USO DAS ESTRATÉGIAS DE ENSINO BRAINSTORMING E JÚRI SIMULADO NO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA

Autores

  • Genivaldo Alves da Silva Acadêmico do Programa de Pós-Graduação em Ensino – PPGE Ensino da Universidade do Vale do Taquarí – UNIVATES, Lajeado – RS. Acadêmico Pedagogia Polo UAB/Juína UNEMAT
  • Marli Teresinha Quartieri
  • Miriam Inês Marchi
  • José Claudio Del Pino

DOI:

https://doi.org/10.30681/relva.v7i1.4917

Resumo

Nos últimos anos, a formação acadêmica vem sofrendo inúmeras críticas, principalmente em relação aos métodos de ensino dentro das universidades. A educação física é uma área do conhecimento em que essas discussões estão presentes. O presente trabalho caracterizou-se como sendo uma pesquisa qualitativa. Tratou de um estudo utilizando as estratégias de ensino Brainstorming e Júri Simulado, realizado com vinte e dois acadêmicos do curso de licenciatura em Educação Física. Os dados foram coletados através de observações e de um diário de campo. Estas foram utilizadas na busca de solucionar problemas da esportivização nas aulas de educação física escolar no ensino fundamental. O Júri Simulado e o Brainstorming mostraram-se ser importantes métodos na construção crítica dos futuros profissionais de Educação Física, na busca de solucionar as adversidades de sua prática profissional. Espera-se com este trabalho a ampliação do leque de pesquisas em torno das estratégias de ensino e de sua contribuição para solução de problemas dessa área.

 

Palavra - chavesBrainstorming; Júri Simulado; Esportivização; Universidade.

Biografia do Autor

Marli Teresinha Quartieri

Doutora em Educação. Docente do Programa de Pós–Graduação em Ensino – PPGEnsino da Universidade do Vale do Taquarí – UNIVATES, Lajeado – RS.

Miriam Inês Marchi

Doutora em Química. Docente do Programa de Pós–Graduação em Ensino – PPGEnsino da Universidade do Vale do Taquarí – UNIVATES, Lajeado – RS.

José Claudio Del Pino

Doutor em Quimica de Biomassa. Docente do Programa de Pós–Graduação em Ensino – PPGEnsino da Universidade do Vale do Taquarí – UNIVATES, Lajeado – RS.

Referências

ALVES, H. de A.; CAMPOS, F.; NEVES, A. Aplicação da Técnica Criativa “Brainstorming Clássico” na geração de alternativas na criação de games. UFP, Dept. de Design. Pernambuco. Disponível em . Acesso em: 18 de Abr. 2018.

ANASTASIOU, L. das G. C.; ALVES, L.P. (orgs). Processos de Ensinagem na Universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. 3 ed. UNIVILLES, 2003.

ANDRE, Marli Eliza Dalmazo Afonso de. Etnografia da prática escolar. 18º ed. Campinas, SP: Papirus, 2012. (série práticas pedagógicas)

AYOUB, E. Ginástica Geral e Educação Física Escolar. 3º ed. Campinas: Ed. Unicamp, 2013.

BRACHT, Valter. A educação Física Brasileira e a Crise da Década de 1980: Entre a Solidez e a Liquidez. In. MEDINA, João Paulo S. A educação Física cuida do Corpo e Mente. “Novas Contradições e desafios do século XXI. 26 Ed. Campinas, SP: Papiru, 2013.

BRASIL. (Constituição 1988). Constituição da República Federal do Brasil. Brasília: Senado Federal. Coordenação de Edições Técnicas, 2016.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: Ensino Médio. Brasília: MEC/SEB, 2018. Disponível em:. Acessado em: 10 de mar. 2019.

CASTRO, L.M. R. de; CONCEIÇÂO, G. M. da; JUNIOR, L. A. de S. Discutindo o Aprendizado Através do Júri Simulado: Teorias e Sobre a Origem dos Seres Vivos. Enciclopédia Biosfera, Centro Cientifico Conhecer – Goiânia, v. 11 n. 22. p. 3393, 2015. Disponível em: . Acessado em: 16 de abr. 2018.

DARIDO, S. C.; RANGEL, I. C. A. Educação Física na Escola: implicações para a prática pedagógica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008.

FIORIN, J. L. Argumentação. São Paulo: Editora Contexto, 2018.

GATTI, B. A. A construção da pesquisa em educação no Brasil. Brasília: Plano, 2002.

GONZALEZ, F. J.; FENSTERSEIFER, P. E. Entre o “Não Mais” e o “Ainda Não”: pensando saídas do não lugar da EF. Escolar. RBCE. p. 9-24, 2009.

KISHIMOTO, T. M. Jogo, Brincadeira e a Educação Física na Pré-escola. São Paulo: Cortez, 1996.

KUNZ, E. Transformação didático-pedagógica do esporte. 7º ed. Ijuí: Unijuí, 2010.

MARTINS, S. N.; DIESEL, A.; DIESEL, D.. O Júri Simulado como estratégia de ensino nas aulas de língua portuguesa e de educação física no ensino fundamental: um relato de experiências. RECS. Sinop/MT/Brasil, v. 5, n. 2, p. 182-196, jul./dez. 2015.

MASETTO, M. T. Competência pedagógica do professor universitário. São Paulo: Summus, 2003.

MAZZOTTI, K.; BROEGA, A. C.; GOMES, L. V.; A exploração da criatividade, através do uso da técnica de brainstorming, adaptada ao processo de criação em moda. Anais do 1º Congresso Internacional de Moda e Design CIMODE, Guimarães (PT), Universidade do Minho, nov, 2012. Disponível em:. Acesso em 11 de nov. 2018.

MENDES, A. A. Aceitação do Júri Simulado como Estratégia Didática no Curso de Pedagogia. In. Anais XIII Congresso Nacional de Educação ENDUCERE. 2017. Disponível em:. Acesso em: 25 de nov. 2018.

MINAYO, M. C. S. O desafio da pesquisa social. In: MINAYO, M. C. S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2007. p. 9-29.

MOREIRA, A. E. da C. O papel docente na seleção das estratégias de ensino. UEL, 2012. Disponível em:. Acesso em 12 de abr. 2018.

NUNES, M. P.; VOTRE, S. J.; SANTOS, W. O profissional em educação física no Brasil: Desafios e perspectivas no mundo do trabalho. Motriz. Rio Claro, v.18 n.2, p.280-290, abr/jun. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br. Acessado em 22 de ago. 2018.

OLIVEIRA, V. M. de. Educação Física Humanista. 2 ed. Rio de Janeiro: Shape, 2010.

OSSAK, M. J. M. Educação Física e Comportamento Social: A Formação de valores nas práticas corporais. Cadernos de Pesquisas PDE. SEP–PR. 2016. Disponível em: < http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br>. Acessado em: 15 de jul. de 2019.

SANTOS, J. P.; NUNES, R. E. P.; SANTOS, J. R. dos. REIS, S. P. MENDES, M. T. Esportes e Atividades de Aventura como Conteúdo das Aulas de Educação Física. Revista EFDesportes. Bueno Aires. nº 190. Março 2014. Disponível em:. Acesso em: 15 de nov. 2018.

SANTOS, C. L. C. dos; MORAES, C. B.; OLIVEIRA, S. G. S. de; FREITAS, A. C. S.; HALMANN, A. L. H.; SÀ, L. P.; NASCIMENTO, V. B. do. A Argumentação e o Desenvolvimento da Alfabetização Científica na Dinâmica do Júri Simulado: um relato de experiência. RSBEnBio – Nº 9 – 2016. Disponível em: Acesso em: 04 de abr. 2018.

SAVARIS, P. K.; REBERTE, A.; BORTOLUZZI, M. C.; JUNIOR, B. S.; BONAMIGO, E. L. Julgamento Simulado como Estratégia de Ensino da Ética Médica. Artigos de Pesquisa. RBioét. UNOESC, 2013. Disponível em:. Acesso em 18/04/2018.

SILVA, B. V. da C.; MARTINS, A. F. P. Júri Simulado: um uso da história e filosofia da ciência no ensino da óptica. Revista Física na Escola, v. 10. Nº. 1. p. 17-20. 2009. Disponível em:. Acesso em 18 de abr. 2018.

SOUZA, A. L. S. de. O diário de campo como recurso didático-pedagógico para disciplina sociologia no ensino médio. Revista Digital em Debate da UFSC, Florianópolis, v. 14, p. 67-81, 2015. Disponível em < https://periodicos.ufsc.br >. Acesso em 08 de abr. 2020.

SPONHOLZ, S.. O Professor Mediador. Rev. Cien. Jur. e Soc. da UNIPAR, v. 6 n.2 jul./dez. p.205 -2019. 2003. Disponível em: < revistas.unipar.br > Acesso em 08/04/2020.

Downloads

Publicado

2020-02-06

Como Citar

Silva, G. A. da, Quartieri, M. T., Marchi, M. I., & Pino, J. C. D. (2020). USO DAS ESTRATÉGIAS DE ENSINO BRAINSTORMING E JÚRI SIMULADO NO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA. Revista De Educação Do Vale Do Arinos - RELVA, 7(1), 168–187. https://doi.org/10.30681/relva.v7i1.4917

Edição

Seção

ARTIGOS