AS FORMAÇÕES DISCURSIVAS DOS PERSONAGENS NA OBRA LITERÁRIA: O MENINO DA CIDADE DE LONA (OU A HISTÓRIA DE ZÉ VIDA DE BARRACA) DE LUIZ TAQUES

Autores

  • Maciel Vilalba Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

DOI:

https://doi.org/10.30681/real.v10i2.1969

Resumo

Resumo: Este artigo tem por finalidade apresentar um estudo e análise da obra literária O Menino da Cidade de Lona (Ou a história de Zé Vida de Barraca) de Luiz Taques,  através da seguinte temática: Quais as  formações discursivas dos personagens na atividade de interlocução-interação? Desta maneira, procuraremos mostrar na narrativa do discurso literário o jogo de imagens entre os personagens que se concretiza pela interação num determinado contexto histórico e social. Assim, a formação discursiva se dá por sujeitos revestidos ideologicamente sobre um determinado assunto, então, outra questão levantada é:  Como os personagens se mostram ideologicamente sobre o entendimento do movimento dos Sem-Terra (MST)? Onde buscaremos identificar as relações de classes sociais, o entendimento de Terra para Os Sem-Terra e sua relação com a sociedade, a finalidade da existência do (MST), e as vozes que se mostram na obra. E para a realização deste trabalho usaremos como embasamento os teóricos da Análise do Discurso de linha francesa (AD), tais como: Bakhtin (2004), Orlandi (2005), Maingueneau (1997) e outros não menos importantes.

Palavras-Chave:  Discurso. Ideologia. Literatura Infanto-Juvenil.

Biografia do Autor

Maciel Vilalba, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Graduação em Letras (UEMS) e Graduação em Filosofia (UFMS) E atualmente Mestrando em Letras (UEMS)

Referências

REFERÊNCIAS

BAKHTIN, MIKHAIL. (VOLOCHINOV, V.N). Marxismo e Filosofia da Linguagem. São Paulo: Hucitex, 2004.

BRANDÃO, H. H. N. Discurso, gênero e cenografia enunciativa. In: MICHELETTI, G. (org.). Enunciação e gêneros discursivos. São Paulo: Cortez, 2008.

CARDOSO, Silvia Helena Barbi. Discurso e Ensino. Belo Horizonte, Autêntica, 1999.

CHARAUDEAU, Patrick. Dicionário de análise do discurso/Patrick Charaudeau, Dominique Maingueneau; coordenação da tradução Fabiana Komesu. – São Paulo: Contexto, 2004.

FIORIN, José Luiz. Linguagem e ideologia. São Paulo-SP, ática, 2004.

FOUCAULT, Michael. A arqueologia do saber. 6 ed. Rio de Janeiro: Forense Universitário. 2002.

GREGOLIN, Maria do Rosário. O enunciado e o arquivo: Foucault (entre) vistas. In:

GREGOLIN, Maria do Rosário: Foucault e os domínios da linguagem: discurso, poder, subjetividade. (org). São Carlos: Claraluz. 2004.

MAINGUENEAU, Dominique. Análise de textos de comunicação (Trad. SOUZA & ROCHA). São Paulo. Cortez, 2001.

_____________________. Elementos de lingüística para o texto literário. São Paulo: Martins Fontes. 1996.

_____________________. Novas tendências em análise do discurso. Campinas, SP: Unicamp, 1997.

MUSSALIM, F e BENTES, J-C. Introdução à lingüística 2. São Paulo: Cortez, 2004.

ORLANDI, Eni. Princípios e procedimentos. Campinas-SP, Pontes, 2005.

PONGIO, Augusto. No círculo com Mikhail Bakhtin. São Carlos: Pedro e João Editores, 2013.

SANTANA, A.L. o que é uma pessoa narcisista, de onde surgiu o termo narcisismo. Disponível em:. Acesso em: 10. junho. 2017

SÉRGIO, Frei. A luta pela Terra no Brasil/João Pedro Stédile, Frei Sérgio – São Paulo: scritta, 1993.

Downloads

Publicado

2018-01-04

Como Citar

Vilalba, M. (2018). AS FORMAÇÕES DISCURSIVAS DOS PERSONAGENS NA OBRA LITERÁRIA: O MENINO DA CIDADE DE LONA (OU A HISTÓRIA DE ZÉ VIDA DE BARRACA) DE LUIZ TAQUES. Revista De Estudos Acadêmicos De Letras, 10(2), 191–207. https://doi.org/10.30681/real.v10i2.1969