Ver Veneza e morrer: beleza e decadência sob os aspectos narrativos de Morte em Veneza, de Thomas Mann

Autores

  • Wélica Cristina Duarte de Oliveira

Resumo

Este artigo propõe uma reflexão sobre a questão do espaço em Morte em Veneza, de Thomas Mann. Nele, destacamos algumas passagens da obra com o objetivo de observar como a cidade, Veneza, é percebida na narrativa e quais relações são estabelecidas entre o espaço, a ambientação e sua relação com o conflito e a decadência sobrevinda ao personagem principal, Gustav von Aschenbach. Para isto, movemos alguns conceitos relacionados ao gênero romanesco, bem como refletimos sobre a configuração do monólogo interior na obra, utilizando textos chaves de teóricos como Lukács (2000), Bakhtin (2002), Tacca (1983), entre outros. No desenvolvimento da reflexão, foi possível compreender que a ambientação e principalmente as descrições da cidade de Veneza, suas ruas, seu clima, seus becos e arquitetura, desde o início da narrativa espelha o conflito sofrido pelo personagem, anunciando seu fim.

 

Downloads

Como Citar

Oliveira, W. C. D. de. (2019). Ver Veneza e morrer: beleza e decadência sob os aspectos narrativos de Morte em Veneza, de Thomas Mann. Revista Fronteira Digital, (7). Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/fronteiradigital/article/view/3420

Edição

Seção

Artigos