Sobre a Revista

Foco e Escopo

A Revista de Educação do Vale do Arinos tem como objetivo divulgar, em formato eletrônico, resultados finais de pesquisas, relatos de experiências e práticas pedagógicas inerentes às ações de ensino e extensão produzidas em âmbitos educacionais e das áreas das Ciências Sociais e Humanas.

A Revista pretende disseminar conhecimentos científicos, tecnológicos e culturais oriundos de resultados de pesquisa, ensino e extensão, por meio de publicações de artigo, comunicação e entrevista inéditas sobre temas educacionais e da área de Ciências Sociais.

Mediante veiculação gratuita e integral de textos via publicação online, a Revista permitirá circulação, intercâmbio e publicização de estudos da área de educação e Ciências Sociais Aplicadas.

As submissões podem ser em Língua Portuguesa, Espanhola ou Inglesa, com no máximo três autores por trabalho.

Processo de Avaliação pelos Pares

Todos os textos serão avaliados, por no mínimo dois pareceristas, desde que atendam aos requisitos mínimos apontados nas normas para publicação. O editor responsável e o Conselho Editorial se reservam o direito de recusar os artigos que não atenderem às exigências previstas nas normas, sem sequer dar início ao processo de avaliação. Cabe ao Conselho Editorial a decisão referente à oportunidade da publicação das contribuições recebidas.

Periodicidade

A revista RELVA é uma publicação semestral do Curso de Pedagogia da UNEMAT - Campus Universitário de Juara-MT.

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.

Editora-Chefe

Dra. Ângela Rita Christofolo de Mello - Universidade do Estado de Mato Grosso /Juara-MT

E-mail: angela.mello@unemat.br

Dr. Jairo Luis Fleck Falcão - Universidade do Estado de Mato Grosso /Juara-MT

E-mail: jairofalcao@unemat.br

Conselho Editorial

Dr. Jairo Luis Fleck Falcão - Universidade do Estado do Mato Grosso /Juara-MT

Dr. Oseias Carmo Neves - Universidade do Estado do Mato Grosso /Juara-MT

Dra. Ângela Rita Christofolo de Mello - Universidade do Estado do Mato Grosso /Juara-MT

Dra. Lisanil da Conceição Patrocínio Pereira - Universidade do Estado do Mato Grosso /Juara-MT

Dra. Waldinéia Antunes de Alcântara Ferreira - Universidade do Estado do Mato Grosso /Juara-MT

Dra. Ariele Mazoti Crubelati - Universidade do Estado do Mato Grosso /Juara-MT

Ma. Cleuza Regina Balan Taborda - Universidade do Estado do Mato Grosso /Juara-MT

Ma. Lori Hack de Jesus - Universidade do Estado do Mato Grosso /Juara-MT

Ma. Rosalia de Aguiar Araújo - Universidade do Estado do Mato Grosso /Juara-MT

Conselho Consultivo

Dr. Aumeri Carlos Bampi -Universidade do Estado de Mato Grosso /Sinop-MT

Dr. Célio Juvenal Costa – Universidade Estadual de Maringá/Maringá-PR

Dr. Celso Luiz Prudente - Universidade Federal de Mato Grosso /Cuiabá-MT

Dr. Edson Caetano - Universidade Federal de Mato Grosso /Cuiabá-MT

Dr. Edson Pereira Barbosa - Universidade Federal de Mato Grosso /Sinop-MT

Dr. Jaime José Zitkoski - Universidade Federal do Rio Grande do Sul /Porto Alegre-RS

Dr. Kilwangy Kya Kapitango a Samba - Universidade do Estado do Mato Grosso /Barra do Bugres-MT

Dr. Leonir Amantino Boff - Universidade do Estado do Mato Grosso /Sinop-MT

Dr. Licínio Carlos Viana da Silva Lima – Universidade do Minho /Braga-PT

Dr. Marion da Cunha Machado - Universidade do Estado do Mato Grosso /Sinop-MT

Dra. Albina Pereira de Pinho Silva - Universidade do Estado de Mato Grosso /Sinop-MT

Dra. Ana Maria de Lima - Universidade do Estado de Mato Grosso /Juara-MT Universidade do Estado de Mato Grosso

Dra. Andréa Rosana Fetzner - Universidade Federal do Rio de Janeiro / Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro /Rio de Janeiro-RJ

Dra. Andréia Dalcin – Universidade Federal do Rio Grande do Sul /Porto Alegre-RS

Dra. Armgard Lutz – Universidade Estadual do Rio Grande do Sul /Porto Alegre-RS

Dra. Artemis Torres - Universidade Federal de Mato Grosso /Cuiabá-MT

Dra. Claudia Landin Negreiro - Universidade do Estado do Mato Grosso /Barra do Bugres-MT

Dra. Egeslaine De Nez – Universidade Federal do Mato Grosso /Barra do Garças-MT

Dra. Eliana Rela – Universidade de Caxias do Sul /Caxias do Sul-RS

Dra. Eunice Cândida Pereira Rodrigues – Universidade Federal de Mato Grosso – Rondonópolis/MT

Dra. Helena Dória Lucas de Oliveira - Universidade Federal do Rio Grande do Sul /Porto Alegre-RS

Dra. Isaura Isabel Conte - Universidade Federal de Rondônia - RO

Dra. Juliana Brandão Machado – Universidade Federal do Pampa /RS

Dra. Karina Marcon - Universidade do Estado de Santa Catarina/SC

Dra. Loriége Pessoa Bitencourt - Universidade do Estado do Mato Grosso /Cáceres-MT

Dra. Lúcia da Graça Cruz Domingues Amante – Universidade Aberta /PT

Dra. Margarete Fátima Pauletto – EDUVALE/Jaciara-MT

Dra. Maria Aparacida Bergamaschi - Universidade Federal do Rio Grande do Sul /Porto Alegre-RS

Dra. Maria Elly Genro - Universidade Federal do Rio Grande do Sul /Porto Alegre-RS

Dra. Nádie Christine Ferreira Machado Spence - AJES/Juína-MT

Dra. Regiane Cristina Custódio – Universidade do Estado do Mato Grosso /Tangará da Serra-MT

Dra. Rejane Waiandt Schuwartz de Carvalho Faria, da Universidade Federal de Viçosa/MG

Dra. Rosenei Bairros de Freitas Carvalho - EDUVALE/Jaciara-MT

Dra. Sandra Luzia Wrobel Straub - Universidade do Estado do Mato Grosso /Sinop-MT

Dra. Marinéia dos Santos Silva. Professor da Educação Básica.Secretaria da Educação do Estado de São Paulo - SEDUC.

Normas para Publicação

1 – Editorial e Seção

A Revista Educacional do Vale do Arinos - RELVA é uma publicação do Curso de Pedagogia da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), que tem por objetivo divulgar a produção científica sobre temas relacionados à Educação em interface com as Ciências Humanas e Sociais, no que tange aos seus aspectos epistemológicos, pedagógicos, históricos, políticos e culturais. Aceita somente artigos originais e inéditos em português e espanhol.

A seleção dos textos para publicação tem como referência sua contribuição à Educação, a originalidade do tema ou do tratamento do assunto, a consistência e o rigor da abordagem teórica e a qualidade do texto. Os artigos deverão ser inéditos, ainda não publicados em nenhum veículo de comunicação científica.

As publicações compõem-se das seguintes seções:

Artigo: o artigo parte de uma publicação com autoria declarada, que apresenta e discute ideias, métodos, técnicas, processos e resultados nas diversas áreas do conhecimento. Pode ser:

a) original (resultado final de pesquisa, estudo de caso, entre outros).

b) de revisão (publicação que resume, analisa e discute informações já publicadas, estado da arte).

c) teórico (discussão teórica e crítica sobre o estado da arte de um assunto determinado).

Comunicações: As comunicações são relatos de experiências desenvolvidas por um determinado período, por uma ou mais disciplinas, no âmbito do ensino e extensão.

Entrevistas: As entrevistas caracterizam-se por exposição da opinião do entrevistado e da exploração da complexidade do debate sobre a questão. A entrevista deve pautar pela fidedignidade da transcrição, que poderá ser comprovada por meio de concordância intra e interjuizes (realiza-se uma ou mais transcrição e leituras para verificar o nível de concordância entre as versões analisadas).

2- Estrutura

A estrutura dos textos submetidos é constituída de elementos pré-textuais, textuais e pós-textuais.

 2.1 Elementos pré-textuais

Os elementos pré-textuais são constituídos de: título e subtítulo (se houver); nome(s) do(s) autor(es); resumo na língua do texto; palavras-chave na língua do texto.

 2.2 Elementos textuais

Os elementos textuais constituem-se de:

a) introdução;

b) desenvolvimento;

c) conclusão.

2.3 Elementos pós-textuais

Os elementos pós-textuais são constituídos de:

a) título e subtítulo (se houver) em língua estrangeira;

b) resumo em língua estrangeira;

c) palavras-chave em língua estrangeira;

 3 Regras gerais de apresentação

A apresentação de um artigo deve constar de:

 3.1 Título e subtítulo: O título e subtítulo (se houver) devem figurar na página de abertura do artigo, diferenciados tipograficamente ou separados por dois-pontos (:) e na língua do texto.

3.2 Autor(es): Nome(s) do(s) autor(es), acompanhado(s) de breve currículo que o(s) qualifique na área de conhecimento do artigo. O currículo, bem como os endereços postal e eletrônico devem aparecer em rodapé indicado por asterisco na página de abertura ou, opcionalmente, no final dos elementos pós-textuais, onde também devem ser colocados os agradecimentos do(s) autor(es) e a data de entrega dos originais à redação do periódico. Aconselha-se que a quantidade de autores não ultrapasse cinco. Para cada número da revista será aceito apenas um trabalho por autor para ser avaliado pelos pareceristas.

 3.3 Resumo na língua do texto: Elemento obrigatório, constituído de uma sequência de frases concisas e objetivas e não de uma simples enumeração de tópicos, não ultrapassando 250 palavras.

3.4 Palavras-chave na língua do texto: Elemento obrigatório, as palavras-chave devem figurar logo abaixo do resumo, antecedidas da expressão Palavras-chave, separadas entre si por ponto e finalizadas também por ponto.

Exemplo:

Palavras-chave: Referências. Documentação.

 3.5 Introdução: Parte inicial do artigo, onde devem constar a delimitação do assunto tratado, os objetivos da pesquisa e outros elementos necessários para situar a temática do texto.

 3.6 Desenvolvimento: Parte principal do texto, que contém a exposição ordenada e pormenorizada do assunto tratado. Pode dividir-se em seções e subseções, que variam em função da abordagem da temática e do método.

 3.7 Conclusão: Parte final do texto, na qual se apresentam as conclusões correspondentes aos objetivos e hipóteses.

3.8 Título e subtítulo em língua estrangeira: O título e subtítulo (se houver) em língua estrangeira, diferenciados tipograficamente ou separados por dois pontos (:), precedem o resumo em língua estrangeira.

b) Resumo em língua estrangeira: Elemento obrigatório, versão do resumo na língua do texto, para idioma de divulgação internacional, com as mesmas características (em inglês Abstract ou em espanhol Resumen, por exemplo).

 c) Palavras-chave em língua estrangeira: Elemento obrigatório, versão das palavras-chave na língua do texto para a mesma língua do resumo em língua estrangeira (em inglês Keywords ou em espanhol Palabras clave, por exemplo).

4 Formatação do texto

4.1 Digitação

O texto será digitado em papel formato A4 (21,0 x 29,7), com espaço de 1,5 entre linhas, margens laterais esquerda e direita de 2,5 cm e margens superior e inferior de 2,5 cm, fonte “Times New Roman”, tamanho da fonte 12, exceto para citações longas, notas de rodapé ou outras especificidades. O título deverá ser escrito em negrito, em maiúscula, centralizado, fonte “Times New Roman”, tamanho 14, com espaçamento simples.

4.2 Resumo / Abstract

O resumo e sua tradução para o espanhol ou inglês, não podem ultrapassar 250 palavras, com informações que permitam uma adequada caracterização do texto como um todo. No caso de artigos científicos, o resumo deve informar o objetivo, a metodologia aplicada, os resultados principais e conclusões. Para comunicações, o resumo deverá apresentar objetivos, procedimentos, resultado e considerações da experiência realizada. A entrevista deve descrever uma breve biografia da pessoa entrevistada e do entrevistador, o objetivo da entrevista, o tema discutido e as considerações finais do entrevistador. A palavra “Resumo” ou a sua correlata em língua estrangeira, deverá estar alinhada à esquerda e em negrito. O texto referente ao resumo deverá ter seu início na mesma linha da palavra resumo, separada desta por um espaço, um traço e um espaço.

4.3. Palavras–chave / Unitermos / Keywords

No máximo 5 palavras serão apresentadas em seguida ao Resumo e Abstract.

4.4 Texto principal

Não há número limite de páginas para a apresentação do texto. No entanto, recomenda-se que sejam concisos. As abreviaturas utilizadas devem ser as consagradas pelo Sistema Métrico Internacional ( kg, cm, ...). Quando for o caso, abreviaturas não convencionais poderão ser usadas, seguidas de sua forma em extenso, entre parênteses na sua primeira citação.

Deverá conter introdução, material e métodos, resultados e conclusão. As seções resultados, discussão e conclusão podem ser apresentadas em conjunto.

4.5 Figuras e tabelas

As figuras (fotografias, gráficos, ilustrações, etc.) deverão ser colocadas após a sua citação pela primeira vez, no tamanho e formato final para publicação. As figuras e suas legendas devem ser claramente legíveis e apresentar qualidade necessária à perfeita visualização e impressão de todos os detalhes necessários.

As figuras devem ser numeradas consecutivamente com algarismos arábicos, e o título deve ser colocado abaixo da mesma. Todos os detalhes necessários para entendimento da Figura que não foram completamente identificados no seu interior devem ser explicados no título.

As fotografias, no máximo três, representativas do texto e de boa qualidade de imagem, devidamente identificadas com a fonte/autor. Imagens cedidas por terceiros deverão, obrigatoriamente, ter autorização do autor.

Resultados apresentados em tabelas não devem ser repetidos em figuras e vice-versa.

As tabelas devem ser formatadas utilizando-se a ferramenta “tabela” do editor de texto. Não serão aceitas tabelas inseridas como figura. Serão numeradas consecutivamente com algarismos arábicos, encabeçadas pelo título e inseridas após sua citação no texto. As tabelas devem ser editadas sem traços verticais e somente com traços horizontais simples, de espessura 1,0 ponto.

4.6 Referências

Citação no texto: Usar o sobrenome e ano; para um autor: Araújo (2014) ou (ARAÚJO, 2014); para dois autores: separados pela letra “e” como Araújo e Silva (2014) ou (ARAÚJO e SILVA, 2014); para mais de dois autores usar “et al.” depois do primeiro autor: Araújo et al. (2014) ou (ARAÚJO et al., 2014). Devem ser evitados: citação de citação (citação secundária, apud), citação de artigos em versão preliminar (no prelo, preprint ou in press), de resumo de trabalho ou painel apresentado em evento científico, de comunicação oral, de informações pessoais, de documentos não publicados, de correios eletrônicos ou de páginas eletrônicas particulares da internet.

Listagem de referências: A referência bibliográfica deverá ser apresentada em ordem alfabética por sobrenome de autores, de acordo com a NBR-6023 da Associação Brasileira de Normas Técnicas. Obras anônimas têm sua entrada a partir do título do artigo ou pela entidade responsável por sua publicação. A referência deve ser alinhada à esquerda.

Exemplos de referências

  • Livros e outras monografias

a) no todo:

SILVA, A. P. P.; CICHELERO, M.; WETH, O. Formação de educadores: uma vivência com projetos de aprendizagem mediados pela tecnologia. Cáceres: Unemat, 2012.

 b) capítulo de livro com autoria específica:

WETH, O.; SILVA, A. P.P.; ARAÚJO; R. A. Formação de educadores: uma discussão sobre os projetos de aprendizagem mediados pelas tecnologias. In: SILVA, A. P. P.; CICHELERO, M.; WETH, O. Formação de educadores: uma vivência com projetos de aprendizagem mediados pela tecnologia. Cáceres: Unemat, 2012.

 c) capítulo de livro sem autoria específica:

REICHARDT, K. A água em sistemas agrícolas. In: _____. O solo como um reservatório de água. 1. ed. São Paulo: Manole, 1987. cap. 3, p.27-69.

  • Artigo de periódico

VALOIS, A. C. C.; PINHEIRO, E.; CONCEIÇÃO, H. E. O.; SILVA, M. N. C. Competição de porta-enxertos de seringueira (Hevea spp.) e estimativas de parâmetros genéticos. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.13, n.2, p.49-54, 1978.

  • Trabalho em congresso ou similar (publicado)

FONTANA, D. E.; CUNHA, G. R.; BERGAMASCHI, H. Balanço de radiação e balanço de energia em cultura de girassol. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE AGROMETEOROLOGIA, 6., 1989, Maceió. Anais... Maceió: Sociedade Brasileira de Agrometeorologia, 1989. p.313-321.

WAITHAKA, J. M. Studies of herbicidal control of Salvinia molesta. In: EAST AFRICAN WEED SCIENCE CONFERENCE, 7., 1979, Nairobi. Proceedings... Nairobi: Kenyatta University College, 1979. p.100-113.

  • Boletim, Circular técnica ou similar

ROGIK, F. A. Indústria da lactose. São Paulo: Departamento de Produção Animal, 1942. 20p. (Boletim Técnico, 20).

AZEVEDO, J. A.; CAIXETA, T. J. irrigação do feijoeiro. Planaltina: Embrapa - CPAC, 1986. 60p. (Circular Técnica, 23).

ALLEN, R. G.; PEREIRA, L. S.; RAES, D.; SMITH, M. Crop evapotranspiration: guidelines for computing crop water requirements. Roma – FAO, 1998. 300p. (Irrigation and Drainage, 56).

  • Documento eletrônico 

O referenciamento de obras consultadas on-line segue as normas específicas de cada tipo de documento, acrescentadas de informações de data de acesso e endereço eletrônico (sem hiperlink).

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Anexo IV. Requisitos mínimos para determinação do valor de cultivo e uso de feijão (Phaseolus vulgaris), para a inscrição no registro nacional de cultivares – RCN. 2006. Disponível em: <http://www.agricultura.gov.br>. Acesso em: 21 ago. 2006.

HARR, K. E. Clinical chemistry of campanion avian species: a review. Veterinary clinical pathology. v.31, n.3, p.140-151, 2002. Disponível em: <http://www.vetclinpathjournal.org/VOL31/VCP3103_140-151.pdf>. Acesso em: 01 out. 2005.

SOLOMON, M. V. Trigo: avaliação de linhagens diaplóides obtidas via cultura de anteras. 2002. 91f. Dissertação (Mestrado em Agronomia) – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Piracicaba-SP, 2002. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponíveis/11/11136/tde-12082002-140835>. Acesso em: 15 set. 2008.

Revisora

Mestranda Elenize Vieira Falcão

Histórico do periódico

A Revista de Educação do Vale do Arinos (RELVA) tem como objetivo divulgar semestralmente, no formato eletrônico, resultados finais de pesquisas, relatos de experiências e práticas pedagógicas inerentes às ações de ensino e extensão produzidas no âmbito educacional. A proposta é uma publicação do Curso de Graduação em Pedagogia vinculada à Faculdade de Educação e Ciências Sociais Aplicadas da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), Campus Universitário de Juara em parceria com outras instituições de ensino e pesquisa. A cada edição uma temática será enfatizada com intuito de agregar e fortalecer todas as dimensões que perpassam a área educacional, consideradas em seus aspectos epistemológicos, metodológicos, antropológicos e sócio-culturais.

A Revista traduz o compromisso do Curso de Pedagogia da Unemat, Campus Juara, no que se refere à difusão e produção do conhecimento científico. Assim, a relevância científico-cultural está em potencializar a criação de um mecanismo de divulgação e compartilhamento de conhecimentos produzidos por inúmeras instituições e pesquisadores que debatem a educação em suas diferentes esferas sociais.

A Universidade como espaço social de produção de conhecimentos científicos, tecnológicos e culturais, assume, na atualidade, o desafio de alavancar a ciência e a tecnologia como produtos e bens culturais disponíveis à humanidade, como elementos indispensáveis no processo de inclusão social dos cidadãos que buscam emancipar-se pela Educação.