AUTOFICÇÃO E AUTOBIOGRAFIA EM AS MOÇAS: O BEIJO FINAL, DE ISABEL CÂMARA: POR UMA LEITURA FILOLÓGICA

Autores

  • Carla Ceci Rocha Fagundes mestre em Literatura e Cultura, pelo Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal da Bahia – UFBA.
  • Liliam Carine Silva Lima mestre em Literatura e Cultura, pelo Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal da Bahia – UFBA.

Resumo

Nos lugares da Filologia e da Literatura, propõe-se discutir, a partir do texto As Moças: O beijo final (1969), escrito por Isabel Câmara, a relação entre biografia e ficção na produção artística. No texto da peça, o foco central é a vida de Ana e Tereza e suas posições no contexto da sociedade brasileira de seu tempo, revelando-se assim aspectos convergentes entre o sujeito e o objeto, entre Câmara, a autora, e Ana e Tereza, as personagens. Tomam-se os conceitos teóricos de autobiografia e autoficção, concebidos como mecanismos da escrita literária que permitem um retorno do autor ao texto. Os passos seguintes são dados rumo às entranhas do texto, no sentido de observar de que maneira Câmara retrata a si na obra, além de visualizar de que modo a autora estreita os laços com o seu objeto de narração, através da trama de seu texto. 

Referências

ANDRADE, Ana Lúcia Vieira de. Nova dramaturgia: anos 60, anos 2000. Rio de Janeiro: Quartet / UNIRIO; Brasília, DF: PRODOC/CAPES, 2005.

AUERBACH, Erich. Introdução aos estudos literários. Tradução José Paulo Paes. São Paulo: Cultrix, 1972.

BARTHES, Roland. O Rumor da língua. Tradução Mário Laranjeira. São Paulo: Brasiliense. 1984.

CÂMARA, Isabel. As Moças: o beijo final. In: Revista de teatro. [S.l.], p. 31-43. set / out. 1973.

CANO AGUILAR, Rafael. Introducción al análisis filológico. Madrid: Castalia, 2000.

CARVALHO, Rosa Borges Santos. A Filologia e seu objeto: diferentes perspectivas de estudo. In: Revista Philologus, Rio de Janeiro: CiFEFiL, ano 9, n. 26, p.44-50, maio/ago.2003.

COUTINHO, Maria Antônia Ramos. Os Papéis do autor. In: Estampa de letra: literatura, linguística e outras linguagens. Salvador: Quarteto, 2004.

ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural Teatro. Câmara, Isabel (1940 – 2006). Biografia, 2010. Disponível em: <http://www.itaucultural.org.br > Acesso em 02 abr. 2011.

ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural Teatro. As moças. Histórico, 2009. Disponível em: <http://www.itaucultural.org.br> Acesso em 02 abr. 2011.

FOUCAULT, Michel. O Que é um autor. Lisboa: Editora Vegas, 2002.

HOISEL, Evelina. Grande Sertão Veredas: Uma Escritura Biográfica. Salvador: Assembléia Legislativa do Estado da Bahia; Academia de Letras da Bahia, 2006.

HOISEL, Evelina. A Leitura do texto artístico. Salvador: EDUFBA, 1996.

KLINGER, Diana Irene. A Escrita de si – o retorno do autor. In: Escritas de si, escritas do outro. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2007, p. 19-62.

LEJEUNE, P. El pacto autobiográfico y otros estudios. Madrid: Megazul Endymion, 1994.

MAGALDI, Sábato. As moças. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 15 nov. 1969.

MICHALSKI, Yan; TROTTA, Rosyane. Teatro e estado: as companhias oficiais de teatro do Brasil: história e polêmica. São Paulo: Hucitec; Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Arte e Cultura, 1992. p. 10.

MIRANDA, Wander Melo. A Ilusão autobiográfica. In: _____. Corpos escritos: Graciliano Ramos e Silviano Santiago. São Paulo: USP; BH: UFMG, 1992, p. 25-41.

SAID, Edward. Humanismo e crítica democrática. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

SAID, Edward. Humanismo e crítica democrática. Tradução Rosaura Eichenberg. São Paulo: Cia das Letras, 2007.

SANTIAGO, Silviano. Meditação sobre o ofício de criar. In: Aletria. v.18. jul-dez. 2008. p. 173-179.

SPINA, Segismundo. Introdução à edótica: crítica textual. 2. ed. rev. e atual. São Paulo: Ars Poetica; EDUSP, 1994.

Downloads

Publicado

12/07/2015

Como Citar

Fagundes, C. C. R., & Lima, L. C. S. (2015). AUTOFICÇÃO E AUTOBIOGRAFIA EM AS MOÇAS: O BEIJO FINAL, DE ISABEL CÂMARA: POR UMA LEITURA FILOLÓGICA. Revista ECOS, 18(1). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/678