AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM: UMA PERSPECTIVA BIOLINGUÍSTICA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30681/real.v10i2.1954

Resumo

Este artigo tem como objetivo apresentar a perspectiva da biolinguística e relacionar seus pressupostos com a aquisição da linguagem. Esses pressupostos são diferentes da concepção behaviorista – que compreende a aquisição a partir do estímulo-reforço-resposta –, ou seja, a criança é passiva nesse processo de aquisição.  Em oposição, a biolinguística parte de uma ideia evolucionista de linguagem, assim, observaremos como esta concepção de linguagem lida com os questionamentos acerca da aquisição de língua. Para isso, será exposto um apanhado dessa corrente com alguns pressupostos, como apresentado por Hauser, Chomsky e Fitch (2002), que visam mostrar que a faculdade da linguagem é um órgão da espécie humana, assim como é o coração, o cérebro, etc., distinguindo a capacidade própria do ser humano para o desenvolvimento de uma língua natural com a linguagem dos animais. Nesse caminho, compreenderemos que a Biolinguística segue um pensamento evolucionista e trata a linguagem como um órgão abstrato do ser humano. Esse órgão é pré-determinado e passa por um processo de maturação, tanto quanto o crânio ou a altura, observado no processo de crescimento dos seres humanos. Isso explicaria o porquê de as crianças iniciarem suas primeiras manifestações linguísticas dos elementos mais simples e, posteriormente, os mais complexos.

Biografia do Autor

Jilvan Evangelista da Silva, Universidade Federal da Bahia

Atualmente é mestrando no curso de Língua e Cultura do Programa de Pós-graduação da Universidade Federal da Bahia - UFBA. Graduado no curso de Letras Vernáculas e Língua estrangeira moderna - Inglês (2011-2015) na Universidade Federal da Bahia - UFBA. Desenvolve pesquisa na área de Linguística Histórica, com ênfase em sintaxe da Língua Portuguesa, a partir dos pressupostos da Linguística Gerativa, atuando principalmente nos seguintes temas: passiva pronominal, construção média, diacronia e pronome apassivador. 

Referências

CHOMSKY, Noam. Knowledge of Language: Its Nature, Origin, and Use. New York: Praeger, 1986.

CHOMSKY, Noam. Three Factors in Language Design. Linguistic Inquiry, Volume 36, Number 1, Winter 2005. p. 6-11

CHOMSKY, Noam. Linguagem e mente. 3 ed. São Paulo: Editora UNESP, 2009, p. 311-332

DOMINIK RUS, B.A. The acquisition of verbal inflection in child grammars in a Variability model of early morphosyntactic development: a biolinguistic perspective. 2008. 306f. Tese (Doutorado em Linguística) – Faculty of the Graduate School of Arts and Sciences, Georgetown University, Washington, DC.

HAUSER, Marc D.; CHOMSKY, Noam; FITCH, W. Tecumseh. The Faculty of Language: What Is It, Who Has It, and How Did It Evolve? Disponível em: <http://science.sciencemag.org/content/298/5598/1569>. Acesso em: 18 jun. 2016

HILLIARD, Austin T; WHITE, Stephanie A. Possible precursors of syntactic components in other species. In: BOLHUIS, J.J.; EVERAERT, M. Birdsong, speech, and language. Exploring the evolution of mind and brain. Cambridge: MIT Press, 2013. p. 162-183

JENKINS, Lyle. Biolinguistics: Exploring the biology of language. Cambridge: CUP, 2000.

KENNEDY, Eduardo. O problema de Platão. In: Curso básico de linguística gerativa. São Paulo: Contexto, 2013. p. 51-72

MENDÍVEL-GIRÓ, José-Luis. What are Languages? A Biolinguistic perspective. Disponível em: <http://ling.auf.net/lingbuzz/001009/current.pdf>. Acesso em: 12 jun. 2016

MIOTO, Carlos; SILVA, Maria Cristina Figueiredo; LOPES, Ruth. O estudo da gramática. In: Novo manual de sintaxe. São Paulo: Contexto, 2013. p. 23-34

REULAND, Eric. Recursivity of language: what can birds tell us about it? In: BOLHUIS, J.J.; EVERAERT, M. Birdsong, speech, and language. Exploring the evolution of mind and brain. Cambridge: MIT Press, 2013. p. 223-225

SILVA, Shanna Lauda Ferreira da. A recursividade e seu papel na faculdade da linguagem da espécie humana. 2014. 61f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

WIJNEN, Frank. Acquisition of linguistic categories: cross-domain convergences. In: BOLHUIS, J.J.; EVERAERT, M. Birdsong, speech, and language. Exploring the evolution of mind and brain. Cambridge: MIT Press, 2013. p. 157-177

Downloads

Publicado

2018-01-04

Como Citar

Silva, J. E. da. (2018). AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM: UMA PERSPECTIVA BIOLINGUÍSTICA. Revista De Estudos Acadêmicos De Letras, 10(2), 117–128. https://doi.org/10.30681/real.v10i2.1954

Edição

Seção

Artigos - Linguística Aplicada