MAIS DO QUE NAVEGAR, É PRECISO IMAGINAR: A RESSIGNIFICAÇÃO DOS ESPAÇOS INFANTIS EM CORDA BAMBA E SAPATO DE SALTO, DE LYGIA BOJUNGA

Autores

  • Catiane Vieira Souza Faria UNEMAT

DOI:

https://doi.org/10.30681/real.v8i1.614

Resumo

O objetivo ao escrever este trabalho foi repensar o espaço infantil, na contemporaneidade e em que medida esses espaços ganharam ressignificação e novos contornos nos textos literários infanto-juvenis. Para tanto, decidimos pesquisar os textos da autora Lygia Bojunga, Corda Bamba e Sapato de Salto. Assim, nosso trabalho buscou apontar nesses textos como é visto o espaço do ser infantil na sociedade contemporânea. Iniciamos nosso trabalho abordando Maria, de Corda Bamba, que sofre pela perda de seus pais e se envereda pelo mundo mágico do devaneio para poder conseguir entender-se e encontrar seu eu. Maria viajará através das janelas e portas de sua imaginação para nos desenhar sua infância. Bojunga aponta claramente o mundo que o ser infantil tem vivido, fazendo com que em toda sua narrativa haja um desejo de gritar e apontar as crueldades que as crianças têm enfrentado. Após isso nos encontraremos com Sabrina, de Sapato de Salto que nos fará sofrer com tanta crueldade que ela tem que suporta para poder sobreviver. Sabrina é uma menina órfã que é levada a casa de um casal para ser adotada, mas ao chegar a casa percebe que iria ser empregada, mas, o texto vai ficando mais denso quando Seu Gonçalves, um dos personagens que devia cuidar de Sabrina, começa a ver nela não mais uma criança, mas algo que ele podia usar como diversão, e assim ele começa a abusar da menina, até sua família aparecer e começar a mudar os dias dela. Para podermos analisar as narrativas de Bojunga perpassamos por Aries, Bachelard, Berman, Bettelheim, autores que nos ajudaram a entender como ocorrem essa mudança dentro do espaço infantil.

Referências

ARIÉS, Philippe. História social da criança e da família. (Trad. Dora Flaksman) 2ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1986.

BACHELARD, Gaston. A Poética do Devaneio. Trad. Antônio de Pádua Danesi. 5ª ed. Editora Martins Fontes, São Paulo 1988.

BACHELARD, Gaston. Os pensadores: seleção de textos de José Américo Motta Pessanha traduções de Joaquim José Moura Ramos (et al.). —Abril Cultural, São Paulo,1978.

BERMAN, Marshall. Tudo que é sólido desmancha no ar: a aventura da modernidade. Trad. Carlos Felipe Moisés e Ana Maria L. Ioriatti. Consultor, Francisco Foot Hardman. 1ª reimpressão Companhia das Letras. São Paulo, 1986.

BETTELHEIM, Bruno. A psicanalise dos contos de fada. Tradução Arlene Caetano. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1980.

CANDIDO, Antônio. A personagem de ficção. 10ª ed. Editora Perspectiva. São Paulo, 2002.

CHEVALIER, Jean. GHEERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos: mitos, sonhos, costumes, gestos, formas, figuras, cores, números. Elaboração de: Andre Barbault; coordenação Carlos Sussekind; tradução Vera da Costa e Silva. 16 ed. José Olympio, Rio de Janeiro, 2001.

DURAND, Gilbert. As estruturas antropológicas do imaginário: introdução à arqueologia geral: tradução Hélder Godinho. 1ª ed. Martins Fontes. São Paulo, 1997.

Dicionários on line. Aulete digital e Aurélio.

FERNANDES, Dirce Lorimier. A literatura Infantil. Edições Loyola. São Paulo, 2003.

FREUD, Sigmund. Conferências introdutórias a psicanálise: parte I e II. Vol. XV. 1915. PDF.

FREUD, Sigmund. Interpretação dos Sonhos. Cap. IV. PDF.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Livro na íntegra (totalmente escaneado) (Do livro: A identidade cultural na pós-modernidade, DP&A Editora, 1ª edição em 1992, Rio de Janeiro, 11ª edição em 2006, 102 páginas, tradução: tomaz Tadeu da Silva e Guacira Lopes Louro)

LAJOLO, Marisa e ZILBERMAN, Regina. Literatura infantil brasileira: história e histórias. 2ª ed. São Paulo. Ática, 1985.

NUNES, Lygia Bojunga. Corda Bamba. Ilustrações Regina Yolanda. Editora Casa Lygia Bojunga, 23º edição, 10ª reimpr. Rio de Janeiro, 2008.

NUNES, Lygia Bojunga. Sapato de Salto. Editora Casa Lygia Bojunga. Rio de Janeiro, 2006.

SOUZA, Flavia de Castro. A trilogia da morte: o imaginário em Lygia Bojunga. Dissertação apresentada como requisito a pós graduação em Letras da Universidade Federal de Goiás, 2009. Acessado dia 08 de janeiro de 2014 as 9:50.

SANTOS, Ludmilla Oliveira. Na Corda Bamba: o espaço da criança na obra de Lygia Bojunga. Dissertação Literatura Brasileira. Universidade de Brasília, 2006. Acessado dia 08/01/2014 disponível em: http://www.gelbc.com.br/pdf_teses/ludmila_santos.pdf

CRISTÓFANO, Sirlene. Lygia Bojunga e a literatura Infanto juvenil: uma crítica lúdica e a abordagem à realidade social. Mestre em Literatura, Culturais e Interartes, pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, FLUP Porto, Portugal. Acesso em 08 março, disponível em: file:///C:/Users/Catiane/Downloads/37337-43873-1-PB.pdf

SANTOS, Daniela Yuri Uchino. Estética e imaginário em Corda bamba de Lygia Bojunga Nunes. Mestrando em estudo comparados pela FFLCH-USP, SD. Acesso em 06 de Janeiro disponível em: file:///C:/Users/Catiane/Downloads/52698-65979-1-SM%20(1).pdf

Downloads

Publicado

20/06/2015

Como Citar

Faria, C. V. S. (2015). MAIS DO QUE NAVEGAR, É PRECISO IMAGINAR: A RESSIGNIFICAÇÃO DOS ESPAÇOS INFANTIS EM CORDA BAMBA E SAPATO DE SALTO, DE LYGIA BOJUNGA. Revista De Estudos Acadêmicos De Letras, 8(1), 28–39. https://doi.org/10.30681/real.v8i1.614