ASPECTOS DO TRÁGICO EM LUZIA-HOMEM

Autores

  • Dante Gatto Universidade do Estado de Mato Grosso.

DOI:

https://doi.org/10.30681/real.v8i1.431

Resumo

este artigo constitui-se de reflexões em torno do trágico no romance Luzia-Homem de Domingos Olímpio, notadamente no que se refere à androginia e ao amor. O trágico será refletido a partir das condições clássicas e das circunstâncias artísticas da modernidade, tomando como maior referencial a tragédia na condição em que se instaurou na Grécia antiga e na contingência de sua morte. Como o choque subjacente às condições artísticas repete-se no choque constitutivo do núcleo de ação dramática da narrativa O Nascimento da tragédia de Nietzsche se mostrou fundamentação teórica fundamental, na medida em que estabelece a dinâmica do trágico que está no dionisíaco e no apolíneo. Tratamos de acentuar a diferença de razão e racionalismo, por meio de uma reflexão do pensamento dialético. O trágico está, em Luzia-Homem, o tornar-se homem, bem como na superação desta condição, no resgate do ser. O trágico implica afastamento e retorno à condição mítica.

Biografia do Autor

Dante Gatto, Universidade do Estado de Mato Grosso.

Professor do Departamento de Letras e do PPGEL, Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários

Referências

BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira. 35. ed. São Paulo: Cultrix, 1994.

DELEUZE, G. Nietzsche. Tradução de Alberto Campos. Lisboa: edições 70, 1994.

ELIADE, Mircea. Função dos mitos. In: ELIADE, Mircea et al. O poder do mito. São Paulo: Martin Claret, s.d. p.9-31.

HAUSER, Arnold. História social da literatura e da arte. 2. ed. São Paulo. Mestre Jou. 1972.

IMMANUEL KANT, Immanuel. Fundamentação da Metafísica dos Costumes. Tradução de Paulo Quintela. Lisboa: Edições 70, 2007.

LOUBET, M. S. Estudos de estética. Campinas: Unicamp, 1993.

LUKÁCS, Georg. A teoria do romance: um ensaio histórico-filosófico. 2. ed. Tradução de José Marcos Mariani de Macedo. São Paulo: Duas Cidades, 2009.

NIETZSCHE, F. W. Crepúsculo dos Ídolos ou filosofia a golpes de martelo. Tradução de Edson Bini e Márcio Pugliesi. São Paulo: Hemus, 1984.

NIETZSCHE, F. W. Nascimento da tragédia ou helenismo e pessimismo. Tradução de J. Guinsburg. 2. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

OLÍMPIO, Domingos. Luzia-Homem. Texto integral estabelecido por Afrânio Coutinho e Maria Filgueiras. 9. ed., São Paulo: Ática, 1983. (Série Bom Livro).

PROPP, Vlademir. Morfologia do conto maravilhoso. Rio de Janeiro: forense universitária, 2010.

SCHILLER, Friedrich. Teoria da tragédia. São Paulo: Herder, 1964.

SCHMIDT, Rita Terezinha. Repensando a cultura, a literatura e o espaço da autoria feminina. In.: NAVARRO, Márcia Hoppe (Org.). Rompendo o silêncio. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 1995, p.182-189.

Downloads

Publicado

20/06/2015

Como Citar

Gatto, D. (2015). ASPECTOS DO TRÁGICO EM LUZIA-HOMEM. Revista De Estudos Acadêmicos De Letras, 8(1), 49–59. https://doi.org/10.30681/real.v8i1.431