O RELATO VIVO COMO EVIDÊNCIA PARA A APRENDIZAGEM DE HISTÓRIA, A PARTIR DE EXPERIÊNCIAS COM PRACINHAS

Autores

  • Jucilmara Luiza Loos Vieira UFPR

Resumo

O presente trabalho de pesquisa foi desenvolvido a partir de experiência com sessenta e um jovens do terceiro ano do ensino médio, sobre o conceito substantivo soldados “pracinhas’ na segunda guerra mundial. O percurso da pesquisa é de natureza qualitativa, por meio de relatos orais (entrevista aberta) e análise das narrativas produzidas pelos estudantes.  A fundamentação encontra-se no domínio científico da Educação Histórica. Os resultados apontam que o relato oral serve para o trabalho do resgate de memória, instiga a subjetividade histórica, sendo um princípio para a formação da consciência histórica na relação entre passado, presente e futuro, revelando  a forma de viver de uma determinada sociedade e sua cultura em um tempo.

Downloads

Publicado

16/02/2018

Como Citar

Vieira, J. L. L. (2018). O RELATO VIVO COMO EVIDÊNCIA PARA A APRENDIZAGEM DE HISTÓRIA, A PARTIR DE EXPERIÊNCIAS COM PRACINHAS. História E Diversidade, 9(1), 161–172. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/historiaediversidade/article/view/2753