS DE JOSÉ LUANDINO VIEIRA. (2015). Revista ECOS, 13(2). https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/667