POESIA E UTOPIA: O SONHO-ESPERANÇA NA OBRA DE PEDRO CASALDÁLIGA

Autores

  • Edson Flávio Santos UNEMAT

DOI:

https://doi.org/10.30681/real.v7i2.271

Resumo

Os textos analisados no presente artigo são oriundos de “Antologia Retirante” (1978), “Águas do Tempo” (1989) e “Versos Adversos” (2006), todas compõe parte da obra literária de Dom Pedro Casaldáliga, poeta que, radicado no nordeste de Mato Grosso faz da poesia um instrumento portador de sonhos possíveis. A Prelazia de São Félix do Araguaia, local onde Casaldáliga atua como bispo há mais de quarenta anos, é uma região de grande extensão territorial e grandes vazios demográficos, e que vem sofrendo desde 1970, quando o Governo Federal passou a implementar políticas de apoio às atividades agropecuárias em Mato Grosso com um maciço investimento nos latifúndios, ao mesmo tempo em que os pequenos proprietários sem acesso a financiamento, foram condenados ao empobrecimento. Diante desse cenário, nossas reflexões irão se ancorar na perspectiva da utopia, de Ernst Bloch apontadas na obra Princípio esperança (2005), entre outros da mesma seara teórica. A partir da análise dos poemas selecionados para o presente estudo, tentamos descortinar e compreender o universo do autor e de sua obra, que parece revelar um outro lugar, livre das opressões do presente. Casaldáliga surge como um poeta que, percebendo os elementos da terra e sentindo, de perto, o espírito do homem do interior jogado à própria sorte, “engaja-se” na luta em defesa desse homem do sertão que vive na região nordeste de Mato Grosso. Percebe-se, assim, como o poeta encontra na e pela palavra, uma arma invencível e eficaz no exercício de dar voz a todos os elementos que compõem o cenário de exploração e miséria em que está inserido.

 

Para citar esse artigo:

SANTOS, Edson F. Poesia e Utopia: O sonho-esperança na obra de Pedro Casaldáliga. Revista de Estudos Acadêmicos de Letras, vol. 07 n. 02, p. 52-65, Dezembro de 2014.

Referências

ABDALA JUNIOR, Benjamin. De vôos e ilhas: literatura e comunitarismos. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003.

BLOCH, Ernst. O princípio esperança. Trad. Nélio Schneider. Rio de Janeiro: EDUERJ: Contraponto. 2005. (Volume 1).

BOSI, Alfredo. Literatura e resistência. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

________. O ser e o tempo da poesia. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

________. A esperança rebelde na poesia de Pedro Casaldáliga. In:______. Versos adversos. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2006.

CANDIDO, Antonio. Vários escritos. São Paulo: Duas Cidades, 1982.

________. Educação pela noite & outros ensaios. São Paulo: Ática. 2003.

________. O Estudo analítico do Poema. São Paulo: Humanitas Publicações, 1996.

CASALDALIGA, Pedro. Águas do tempo. Cuiabá: Ed.Amazônia/Fundação Cultural de Mato Grosso, 1989.

________. Antologia retirante. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

_________. Passionis causa. 24 de outubro de 2000. Disponível em . Acesso em: 10 jun. 2010.

________. Versos adversos. Antologia, de Pedro Casaldáliga. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2006.

ESCRIBANO, Francesco. Descalço sobre a terra vermelha. Campinas: Unicamp, 2000.

FORCANO, Benjamim... et al. Pedro Casaldáliga: as causas que imprimem sentido à sua vida - retrato de uma personalidade. Trad.: Alda da Anunciação Machado. São Paulo: Editora Ave Maria, 2008.

MAGALHAES, Hilda. História da literatura de Mato Grosso: Século XX. Cuiabá: Unicem publicações, 2001.

MELO NETO, João Cabral de. Morte e vida severina: e outros poemas. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

RODRIGUES, Pedro. Ernest Bloch: música/esperança/revolução. Combate, número 284, Lisboa: APSR, 2005. p. 40-43.

SANTOS, Edson Flávio. Cercas malditas: utopia e rebeldia na obra de Dom Pedro Casaldáliga. Dissertação de Mestrado. Tangará da Serra: UNEMAT/PPGEL, 2011.

SOUSA, Edson Luiz André de. Ainda há esperança?. Revista Concinnitas (Rio de Janeiro) ano 6, volume 1, número 8, 2005. p.187-188

VIEIRA, Antonio Rufino. Princípio Esperança e a “herança intacta do marxismo” em Ernst Bloch. Anais do 5º Colóquio Internacional marxengels , 2007. Disponível em <http://www.unicamp.br/cemarx/anais_v_coloquio_arquivos/arquivos/comunicacoes/gt1/ses sao6/Antonio_Rufino.pdf >. Acesso em: 16 jul. 2010.

Downloads

Publicado

01/12/2014

Como Citar

Santos, E. F. (2014). POESIA E UTOPIA: O SONHO-ESPERANÇA NA OBRA DE PEDRO CASALDÁLIGA. Revista De Estudos Acadêmicos De Letras, 7(2), 52–65. https://doi.org/10.30681/real.v7i2.271