A BNCC E A EDUCAÇÃO DO CAMPO, DA INVISIBILIDADE A INSUBORDINAÇÃO CRIATIVA

Autores

  • Márcia Regina de Souza SILVA Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática da UNIR.
  • Leiva Custódio PEREIRA Professora Doutora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO).
  • Helen Maciel da SILVA Coordenadora pedagógica da secretaria municipal de educação de Ji-Paraná/RO

Resumo

Este artigo é resultado parcial de uma pesquisa em desenvolvimento no curso de Mestrado em Educação Matemática, do Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática da Universidade Federal de Rondônia, de abordagem qualitativa, com procedimento bibliográfico e exploratório, analisa teses e dissertações constantes no banco de teses da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES, a partir do descritor Base Nacional Comum Curricular - BNCC, sendo identificados 49 trabalhos. Posteriormente, a partir da leitura dos resumos e palavras chaves, buscou-se localizar o descritor Educação do Campo, não constatando nenhuma ocorrência. Desta constatação buscou-se compreender o processo de elaboração, participação, interesses políticos e econômicos envolvidos na construção da BNCC, bem como a valorização às diversidades, a partir da seleção de 5 dissertações. Objetivando o aprofundamento do tema, analisou-se os Referenciais Curriculares do estado de Rondônia-RCRO e as Orientações Curriculares do município de Ji-Paraná/RO na busca das concepções de Educação do Campo. Como resultado, apontamos que para se efetivar uma política de Educação para o campo, é imprescindível a participação dos sujeitos afetos à política, formação inicial e continuada dos princípios de educação do campo e sempre quando necessário, a insubordinação criativa.

Palavras-chave: Educação do Campo. Currículo. BNCC. Formação de Professores.

Biografia do Autor

Márcia Regina de Souza SILVA, Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática da UNIR.

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática da UNIR. Professora da rede estadual de
educação de Rondônia. E-mail: marcyaregina@gmail.com

Leiva Custódio PEREIRA, Professora Doutora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO).

Professora Doutora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO). E-mail:
leivacustodio@gmail.com

Helen Maciel da SILVA, Coordenadora pedagógica da secretaria municipal de educação de Ji-Paraná/RO

Mestra em Educação Escolar. Coordenadora pedagógica da secretaria municipal de educação de Ji-Paraná/RO.
E-mail: helen2maciel@gmail.com

Referências

ARROYO, M. G. Políticas de formação de educadores(as) do campo. Caderno Cedes, Campinas, vol. 27, n. 72, p. 157-176, maio/ago. 2007. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/ccedes/v27n72/a04v2772.pdf >.Acesso em: 16 fevereiro. 2021.

BOGDAN, R.; C.; BIKLEN, S. K. Investigação qualitativa em educação. Tradução Maria João Alvarez, Sara Bahia dos Santos e Telmo Mourinho Baptista. Porto: Porto Editora, 1994.

BRANCO, E. P. A implantação da BNCC no contexto das políticas neoliberais. Dissertação (mestrado) apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Ensino da Universidade Estadual do Paraná. Área de Concentração: Formação Docente Interdisciplinar. – Paranavaí: Universidade Estadual do Paraná, Campus de Paranavaí, 2017. 136 f.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. 2017. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/>. Acesso em: 10 jan. 2021

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil.

BRASIL. Decreto n. 7.352, de 04 de novembro de 2010. Dispõe sobre a política de educação do campo e o Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária – PRONERA. Diário Oficial da União, Brasília: 2010.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, LDB.1996. BRASIL.

CALDART, R. S. Pedagogias do Movimento Sem Terra. Petrópolis: Vozes, 2002.

CALDART, R. S.; PEREIRA, I. B.; ALENTEJANO, P.; FRIGOTTO, G. Dicionário da Educação do Campo. São Paulo: Expressão Popular, 2012.

CHIZZOTTI, A.; SILVA, R. E. V. BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR E AS CLASSES MULTISSERIADAS NA AMAZÔNIA. Revista e-Curriculum, São Paulo, v.16,n 4, p.1408-1436. out/dez 2018. Programa de Pós-Graduação Educação: Currículo - PUC/SP, http://revistas.pucsp.br/index.php/curriculum.

D’AMBROSIO, U. Transdisciplinaridade. São Paulo. Palas Athena, 1997. 2ª ed. (2009).

FREIRE, P. Extensão ou comunicação. 8 ed. Tradução de Rosisca Darcy de Oliveira. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2008, 6. ed.

GONZÁLEZ REY, F. L. Pesquisa qualitativa em psicologia: caminhos e desafios. Tradução: Marcel Aristides F. Silva. São Paulo: Pioneira Thompson Learning, 2002.

HELENO, C. R. Contribuição à crítica da Base Nacional Comum Curricular – a máscara do conformismo na educação do Banco Mundial. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Feira de Santana, Feira de Santana, 2017. 145f.

IMBERNÓN, F. Formação continuada de professores. Porto Alegre: Artmed, 2010.

JI-PARANÁ. Orientações Curriculares de Ji-Paraná, 2020. Resolução Nº.118/2020-CME/PMJP/RO. Homologada em 22 dez.2020.

LOPES, C. E.; D'AMBROSIO, B. S. Insubordinação criativa de educadoras matemáticas evidenciadas em suas narrativas. Bolema, Rio Claro (SP), v. 29, n. 51, p. 1-17, abr. 2015 Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/bolema/v29n51/1980-4415-bolema-29-51-0001.pdf.Acesso em: 20 jan. 2021.

MOREIRA, A. F. B.; SILVA, T.T. (Org.). Currículo, cultura e sociedade. 12. ed. São Paulo: Cortez, 2013.

PERTUZATTI, I. Alfabetização e letramento nas políticas públicas: convergências e divergências com a BNCC. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Comunitária da Região de Chapecó, 2017. 202f.: il.

ROCHA, N. F. E. Base Nacional Comum Curricular e Micropolítica: analisando os fios condutores. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal da Paraíba, PPGE, João Pessoa, 2016. 181 f.; il.

RODRIGUES, V. A. A Base Nacional Comum Curricular em Questão. Dissertação de Mestrado – PUC, São Paulo, 2016. 135p.

RONDÔNIA. Lei que implanta a Mediação tecnológica. Disponível em: http://ditel.casacivil.ro.gov.br/COTEL/Livros/Files/L3846.pdf, acesso em 10.fev.2021.

RONDÔNIA. Referencial Curricular de Rondônia, 2020. Disponível em http://www.rondonia.ro.gov.br/publicacao/referencial-curricular-do-estado-de-rondonia-ensino-fundamental-anos-iniciais-e-anos-finais/, acesso em 10 de jan.2021.

SILVA, T. T. Documentos de Identidade: uma introdução às teorias do currículo. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2020.

Downloads

Publicado

24/08/2021

Como Citar

SILVA, M. R. de S., PEREIRA, L. C., & SILVA, H. M. da. (2021). A BNCC E A EDUCAÇÃO DO CAMPO, DA INVISIBILIDADE A INSUBORDINAÇÃO CRIATIVA. Revista De Educação Do Vale Do Arinos - RELVA, 8(1), 34–54. Recuperado de https://periodicos.unemat.br/index.php/relva/article/view/5720