O ROMANCE DE FORMAÇÃO (BILDUNGSROMAN) NA MODA DE VIOLA: LITERATURA E SOCIEDADE NA MÚSICA CAIPIRA

Autores

  • Jean Carlo Faustino Mestre e doutorando em Sociologia - Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR).

Resumo

Este artigo apresenta uma leitura das modas de viola sob a perspectiva do “romance de formação”, conforme foi conceituado por Bakhtin e Lukács. O recorte de análise é feito com base nas modas gravadas pela dupla caipira Tião Carreiro e Pardinho que, no século XX, se notabilizou pelo sucesso e reconhecimento na interpretação deste gênero musical integrante da chamada música caipira de raiz. Com base numa classificação do conjunto completo das modas gravadas pela dupla em questão, realizada com base no tema de suas narrativas, são aqui tratadas às seguintes modas: Boiadeiro Punhos de Aço, representante do grupo de modas com narrativas de boiadeiros; Mineiro do Pé Quente, representante do grupo das modas com narrativas centradas na figura de proprietários; Boi Cigano, do grupo temático das modas com elementos mágicos; Minha Vida, do grupo das modas que tem violeiros como protagonistas; e Herói Sem Medalha, do grupo que tem bois como elemento central do enredo de suas narrativas.

Referências

ARRUDA, Aline Alves. Ponciá Vicêncio, de Conceição Evaristo: um

Bildungsroman feminino e negro. Belo Horizonte, MG: Universidade

Federal de Minas Gerais. Dissertação de Mestrado em Letras, 2007.

BAKHTIN, Mikhail Mjkhailovitch. Estética da criação verbal.

Tradução de Maria Emsantina Galvão G. Pereira. São Paulo: Livraria

Martins Fontes Editora Ltda. 2ª edição, 1997.

CARRIJO, Silvana Augusta Barbosa. De Mulheres e Símbolos: Figuras

do Feminino no Bildungsroman “Ana Z. Aonde Vai Você?”. Revista

Temporis[ação] da Universidade Estadual de Goiás, vol. 1, n.9, p.32-40,

DUARTE, Eduardo de Assis. Jorge Amado e o Bildungsroman proletário. Revista da Associação Brasileira de Literatura Comparada, v.2, p. 157-64, 1994.

DUARTE, Eduardo de Assis. O Bildungsroman afro-brasileiro de Conceição Evaristo. Florianópolis. Rev. Estudos Feministas, vol.14,

No.1, Jan/Apr, 2006

FAUSTINO, Jean Carlo. A moda de viola enquanto literatura in Escritos Culturais – Literatura, Arte e Movimento. Ed. Unemat/De

Liz. Cáceres e Cuiabá, MT, 2011.

GUEDES, Débora Carla Santos. O romance de formação: um passeio

pelos caminhos de Stephen Dedalus e Virgínia. Estação Literária.

Vagão, vol. 4, p.1-100, 2009.

LUKÁCS, Georg. A teoria do romance: um ensaio histórico-filosófico

sobre as formas da grande épica. São Paulo: Livraria Duas

Cidades/Editora 34, 2000.

MAAS, W. P. M. D. ; ZANELA, A. A. ; ISSA, G. M. S. I. . O Bildungsroman no Brasil. Modos de apropriação. Anais do X

Congresso Internacional da ABRALIC, 2006, Rio de Janeiro.

MASS, Wilma Patrícia Marzari Dinardo. O cânone mínimo: o Bildungsroman na história da literatura. São Paulo: Editora da

UNESP. 2000.

Downloads

Publicado

13/07/2015

Como Citar

Faustino, J. C. (2015). O ROMANCE DE FORMAÇÃO (BILDUNGSROMAN) NA MODA DE VIOLA: LITERATURA E SOCIEDADE NA MÚSICA CAIPIRA. Revista ECOS, 12(1). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/696