CARNAVALIZAÇÃO EM FANFICS: UMA ANÁLISE BAKHTINIANA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30681/real.v15.6113

Palavras-chave:

Carnavalização. Bakhtin. Gênero Discursivo

Resumo

Neste trabalho, procuramos fazer uma aproximação entre ficções de fãs (fanfics) e o conceito de carnavalização, termo cunhado pelo filósofo russo Mikhail Bakhtin para designar a transposição da festa de carnaval para a linguagem literária. É nosso propósito investigar como o conceito de carnavalização pode ser identificado em ficções de fãs. Para atingir esse objetivo, investigamos uma fanfic publicada no site Spirit Fanfiction, cujo enredo é baseado na obra Death Note, uma série de mangá escrita por Tsugumi Ohba e ilustrada por Takeshi Obata. Nosso arcabouço teórico está assentado em Bakhtin a respeito do conceito de gênero discursivo (2003) e em sua tese de doutoramento intitulada A cultura cômica popular na Idade Média e no Renascimento: o contexto de François Rabelais (1996), a respeito do conceito de carnavalização. Em nossa análise, constatamos a presença das seguintes características carnavalizadas: livre contato familiar, riso ambivalente e mésalliances, todas elas elementos do realismo grotesco e da literatura carnavalizada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcia Helena de Melo Pereira, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB)

Márcia Helena de Melo Pereira é doutora e mestre em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Atualmente, é professora titular da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (DELL/UESB), campus de Vitória da Conquista, onde atua na graduação em Letras (Modernas e Vernáculas) e no quadro permanente do Programa de Pós-Graduação em Linguística (PPGLin-UESB). É pesquisadora dos seguintes grupos de pesquisa: Grupo de Pesquisa em Estudos da Linguagem (GPEL/UESB), Grupo O Círculo de Bakhtin em diálogo (UEPB) e Grupo de Estudos Bakhtinianos (GEB/Unesp Assis). É membro do GT de Linguística de Texto e Análise da Conversação da ANPOLL. No campo teórico, desenvolve pesquisas sobre processo de construção de textos, gênese de textos, relação entre estilo individual e estilo de gênero, gêneros digitais, crítica genética, autoria e ensino de texto. Tem interesse por pesquisas nas áreas de Linguística e Linguística Aplicada, com ênfase na subárea de Linguística de Texto, além dos seguintes assuntos: gêneros discursivos (incluindo os digitais), autoria, estilo, ensino-aprendizagem etc. Também atua como Coordenadora da banca de correção do Projeto Lápis na Mão, iniciativa da TV Sudoeste, afiliada da Rede Globo.

Kendra Santos SILVEIRA, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Graduanda em Letras Modernas (Português, Inglês e suas respectivas literaturas) na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). Bolsista UESB no desenvolvimento de pesquisas na área de Linguística Textual, estudando, principalmente, a atuação dos gêneros discursivos, da textualidade à hipertextualidade, com ênfase na carnavalização hipertextual em fanfictions. Possui formação técnica em Nutrição e Dietética pelo Centro Estadual de Educação Profissional em Saúde Adélia Teixeira (CEEPS) e formação técnica em Teatro pelo Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães

Tiago Martins da Silva , Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Tiago Martins da Silva é aluno de graduação do curso de Letras Modernas na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). Atualmente faz parte de um grupo de estudos do Programa de Iniciação Científica (Pibic), Departamento de Estudos Linguísticos e Literários (DELL), na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), na área de Linguística Textual.

Referências

BAKHTIN, Mikhail. Cultura Popular na Idade Média: o contexto de François Rabelais. São Paulo-Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1996.

BAKHTIN, Mikhail. Problemas da poética de Dostoiévski. 5. ed. revisitada. São Paulo: Forense Universitária, 2010.

BAKHTIN, Mikhail. Os gêneros do discurso. In: BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011. p. 262-306.

FIORE, Adriano Alves; CONTANI, Miguel Luiz. Elementos argumentativos da carnavalização bakhtiniana na iconografia do heavy metal. Bakhtiniana: Revista de Estudos do Discurso, v. 9, n. 1, p. 35-52, 2014.

FIORIN, José Luiz. Introdução ao pensamento de Bakhtin. São Paulo: Contexto, 2019.

FRANÇA, Stella Hadassa Ferreira. Texto multimodal na cibercultura: o fenômeno fanfiction. Dissertação (mestrado em Linguagem e Sociedade) - Universidade de Brasília. Brasília, p. 115. 2020.

JENKINS, H. Cultura da convergência. São Paulo: Editora Aleph, 2009.

LIMA, Johnny; PINHEIRO, Alexandra; As rubricas hilstiana: voz e corpo no estado de exceção. Revell - Revista de Estudos Literários da UEMS, Mato Grosso do Sul, v. 3, n. 20, p. 279-297, dez. 2018.

RIBEIRO, P. Bicalho. Funcionamento do gênero do discurso. Bakhtiniana, São Paulo, v. 1, n. 3, p. 54-67, 1º sem. 2010. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/bakhtiniana/article/view/3370. Acesso em: 14 mai. 2021.

SANTOS, G. Relações dialógicas em fanfictions: carnavalização na reescrita da saga Harry Potter na era da Convergência. 2016. 199f. Dissertação (Mestrado em Letras) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.

SOERENSEN, Claudiana. A carnavalização e o riso segundo Mikhail Bakhtin. Travessias, Cascavel, v. 5, n. 1, maio 2017. ISSN 1982-5935. Disponível em: http://e-evista.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/4370/3889. Acesso em: 29 ago. 2021.

Downloads

Publicado

2023-01-16

Como Citar

de Melo Pereira, M. H., Santos SILVEIRA, K., & Martins da Silva , T. (2023). CARNAVALIZAÇÃO EM FANFICS: UMA ANÁLISE BAKHTINIANA. Revista De Estudos Acadêmicos De Letras, 15(01), 54–71. https://doi.org/10.30681/real.v15.6113