Movilidad pendular transfronteriza de trabajadoras paraguayas entre Ciudad del Este (Paraguay) y Foz do Iguaçu (Brasil)

Autores

  • Arnaldo González Aguilera
  • Pedro M. Staevie Universidade Federal da Integração Latino-Americana

Resumo

No primeiro momento, analisaremos quais são as possíveis causas que levaram a essas mulheres trabalhadoras paraguaias a deixar suas casas durante o dia como uma estratégia de sobrevivência e, portanto, fazer a travessia sobre a ponte internacional da Amizade, que liga Paraguai com Brasil. Da coleção de dados bibliográficos, tese de doutorado e, portanto, também das experiências desses trabalhadores, por meio de entrevistas coletadas durante o trabalho de campo. Analisamos o perfil das trabalhadoras e as consequências socio-económicas associadas a este movimento pendular para a sociedade, que reconfigura em grande parte da família no sentido de que as mulheres vão desempenhar um papel crucial e de protagonismo dentro das mesmas, embora não necessariamente ocorra após esse movimento pendular. Não se pode ignorar o papel de grandes construções, como a hidrelétrica de Itaipu e, fundamentalmente, a Ponte Internacional de Amizade que possibilitou o aumento da mobilidade entre os dois países. A união física do Paraguai com o Brasil através da ponte foi fundamental para este movimento trasfronterizo. Também, as redes sociais desempenham um papel importante neste movimento.

Downloads

Publicado

16/02/2018

Como Citar

Aguilera, A. G., & Staevie, P. M. (2018). Movilidad pendular transfronteriza de trabajadoras paraguayas entre Ciudad del Este (Paraguay) y Foz do Iguaçu (Brasil). História E Diversidade, 9(1), 35–57. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/historiaediversidade/article/view/2746