DOCUMENTAR, REGISTRAR E AVALIAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL: IMPLICAÇÕES DA TEORIA HISTÓRICO - CULTURAL PARA A DOCUMENTAÇÃO PEDAGÓGICA

Autores

  • Ana Cláudia Bonachini MENDES Doutoranda do PPGE Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Filosofia e Ciências da UNESP – Campus de Marília-SP
  • Simone Silveira SANTOS Doutoranda do PPGE Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Filosofia e Ciências da UNESP – Campus de Marília-SP.
  • Suely Amaral MELLO Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação da FFC, Unesp de Marília-SP.

Resumo

O presente artigo tem por finalidade discutir a documentação pedagógica como
possibilidades para evidenciar as aprendizagens das crianças e compreender a atividade do professor a partir de uma perspectiva humanizadora, tendo como pano de fundo as contribuições da Teoria Histórico-Cultural. Na metodologia, realizamos a revisão de literatura para localizar nossa discussão a partir do que já foi escrito sobre o tema e pontuar a documentação do ponto de vista dos ordenamentos legais. No decorrer do trabalho, analisamos os registros e a documentação pedagógica de uma professora atuante nas séries finais da Educação Infantil que dialogam com nossa discussão. Na conclusão, tecemos as
considerações sobre os múltiplos condicionamentos que limitam a atividade consciente do professor destacando elementos para a constituição de um processo avaliativo humanizador.


Palavras-chave: Documentação Pedagógica. Infância. Teoria Histórico-Cultural.

Biografia do Autor

Ana Cláudia Bonachini MENDES, Doutoranda do PPGE Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Filosofia e Ciências da UNESP – Campus de Marília-SP

Doutoranda do PPGE Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Filosofia e Ciências da UNESP – Campus de Marília-SP. Professor Adjunto II no UNITOLEDO, Araçatuba-SP. Diretora de escola
Municipal de Educação Infantil, Araçatuba-SP. E-mail: bonachini.thc@gmail.com

Simone Silveira SANTOS, Doutoranda do PPGE Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Filosofia e Ciências da UNESP – Campus de Marília-SP.

Doutoranda do PPGE Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Filosofia e Ciências da UNESP – Campus de Marília-SP. Bolsista CAPES. Professora de Educação Infantil, Marília-SP. E-mail:
simone.s.santos.pba@gmail.com

Suely Amaral MELLO, Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação da FFC, Unesp de Marília-SP.

Doutora em Educação pela UFSCAR. Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação da FFC, Unesp de Marília-SP. E-mail: suepedro@terra.com.br

Referências

AMPARO, Vanelli Pires. Avaliação na Educação Infantil: percepções de professoras de um centro de educação infantil municipal de Sorocaba (SP). 2018. Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade Federal de São Carlos, Sorocaba, 2018.

ARANTES, Liduina Vieira. Processos avaliativos e documentação pedagógica na Pré-Escola da rede municipal de Rio Verde – Goiás. 2019. Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade Federal do Goiás, Rio Verde, 2019.

ARTUR, Ana e MAGALHÃES, Cassiana. Documentar a aprendizagem para avaliar e comunicar. In: MELLO, Suely Amaral e COSTA, Sinara Almeida da. Teoria Histórico Cultural na Educação Infantil: conversando com professoras e professores. Curitiba, PR: CRV, 2017. (p. 231-242).

BONAS, Meritxell. A arte do pintor de paisagens: algumas reflexões em torno da documentação. In: MELLO, Suely Amaral; BARBOSA, Maria Carmem Silveira; FARIA, Ana Lúcia Goulart. Documentação Pedagógica: Teoria e Prática. São Carlos: Pedro & João Editores, 2018. (p. 77-83).

BRASIL. Lei 12.796 de 04 de abril de 2013. Altera a Lei nº 9.394, de 20/12/1996, que estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional, para dispor sobre a formação dos profissionais da educação e dar outras providências. Brasília, DF: CNE/CEB/Ministério da Educação, 2013.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 1996.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular: educação é a base. Brasília, 2017.

BRASIL. Resolução n. 5 de 17 de dezembro de 2009. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília, DF: CNE/CEB/Ministério da Educação, 2009.

CABANELLAS, Maria Isabel. Emergir com os modos de aprendizagem das crianças. In: CABANELLAS, Maria Isabel; CABANELLAS, Maria Clara; CABANELLAS, Juan José; RUBIO, Raquel P. Ritmos infantis: tecidos de uma paisagem interior. 2ª ed., São Carlos: Pedro & João, 2020.

CASTRO, Joselma Salazar de. A docência na educação infantil como ato pedagógico. 2016. Tese (Doutorado em Educação), Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, Florianópolis, 2016.

COUTINHO, Ângela Scalabrin; MORO, Catarina. Educação infantil no cenário brasileiro pós golpe parlamentar: políticas públicas e avaliação. Zero-a-Seis, Florianópolis, v. 19, n. 36, p. 349-360, dez. 2017. Disponível em:<https://periodicos.ufsc.br/index.php/zeroseis/article/view/1980-4512.2017v19n36p349/35623>. Acesso em: 22 out.2020

DAVOLI, Mara. Documentar processos, recolher sinais. In: MELLO, Suely Amaral; BARBOSA, Maria Carmen Silveira; FARIA, Ana Lúcia Goulart de. (Org.). Documentação Pedagógica: teoria e prática. São Carlos: Pedro & João, 2018.

GALARDINI, Anna Lia e IOZZELLI, Sonia. Dar visibilidade aos acontecimentos e aos itinerários de experiência das crianças nas instituições para a pequena infância. In: MELLO, Suely Amaral; BARBOSA, Maria Carmem Silveira; FARIA, Ana Lúcia Goulart. Documentação Pedagógica: Teoria e Prática. São Carlos: Pedro & João Editores, 2018. (p. 87-98)

GANDINI, Lella. Espaços educacionais e de envolvimento pessoal. In: EDWARDS, Carolyn; GANDINI, Lella; FORMAN, George. As cem linguagens da criança. Porto Alegre: Artes Médica, 1999. p.147-158.

GAVA, Fabiana Goveia. Avaliação na Educação Infantil: Sentidos atribuídos por professores na creche. 2019. Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade Federal de São Carlos, Sorocaba, 2019.

GOMES, Luciana Kellen de Souza. O dito e o vivido: concepções e práticas avaliativas na educação infantil da rede municipal de Fortaleza. 2016. Tese (Doutorado em Educação), Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-Graduação em Educação, Fortaleza, 2016.

GRAMSCI, A. Cadernos do Cárcere Vol 2. Os intelectuais. O princípio educativo. Jornalismo. Edição e tradução: Carlos Nelson Coutinho; co-edição: Luiz Sérgio Henriques e Marco Aurélio Nogueira. 2ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2004.

KAWADA, Valdejane Tavares. A documentação pedagógica como mediação à construção do conhecimento escolar na Educação Infantil. 2016. Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2016.

LAGE, Livia Larissa de Lima. Fios que conectam docência e infância: o papel da experiência estética na formação de professores de educação infantil. 2018. Dissertação (Mestrado em Educação), – Departamento de Educação, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2018.

LEONTIEV, Alexis N. Uma contribuição à teoria do desenvolvimento da psique infantil. In: VIGOTSKII, Lev Semenovich.; LURIA, Alexander Romanovich.& LEONTIEV, Alexis N. (Org.). Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo: Ed. Ícone, 2016. 14ª ed. (p.59-83).

LINO, Dalila. O modelo pedagógico de Reggio Emília. In: FORMOSINHO- Júlia Oliveira (org.) Modelos curriculares para a Educação de Infância: Construindo uma práxis de participação. Portugal: Ed. Porto, 2007, 3ª ed. (p. 93-121).

MENDONÇA, Cristina Nogueira. A documentação pedagógica como processo de investigação e reflexão na educação infantil. 2009, 135 p. tese (Doutorado em Educação), Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Marília.

MUKHINA, Valéria. Psicologia da idade pré-escolar. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

NANAKA, Márcia Sayoko. Contribuições da formação continuada a professores de crianças de zero a três anos. 2018. Dissertação (Mestrado em Educação), Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação: Formação de Formadores, São Paulo, 2018.

OLIVEIRA, Daniele Ramos de. Avaliação na creche: subsídios teórico-práticos a partir da análise de documentos do MEC (2000-2015). 2017. Tese. (Doutorado em Educação), Programa de Pós-graduação em Educação, da Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Presidente Prudente, 2017.

OLIVEIRA-FORMOSINHO, Julia e FORMOSINHO, João. Pedagogia em participação: em busca de uma práxis holística. In: OLIVEIRA-FORMOSINHO, Júlia e PASCAL Christine. Documentação Pedagógica e avaliação na educação infantil: um caminho para a transformação. Porto Alegre: Ed. Penso, 2019. (p. 26-56).

OLIVEIRA-FORMOSINHO, Júlia et al. Princípios éticos para uma avaliação pedagógica holística. In: OLIVEIRA-FORMOSINHO, Júlia e PASCAL Christine. Documentação Pedagógica e avaliação na educação infantil: um caminho para a transformação. Porto Alegre: Ed. Penso, 2019. (p. 137-148).

SCHMEING, Leila Bitencourt. As especificidades da atuação docente para e com bebês e crianças de 0 a 3 anos: uma pesquisa com professoras em um Centro de Educação Infantil de São Paulo. 2019. Dissertação (Mestrado em Educação) Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação: Formação de Formadores, São Paulo, 2019.

VYGOTSKI, L. S. Obras escogidas IV. Madrid: Machado Grupo de Distribución, 2012.

VYGOTSKI, L. S. Quarta aula: a questão do meio na pedologia. In: Sete Aulas de L.S. Vigotski: sobre os fundamentos da Pedologia. Tradução e Organização de Zoia Prestes e Elizabeth Tunes. 1.ed.Rio de Janeiro: EPapers, 2018.

Downloads

Publicado

24/08/2021

Como Citar

MENDES, A. C. B., SANTOS, S. S., & MELLO, S. A. (2021). DOCUMENTAR, REGISTRAR E AVALIAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL: IMPLICAÇÕES DA TEORIA HISTÓRICO - CULTURAL PARA A DOCUMENTAÇÃO PEDAGÓGICA. Revista De Educação Do Vale Do Arinos - RELVA, 8(1), 9–33. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/relva/article/view/5718