EDUCAÇÃO DO CAMPO NOS ANAIS DO CONGRESSO BRASILEIRO DE ETNOMATEMÁTICA

Autores

  • Márcia Regina de Souza Silva Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática da Universidade Federal de Rondônia (UNIR)
  • Kécio Gonçalves Leite Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática da UNIR.

Resumo

O presente artigo apresenta os resultados de um estudo de caráter bibliográfico com o objetivo de analisar, a partir dos anais das cinco primeiras edições do Congresso Brasileiro de Etnomatemática (CBEm), como as publicações neste evento, na modalidade comunicações orais, têm definido e referenciado teoricamente a educação do campo, com um recorte ainda mais específico das que se referem a pesquisas no espaço escolar. Inicialmente, para a seleção dos trabalhos, utilizamos os descritores educação do campo, rural e agricultura. Em seguida, mantivemos no corpus de análise apenas os trabalhos relacionados a pesquisas cujos dados foram produzidos em espaços escolares. Como resultados, foram identificadas 9 (nove) comunicações orais, a partir das quais foi possível verificar que, embora a etnomatemática esteja definida e referenciada teoricamente nos trabalhos apresentados no CBEm, isto não ocorreu com a educação do campo. Em 7 (sete) dos trabalhos analisados, verificou-se uma lacuna ou uma ausência de definição do que os pesquisadores entendem por educação do campo, e até mesmo a inexistência de referenciais teóricos que discutem a educação do campo. A partir de tais resultados, é possível fazer o indicativo à comunidade de pesquisadores que estudam a interface da etnomatemática com a educação do campo, no sentido da necessidade de uma maior aproximação teórica de suas pesquisas com o movimento que culminou com as Diretrizes Gerais para a Educação Básica nas Escolas do Campo, fruto das experiências desenvolvidas no contexto de luta dos movimentos sociais camponeses por terra e educação.

Palavras-chave: Etnomatemática; Educação do Campo; Espaço Escolar.

Biografia do Autor

Márcia Regina de Souza Silva, Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática da Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

Mestranda em Educação Matemática pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática da Universidade Federal de Rondônia (UNIR). Professora da rede estadual de educação de Rondônia. E-mail: marcyaregina@gmail.com.

Kécio Gonçalves Leite, Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática da UNIR.

Professor do Departamento de Educação Intercultural e do Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática da UNIR. Doutor em Educação em Ciências e Matemática e Mestre em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). E-mail: kecioleite@unir.br.

Referências

CALDART, R. S. Pedagogia do Movimento Sem Terra. São Paulo: Expressão Popular, 2004.

CALDART, R. S.; PEREIRA, I. B.; ALENTEJANO, P.; FRIGOTTO, G. (org.). Dicionário de Educação do Campo. São Paulo: Expressão Popular, 2012.

CALDEIRA, A. D. Etno/modelagem e suas relações com a educação matemática na infância. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ETNOMATEMÁTICA, 3., Niterói, 2008. Anais [...]. Niterói: Universidade Federal Fluminense, 2008.

CRUZ, C. F. Etnomatemática: uma experiência em Aripuanã e Guarantã do Norte - Mato Grosso. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ETNOMATEMÁTICA, 1., 2000, São Paulo. Anais [...]. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2000.

D’AMBROSIO, U. Etnomatemática: arte ou técnica de explicar e conhecer. São Paulo: Ática, 1998.

DUARTE, C. G. A educação do campo como vetor de potência para a etnomatemática. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ETNOMATEMÁTICA, 4., 2012, Belém. Anais [...]. Belém: Universidade Federal do Pará, 2012.

FANTINATO, M. C. Historia Social de la Educación Matemática en Iberoamérica: balanço da produção acadêmica dos congressos brasileiros de Etnomatemática. Unión – Revista Iberoamericana de Educación Matemática, [s. l.], v. 9, n. 33, p. 147-161, mar. 2013. ISSN 1815-0640.

FANTINATO, M. C.; SILVA, M. L. Tendências da produção em educação indígena dos congressos brasileiros de etnomatemática. In: ENCUENTRO LATINOAMERICANO DE ETNOMATEMÁTICA, 2., 2019, Sarapiquí. Anais [...]. Sarapiquí: Universidad Nacional de Costa Rica, 2019.

FANTINATO, M. C.; THEES, A. Panorama do Encontro de Etnomatemática do Rio de Janeiro e estudo dos Anais. Boletim do LABEM, v. 7, n. 12, p. 1-11, jan./jul. 2016. ISSN 2316-5383.

FERRAZ, E. P. N.; CRUZ, L. R. O ensino de matemática na pedagogia da alternância: um olhar para a EFA de Colinas-TO. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ETNOMATEMÁTICA, 4., 2012, Belém. Anais [...]. Belém: Universidade Federal do Pará, 2012.

FERREIRA, N. S. A. As pesquisas denominadas “estado da arte”. Educação & Sociedade, Campinas, ano 23, n. 79, p. 257-272, ago. 2002. ISSN 1678-4626. DOI http://dx.doi.org/10.1590/S0101-73302002000300013.

GONÇALVES, P. G. F.; BANDEIRA, F. A.; ARAÚJO JÚNIOR, G. C. Contexto escolar e o conhecimento etnomatemático de trabalhadores das cerâmicas de Russas-CE: uma proposta pedagógica. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ETNOMATEMÁTICA, 4., 2012, Belém. Anais [...]. Belém: Universidade Federal do Pará, 2012.

KNIJNIK, G. Exclusão e resistência: educação matemática e legitimidade cultural. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

KNIJNIK, G.; WANDERER, F. Narrativas de descendentes de alemães do sul do país sobre a escola e a matemática escolar: Um estudo etnomatemático na perspectiva Wittgenstiana. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ETNOMATEMÁTICA, 3., 2008, Niterói. Anais [...]. Niterói: Universidade Federal Fluminense, 2008.

LEITE, K. G. Nós mesmos e os outros: etnomatemática e interculturalidade na escola indígena Paiter. 2014. 409 f. Tese (Doutorado em Educação em Ciências e Matemática) – Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2014.

LOPES, R. M. G. Contexto. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ETNOMATEMÁTICA, 5., 2016, Goiânia. Anais [...]. Goiânia: Universidade Federal de Goiás, 2016.

MARTINS, F. N.; GONÇALVES, P. G. F. Pesquisas em Etnomatemática e suas contribuições para o contexto escolar: um olhar para os anais dos CBEm. Revista Latinoamericana de Etnomatemática, San Juan de Pasto, v. 8, n. 1, p. 108- 123, fev./maio 2015. e-ISSN 2011-5474.

ROSA, M.; OREY, D. C. Estado da arte da produção científica dos congressos brasileiros em Etnomatemática. Ensino em Re-Vista, Uberlândia, v. 25, n. 3, p. 543-564, set./dez. 2018. ISSN 1983-1730. DOI http://dx.doi.org/10.14393ER-v25n3a2018-2.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Cortez, 2007.

SILVA, I. P. A etnomatemática e a modelagem matemática presente em um curso de formação de professores de matemática - Projeto Parceladas – Unemat – Vila Rica – MT. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ETNOMATEMÁTICA, 3., 2008, Niterói. Anais [...]. Niterói: Universidade Federal Fluminense, 2008.

SILVA, P. S. P. As narrativas na formação de professores normalistas ruralistas: um olhar etnomatemático. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ETNOMATEMÁTICA, 4., 2012, Belém. Anais [...]. Belém: Universidade Federal do Pará, 2012.

Downloads

Publicado

07/06/2021

Como Citar

Silva, M. R. de S., & Leite, K. G. (2021). EDUCAÇÃO DO CAMPO NOS ANAIS DO CONGRESSO BRASILEIRO DE ETNOMATEMÁTICA. Revista De Educação Do Vale Do Arinos - RELVA, 8(1), 132–145. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/relva/article/view/5526