HUMOR, LÉXICO E DISCURSO NO ENSINO DO PORTUGUÊS

Autores

  • Geraldo José Rodrigues Liska Universidade Federal de Alfenas Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.30681/real.v10i1.1917

Resumo

Na sala de aula de língua portuguesa (níveis Fundamental e Médio), ainda é comum a análise gramatical das palavras por meio de sua configuração morfológica e/ou função sintática. O corpus deste trabalho é constituído de textos que podem ser trabalhados em sala de aula, em função de sua materialidade histórica e do seu acontecimento enunciativo, que o remeterão a outros textos por meio do interdiscurso e intertextualidade, provocando o desvio/ a produção de sentido entre as palavras. Espera-se este trabalho contribua para a reflexão da importância da utilização dos textos humorísticos para o desenvolvimento da competência discursiva, lexical e leitora, ao observar fenômenos estritamente linguísticos, como o jogo de formas e sentidos na relação entre as palavras e com o mundo, resultado da intencionalidade específica de criação de textos, como em qualquer discurso, que cria o encadeamento polissêmico nas palavras utilizadas.

Biografia do Autor

Geraldo José Rodrigues Liska, Universidade Federal de Alfenas Universidade Federal de Minas Gerais

Doutorando em Estudos LInguísticos (UFMG)

Secretário Executivo da UNIFAL-MG

Referências

BAKHTIN, M. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 1990.

BEAUGRANDE, Robert de & DRESSLER, Wolfgang U. Introduction to text linguistics. Londres, New York: Longman, 1981.

BRANDÃO, Helena Nagamine. Introdução à Análise do Discurso. Coleção Pesquisas, Editora da Unicamp, 1995.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica Semtec. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio: Parte II – Linguagens Códigos e suas Tecnologias. Brasília: MEC/Semtec, 2002.

__________. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: 5ª a 8ª série do Ensino Fundamental – Língua Portuguesa. Brasília: MEC/SEF, 1998.

__________. Decreto lei nº 91.542 de 19 de agosto de 1985.

COX, M. I. P. . Os tempos do texto na sala de aula. Polifonia (UFMT), Cuiabá, v. 08, p. 113-128, 2004.

DALMASCHIO, Luciani. Enunciação e Sintaxe: Modos de enunciação genéricos na ocupação do lugar de objeto. Belo Horizonte: UFMG, 2008. 103 p. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós- Graduação em Estudos Lingüísticos da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008.

DIAS, L. F. Problemas e desafios na constituição do campo de estudos da transitividade verbal. In SARAIVA, Maria Elizabeth Fonseca; MARINHO, J. H. C. (org.) Estudos da língua em uso – relações inter e intra-sentenciais. Belo Horizonte: UFMG, p.101-122,

DOLZ, Joaquim; SCHNEUWLY, Bernard. Gêneros orais e escritos na escola. Tradução e organização: Roxane Rojo e Glais Sales. Campinas: Mercado da Letras, 2004.

FERREIRA, A. C. F. . O Conceito de Interdiscurso na Semântica da Enunciação. In: II Seminário de Estudos em Análise do Discurso (II SEAD), 2005, Porto Alegre. Caderno de Resumos do II Seminário de Estudos em Análise do Discurso. Porto Alegre, 2005. Disponível em http://www.discurso.ufrgs.br/sead2/doc/interdiscurso/anaclaudiaferreira.pdf , acesso em 10/6/2011.

FREGONEZI, D. E. . A FORMAÇÃO PERMANENTE DO PROFESSOR DE LÍNGUA PORTUGUESA. In: Seminário do Gel- Grupo de Estudos Lingüísticos do Estado de São Paulo, 1994, São Paulo. XXIII Anais de Seminários do GEL. São Paulo/SP : Editora da Univ. de São Paulo, 1994. p. 705-711.

GREGOLIN, M. R. F. V. . Linguistica Textual e Ensino de Lingua:Construindo A Textualidade Na Escola.. REVISTA ALFA, v. 37, p. 23-32, 1993.

GREGOLIN, Maria do Rosário F. V.; LEONEL, Maria Célia M. O que quer o que pode esta língua? Araraquara: FCL – Unesp, 1997.

GUIMARÃES, E. R. J. . Domínio Semântico de Determinação. A Palavra. Forma e Sentido. Campinas: Pontes/RG, 2007, v. , p. 77-96.

__________. Enunciação e história. In: GUIMARÃES, Eduardo (org.) História e sentido na linguagem. Campinas, Pontes, 1989.

KOCH, I. V. Desvendando os segredos do texto. São Paulo: Cortez, 2003.

LAKOFF George. JOHNSON, Mark. Metáforas da vida cotidiana. Coord. da tradução: Mara Sophia Zanotto. Campinas: Mercado de Letras; São Paulo: Educ, 2002.

LAUSBERG, H. Manual de Retórica Literária. Madrid: Gredos, 1966.

LISKA, G. J. R. O humor da palavra e o desenvolvimento da competência lexical: análise de livros didáticos de português dos anos finais do ensino fundamental. Belo Horizonte: UFMG, 2013. 201 p. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós- Graduação em Estudos Linguísticos da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2013.

MAINGUENEAU, D. Arqueologia e análise do discurso. Cenas da enunciação. Trad. e org. Sírio Possenti; Maria Cecília P. de Souza-e-Silva. Curitiba: Criar, 2006a.

__________. O quadro genérico. In: __________. Discurso Literário. Tradução: Adail Sobral. São Paulo: Contexto, 2006b. p. 229- 246.

__________. Le discours littéraire contre la littérature en soi. In: MARI, H. et al. (org.) Análise do discurso em perspectiva. Belo Horizonte: FALE/UFMG, 2005.

MARK, Victor. As impublicáveis pérolas da propaganda. Agora publicadas. São Paulo: Panda Books, 2007.

MELO, Cinthya Torres . Sinonímia: uma perspectiva pragmático-discursiva. In: 30 Anos do Programa de Pós-Graduação em Letras da UFPE, 2006, Recife. 30 Anos do PPGL, 2006.

MINAS GERAIS. Currículo Básico Comum – Português. Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais. Minas Gerais: SEE, 2007.

POSSENTI, S. Notas sobre a noção de acontecimento. In: FERNANDES, A. F. (Org.). et. al. Sujeit, identidade e memória. Uberlândia: EDUFU, 2004. p.17-25.

__________. Os Humores da Língua: Análises Lingüísticas de Piadas. Campinas: Mercado de Letras, 1998.

SCHNEUWLY, B. Genres et types de discours: considérations psychologiques et ontogenétiques. In: Les Interactions Lecture-Écriture: 155-173. Suíça: Peter Lang. 1993.

SILVA, A. S. A Linguística Cognitiva: Uma breve introdução a um novo paradigma em lingüística. Revista Portuguesa de Humanidades, vol. I. Braga: Faculdade de Filosofia da UCP, 1997.

__________. SILVA, A. S. O mundo dos sentidos em português: polissemia, semântica e cognição. Coimbra: Almedina, 2006.

SILVA, Noadia Iris da. . Ensino Tradicional de Gramática ou Prática de Análise Linguística: uma questão de (con)tradição nas aulas de português. Revista Brasileira de Linguística Aplicada (Impresso) , v. 01, p. 932-949, 2010.

SOARES, M. Concepções de linguagem e o ensino de Língua Portuguesa. In: Língua Portuguesa: História, perspectivas, ensino. São Paulo: Educ, p. 53-60.

SOUZA, D. S. G. ; ARÃO, L. A. . A contribuição da Lingüística no Ensino da Língua Portuguesa no Brasil. revista Babilonia Revista Lusófona de Línguas, Culturas e Tradução , v. 6/7, p. 67-78, 2009.

VYGOTSKY, L. S.. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

Downloads

Publicado

08/08/2017

Como Citar

Rodrigues Liska, G. J. (2017). HUMOR, LÉXICO E DISCURSO NO ENSINO DO PORTUGUÊS. Revista De Estudos Acadêmicos De Letras, 10(1), 177–192. https://doi.org/10.30681/real.v10i1.1917

Edição

Seção

Artigos - Linguística Aplicada