O USO DO ROTACISMO NO FALAR DOS MORADORES DO BAIRRO VILA MARIANA EM CÁCERES-MT

Autores

  • Maria Eliane Vila de Pinho UNEMAT
  • Jocineide Macedo Karim

DOI:

https://doi.org/10.30681/real.v7i2.274

Resumo

Este estudo tem por objetivo analisar e descrever a partir dos estudos sociolinguísticos quantitativos como se dá a ocorrência do uso do rotacismo, ou seja, a troca da letra “L” para a letra “R” no falar dos informantes do bairro Vila Mariana. Procuramos ainda observar as variedades da língua voltadas aos fatores extralinguísticos sexo, escolaridade e idade, bem como analisar a frequência dessas trocas dialéticas no falar dos moradores mais jovens e mais velhos nativos de Cáceres-MT. Para obtermos resultados nessa pesquisa, a fala dos moradores foi gravada através das entrevistas, transcritas e analisadas conforme o grupo de informantes, considerando os fatores condicionadores sexo, idade e escolaridade. Os resultados alcançados na pesquisa mostraram que a presença do rotacismo está fortemente ligada à comunidade. Além disso, observamos que as mulheres mais jovens tendem a conservar mais a variante padrão /l/ que os homens do mesmo grupo, as mulheres mais velhas também apresentaram um índice um pouco elevado da presença do rotacismo, mas os homens mais velhos mantém o uso da variante /r/ com maior frequência.

 

Para citar essa obra:

PINHO, Maria Eliane Vila de. O uso do rotacismo no falar dos moradores do bairro Vila Mariana em Cáceres-MT. Revista de Estudos Acadêmicos de Letras, vol. 07 n. 02, p. 119-129, Dezembro de 2014.

Referências

AMARAL, Amadeu. O Dialeto Caipira. São Paulo, ed. 4° 1982.

ARAÚJO, Carleni. A variação do gerúndio no falar da comunidade ribeirinha de Cáceres. Universidade do Estado de Mato Grosso. (Monografia de Graduação do Curso de Letras) UNEMAT, Cáceres. Mato Grosso, 2010.

ALKMIM, Tânia Maria. (2011). Sociolinguística. In: MUSSALIM F. & BENTES, A. C

(Orgs.). Introdução à Linguística: domínios e fronteiras. 9. ed. São Paulo: Cortez.

BAGNO, Marcos. Preconceito linguístico: o que é, como se faz. 38. ed. São Paulo: Loyola, 2005.

BRASIL, Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia prático do agente comunitário de saúde/ Ministério da Saúde- Brasil-DF: Ministério da Saúde, 2009.

COSTA, Luciane Trennephol. Análise variacionista do rotacismo. Revista Virtual de Estudos da Linguagem – Revel. Vol. 5, n. 9, agosto de 2007(acesso em 28/08/2014).

COX, Maria Inês Pagliarini (2005). O rotacismo no falar cuiabano: a potência da voz mameluca em uma variedade do português brasileiro. IN: Vozes Cuiabanas: estudos linguísticos em Mato Grosso. Almeida, M. M. S. & Cox, M.I. P. (Ogs.). Cuiabá, Cathedral Publicações. p.95- 106.

MARROQUIM, Mario. A língua do Nordeste. São Paulo, ed. 2º, 1945.

MACEDO KARIM, Jocineide. A comunidade São Lourenço em Cáceres-MT: aspectos linguísticos e culturais / Jocineide Macedo Karim. -- Campinas, SP: [s.n.], 2012. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem.

______. A concordância nominal de gênero na comunidade cacerense. IN: Revista ECOS, Literaturas e Linguísticas, Coordenação: Agnaldo Rodrigues da Silva. (Revista do Instituto de Linguagem). Cáceres-MT: Editora Unemat, 2010.

MOLLICA, Maria Cecília; BRAGA, Maria Luiza. Introdução à sociolinguística. O tratamento da variação. São Paulo: Contexto, 2003.

NASCENTES, Antenor. (1923). O linguajar carioca. 2. ed. completamente refundida, Rio de Janeiro: Organização Simões, 1953.

PEREIRA Silva, Mariza. Um estudo de variação dialetal: a alternância de [ãw] ~ [õ] final no português falado na cidade de Cáceres - MT. Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade de Campinas, Campinas, 2000.

SANTIAGO-ALMEIDA, Manoel Mourivaldo. Aspectos fonológicos do português falado na Baixada Cuiabana: traços de língua antiga preservados no Brasil (manuscritos da época das Bandeiras, século XVIII). Tese de Doutorado, USP/FFLCH, 2002(acesso em 04/10/2014).

TARALLO, Fernando. A pesquisa sociolinguística. 2 ed. São Paulo: Ática, 1986.

Downloads

Publicado

01/12/2014

Como Citar

Pinho, M. E. V. de, & Karim, J. M. (2014). O USO DO ROTACISMO NO FALAR DOS MORADORES DO BAIRRO VILA MARIANA EM CÁCERES-MT. Revista De Estudos Acadêmicos De Letras, 7(2), 119–129. https://doi.org/10.30681/real.v7i2.274