A METAFORIZAÇÃO DA MULHER NO FUNK: MOÇA E MINA NO DISCURSO

Autores

  • Leandro Dias Salvaterra Universidade do Estado de Mato Grosso

DOI:

https://doi.org/10.30681/real.v14.4894

Resumo

Com este trabalho pretendemos refletir e compreender as terminologias que vêm se discursando a respeito da mulher nas letras de funk, atentando-se ao processo de metaforização e sua relação na constituição do sujeito mulher. Contempla-se o trabalho sob a perspectiva teórica da Análise do Discurso de linha francesa.  Percebemos, portanto, que moça e mina ocupam nas letras analisadas espaços distintos, e esse processo se dá pela relação do sujeito com a história e do discurso com a história, pautado na metáfora.

Referências

AZEVEDO, Aline Fernandes de. Sentidos do corpo: metáfora e interdiscurso. Campinas, São Paulo, 2014

BRASIL, Luciana Leão. Deslizamento de sentidos por efeitos metafórico: o discurso de uma fotografia. Revista Rua, Campinas, 2007

DANTAS, Tiago. "Funk"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/artes/funk.htm>. Acesso em 14 de Dezembro de 2017.

ORLANDI, E. As formas de silêncio: no movimento dos sentidos. Campinas: Editora da Unicamp, 2007

___________ Princípios e procedimentos. Pontes: 2009

___________ Exterioridade e ideologia. Cad. Est. Ling., Campinas, (30):27-33, Jan./Jun. 1996

GUIMARÃES, Eduardo. “Na batida da cachorra” in: Escritos 9. Dez, 2005

Downloads

Publicado

30/12/2021

Como Citar

Salvaterra, L. D. (2021). A METAFORIZAÇÃO DA MULHER NO FUNK: MOÇA E MINA NO DISCURSO. Revista De Estudos Acadêmicos De Letras, 14(2), 55–61. https://doi.org/10.30681/real.v14.4894