A ANÁLISE DO DISCURSO E A TEORIA DO ACONTECIMENTO: A ARTICULAÇÃO DOS PROCESSOS IDEOLÓGICOS E DOS FENÔMENOS LINGUÍSTICOS E A REALIZAÇÃO DO DIZER

Autores

  • Cleuber Cristiano de Sousa UNEMAT

DOI:

https://doi.org/10.30681/real.v8i1.615

Resumo

Na linguística, o feito tem um espaço e um tempo, porque é observável. Em uma tese, por exemplo, o objeto é o tema. Seguindo esta orientação, os feitos são observáveis, mas o conceito não. A questão que envolve o marco conceitual e o marco teórico se fundamenta no princípio desta observação. O conceito é o que preenche, mas a teoria é a própria iluminação. A representação metafórica de uma cena de uma peça em um teatro, em que o conceito está no mobiliário, cenário e objetos constitutivos e a luz é o que demonstra ou ofusca, aquilo que ressalta ou oculta, é o ponto nodal da relação entre o conceito e a teoria.  Se se modifica a iluminação, transforma o ambiente e as coisas tomam nova forma. O feito tende a ser imutável, mas se eu mudo a teoria, transformo também o objeto. Nesta orientação, Foucault (1969) define o discurso como uma dispersão, sendo formado por elementos que não estão ligados por nenhum princípio de unidade. À luz da enunciação, o acontecimento se refere ao horizonte de expectativas, à experiência discursiva, ao que acontece de natureza prefigurada ou constituída, pois, segundo, Mouillaud (1997), o acontecimento dá forma àquilo que ocorre, mas não é o ocorrido

Referências

BENVENISTE, Émile. Problemas de Linguística Geral I. Campinas, SP, Pontes Editores, 2005.

CÂMARA JÚNIOR, Joaquim M. Princípios de Linguística Geral. Rio de Janeiro: Acadêmica,1973.

CRYSTAL, David. Que é Linguística. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico. 1981.

GUIMARÃES, Eduardo. Os limites do sentido: um estudo histórico e enunciativo da linguagem. Campinas, SP: Pontes, 1995.

LOPES, Edward. Fundamentos da Linguística Contemporânea. São Paulo: Cultrix, 1995.

LYONS, John. Linguagem e Lingüística: uma introdução. Rio de Janeiro: Zahar, 1987.

MAINGUENEAU, D. Novas tendências em Análise do Discurso. Trad.: Freda Indursky; Campinas: Pontes, 1990.

ORLANDI, E. Análise de Discurso: princípios & procedimentos. Campinas: Pontes, 2000.

PÊCHEUX, M. (1975). Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas: Ed. da UNICAMP, 1988.

______. O Discurso: estrutura ou acontecimento. Campinas: Pontes, 1997

Downloads

Publicado

20/06/2015

Como Citar

Sousa, C. C. de. (2015). A ANÁLISE DO DISCURSO E A TEORIA DO ACONTECIMENTO: A ARTICULAÇÃO DOS PROCESSOS IDEOLÓGICOS E DOS FENÔMENOS LINGUÍSTICOS E A REALIZAÇÃO DO DIZER. Revista De Estudos Acadêmicos De Letras, 8(1), 40–48. https://doi.org/10.30681/real.v8i1.615