"ESTAMOS INDO SEMPRE PARA CASA" RADUAN NASSAR, NOVALIS E O DEVIR NO BILDUNGSROMAN

Autores

  • Maria José Cardoso Lemos UERJ

Resumo

O artigo pretende pensar a moderna noção de esumo Bildungsroman a partir da leitura conjunta do romance Lavoura arcaica, de Raduan Nassar, e do romance Heinrich von Ofterdingen, de Novalis, de onde foi retirada a citação existente na referida obra nassariana.

Referências

BANCAUD-MAËNEN, Florence. Le roman de formation au

XVIIIe siècle en Europe. Paris: Nathan, 1998.

BLANCHOT, Maurice. El diálogo inconcluso. Caracas: Monte

Avila Editores, Latinoamericana, 1993.

ELIADE, Mircea. Aspects du mythe. Paris: Gallimard, 1963.

LACOUE-LABARTHE, Philippe; NANCY, Jean-Luc. A

exigência fragmentária. Tradução de João Camillo Penna.

Terceira Margem: Estética, Filosofia e Ciência nos Séculos

XVIII e XIX, Revista do Programa de pós-graduação em

ciência da literatura, Rio de Janeiro, n. 10, 2004. p. 67-94.

LIMA, Jorge. Obras completas. Rio de Janeiro: Nova Aguilar,

MASS, Wilma Patrícia Marzari Dinarco. O cânone mínimo:

o bildungsroman na história da literatura. São Paulo :

Unesp, 2000.

NASSAR, Raduan. Lavoura arcaica. São Paulo: Companhia

das Letras, 1997.

______. Lavoura arcaica. Primeira versão. São Paulo:

Companhia das Letras, [1975] 2005.

NOVALIS, Henri d’Ofterdingen. Edição bilíngue. Tradução

de Marcel Camus. Alençon: Aubier, 1942.

______. Pólen. Tradução de Rubens Rodrigues Torres Filho.

São Paulo: Iluminuras, 2001.

SCHLEGEL, Friederich. O dialeto dos fragmentos. Tradução

de Márcio Suzuki. São Paulo: Iluminuras, 1999.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. Frederich Schlegel e Novalis:

poesia e filosofia. Terceira Margem: Estética, Filosofia e

Ciência nos Séculos XVIII e XIX, Revista do Programa de pósgraduação

em ciência da literatura, Rio de Janeiro, n. 10,

p.95-111, 2004.

SHØLLHAMMER, Karl Erik. O cenário do ambíguo: traços

barrocos da prosa moderna. In: ______. Além do visível: o

olhar da literatura. Rio de Janeiro: 7Letras/Faperj, 2007.

p.55-77.

WELLBERY, David E. Os fins do homem. Antropologia e

imaginação no romance de formação (Wieland, Goethe e

Novalis). In: ______. Neo-retórica e desconstrução. Tradução

de Johannes Kretschmer. Rio de Janeiro: EdUERJ, 1998. p.75-

Downloads

Publicado

11/02/2016

Como Citar

Lemos, M. J. C. (2016). "ESTAMOS INDO SEMPRE PARA CASA" RADUAN NASSAR, NOVALIS E O DEVIR NO BILDUNGSROMAN. Revista ECOS, 9(2). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/938